segunda-feira, março 17, 2014

11 anos

A história que eu vou contar, eu só contei pra um amigo ano passado. Na verdade eu só consegui processar tudo em 2012. Não demorei pra contar porque era pesado e eu queria manter segredo. Demorei para contar, pois eu nem sabia o que era.

Aconteceu em 2001. Minha mãe costumava viajar para Minas e a casa ficava livre. Eu tinha 17/18, não lembro exatamente o mês. E aí resolvi dar uma festa como sempre. Todo tipo de bebida, uma loucura. Só chamei amigos. Lembro de ter bebido uma garrafa inteira de uísque com duas pessoas. Estava tresloucada. Todo mundo estava.

Num dado momento, subi para o terraço e escutei um amigo - que, por motivos óbvios, não é mais meu amigo - falando com outra amiga: "Patricia está trêbada, é hoje que eu como ela". Parei na porta, eles não me viram. Sabe quando você fica sóbrio na hora? O álcool sobe e você tem a noção de tudo. Eu tive a noção de parar de beber, eu precisava e ninguém ia cuidar de mim porque todo mundo estava bêbado e tal. Esse meu amigo também, mas nada justifica aquela frase. Nem nos meus maiores porres eu fiz algo desse nível. É meio aquela mulher que foi presa no aeroporto por racismo e disse que xingou o atendente de macaco pois estava nervosa. Não cola, sabe.

O mais estranho de tudo é o tempo que levei pra processar essa história. 11 anos.

Porque eu não terminei a minha amizade com ele aquele dia. Terminei meses depois por outros motivos.

Lembrar daquele dia sempre foi um incômodo, mas eu não parava pra pensar muito, por causa dos outros acontecimentos da mesma noite. Eu tendo que cuidar de todo mundo, eu dando banho em amigos e limpando o vômito de geral etc. Lembrar desse dia era sempre uma zoação no grupo "lembra o dia que eu te dei banho? hahahahah" etc. O humor apaziguava tudo.

Até que ano retrasado, e muito por causa de outro BBB, o da Monique, eu fui colocando as peças no lugar. Que ele tentou, mas não conseguiu porque eu já estava sóbria. E tive que me cuidar. E da sorte de eu escutar os planos dele antes. Porque se eu não escutasse, taí, teria acontecido mesmo.

E hoje alguém postou no twitter que mulher nenhuma gosta de dizer que foi abusada. E é super verdade, né. Demorei anos para entender uma história de quase-abuso, mesmo tendo sido abusada na infância. O quanto eu achei que era a culpada "bebi muito, da próxima vez devo maneirar", o quanto eu o eximi da culpa "ele só tava brincando". E olha, que nem em boate com desconhecido eu estava. Estava na minha casa com amigos.

Então, fica só uma solidariedade com um misto de tristeza sobre a Monique e a Angela, quando elas dizem que não aconteceu nada. Demorei 11 anos pra entender as nuances e aceitar que o errado da história toda é o meu ex-amigo. Espero que elas descubram em menos tempo.

24 comentários:

Anônimo disse...

Que bom que eu estava atualizando seu blog toda hora esperando post novo. Pensei que seria sobre o Survivor, pq ta uma coisa maravilhosa etc. Gostei muito do seu relato e sua analise, Angela e Monique nao tem culpa de acreditarem que nao foi nada. Ah, Tatiele included, pq ela tb achou que nao foi nada.

Renata disse...

cultura do estupro que exime os homens e ainda faz a gente se sentir culpada. É foda.

Anônimo disse...

Vcs nao têm a mínima idéia do que é ser abusada.... mínima.

Anônimo disse...

Não entendi a intenção do comentário "Vcs nao têm a mínima idéia do que é ser abusada.... mínima."

Eu fui abusada (mais ou menos o q a Patrícia se livrou aconteceu comigo, só q com dois 'amigos', não apenas um)e ler tanto o post dela qto os comentários de apoio me ajudam mto. Apesar de ter passado 6 anos um monte de coisa ainda é mto dolorosa e embaralhada na minha cabeça. Inclusive eu sequer consigo comentar abertamente o q aconteceu com a Angela pq ok, foi um selinho, ela não vai ficar tão traumatizada e machucada qto, por exemplo, eu fiquei, mas todo o desrespeito tá ali, toda a incapacidade do marcelo de enxergar a Angela como uma PESSOA tá ali. É uma pessoa, saca? Não é um brinquedo. Não é uma bonequinha q vc pode fazer de conta q não está praticamente implorando pra q vc não tente nada sexual com ela.

E dói demais, demais mesmo, como doeu na história da Monique, ver q o Brasil inteiro aceita e diminui a gravidade do q esses caras fazem TODO SANTO DIA. Qqr balada vai ter desgraçado pronto pra fazer isso. Qqr lugar, qqr situação, vai ter um demônio desses, e todos vão sempre passar a mão na cabeça deles. Daí qdo alguém se expressa solidário com as vítimas sempre vem alguém cagar pela boca pra desmerecer o q tá sendo dito. Pra falar q não é bem assim. Pra colocar a culpa na vítima. Pra ditar o q é e o q não é grave numa situação dessas.

Grave é tocar numa pessoa sem consentimento. É botar UM dedo q seja. É encostar na porra da ponta de um fio de cabelo. Pq o pensamento errado começa aí, a falta de limite com o corpo de outro ser humano começa aí. Passou disso tem o potencial pra fazer mto pior sim. E pela nossa legislação é estuprador sim.

Torço pra q a Angela qdo sair veja os vídeos e decida por denunciá-lo. Vê-lo sendo julgado e condenado seria um grande passo pros brasileiros começarem a aprender a respeitar as mulheres.

Anônimo disse...

Sempre comento que: Twitter e Facebook conseguem expor o lado mais podre e imbecil das pessoas. Explico: na ânsia de opinar sobre TUDO, as pessoas jogam nas tl's alheias toda a sorte de besteiras e preconceitos.
Ontem o que teve de mulher falando que a Angela é vaca, que merecia o abuso e que tava provocando o Merdelho não tá no gibi.
A garota é escrota, escória (vide a história do HIV - tenho conhecidos nesta condição e doeu na alma), ok. Mas nada, n-a-d-a justifica o que ocorreu na festa sábado. Igual a treta Urach X Verdelho: cuspe já é agressão, imagina jogar água na cara da pessoa inconsciente. Fora o resto...
-
Eu também demorei a processar as agressões que aconteciam comigo num passado não tão distante.
Te entendo muito, Patricia.
Tive um namorado no qual acreditava ser o amor da minha vida. Eu aceitava todas as migalhas que ele me oferecia por pensar que era o amor "das minhas vidas", que era o homem ideal... e mal sabia toda a imbecilidade que isso acarretava.
Aturei muita estupidez, críticas, cenas de briga horrorosas na frente dos amigos/família, humilhações e esculhambações. Demorei a cair na real, quando o mesmo estava ocorrendo comecei a ter pavor de transar com ele. Fugia sempre que podia. Até uma certa noite, em que não satisfeito de me xingar e humilhar, se masturbou do meu lado enquanto eu fingia que estava dormindo.
Hoje, graças a muito isolamento (nem para a minha psicóloga da época tive coragem de contar), consegui contornar a situação. Semanas depois do ocorrido o relacionamento foi para o espaço.
Engraçado é que nunca consegui contar isso para ninguém, morro de vergonha, dói ainda e o curioso é que escondemos isso e até esquecemos por muito tempo. Mas sempre volta, por mais que a lembrança seja minimizada.

Beijo ;)

Anônimo disse...

Triste mesmo. E mais triste é pensar que praticamente toda a mulher tem uma história dessas pra contar, e não cabe julgar se uma é mais grave que a outra. A questão central é a mesma, é o desrespeito e a dificuldade de aceitar a palavra de alguém, apenas por essa pessoa ser uma mulher. A propagação do conto de que mulher diz "não" qdo quer dizer "sim" e outras tantas formas sutis (ou nem tanto) de tirar a nossa voz.

Vanessa disse...

Eu nunca sofri um abuso, mas tenho tanto medo de sofrer que me privo de algumas coisas.

Quando eu tinha uns 12/13 um amiguinho meu ficou bêbado e acordou todo pintado. A mãe dele surtou, não queria o filho bebendo e sem poder se defender. Lembro até hoje dela falando pra mim: Querida, cu de bêbado não tem dono.

Depois que comecei a ir em boates, sempre tem aquele incomodo de homem que quer te agarrar a força. Por isso até prefiro sair com meus amigos gays, ir em festas alternativas, muito mais divertido e tranquilo.

Sempre tem os "amigos" querendo te ver trilouca do cu.

Anônimo disse...

"Vocês não tem a mínima ideia do que é um abuso". Uns 75% das mulheres sabem sim o que é um abuso. Não vamos minimizar porque a mulher não terminou sendo costurada no hospital, ok?

Anônimo disse...

Exatamente! São pouquíssimas as mulheres que não vão sofrer alguma forma de abuso ao longo da vida, e essas provavelmente vão ter q se provar de muita coisa... coisas com as quais os homens JAMAIS tem q se preocupar, mas eles nem percebem né, o privilégio cega mesmo... mas NOJO mesmo foi o Bial insinuando em rede nacional que a Ângela tava fingindo, como se tivesse sido tudo de caso pensado e total minimizando a situação... veja, bem, eu nem gosto da menina, mas nesse caso minha total solidariedade à ela!!

Anônimo disse...

Ontem eu assistindo a meio hora que passa no Multishow depois que edição aberta acaba.
Poly enchendo o saco da Angela que ela fez mal de não ter apoiado o Marcelo. Depois lá fora, Vanessa e Poly chamando Cassio, que a defendeu, de ridículo. Clara falando e Poly reafirmando que ela deu abertura, deu condição, porque foi chamar o Marcelo em um momento da festa.
E a Angela calada, pensativa, ela que sempre falou tanto, sem força pra argumentar, pra outras pessoas decidirem por ela se foi abuso ou não, quando tá escrito na cara dela o incômodo de estar se sentindo abusada.
Aí chega o abusador fazendo ceninha de revoltado. Ela repete umas cem vezes que falou ao vivo que ele sempre a respeitou. Mas não foi o bastante pra ele... E ela com aquela cara...
Foi pesado. E a maioria não tá vendo isso.

Kari M. disse...

Nojo de tudo isso que estou vendo nesse BBB.

Nojo daquele nariz de tucano imbecil da Pollyanta que diz que abuso é tacar a mão nas partes íntimas;

Nojo das suuuuuuper modernosas sapatas que acham que opa, se ele já ficou com ela, ele pode tentar algo com ela bêbada;

E NOJO desse agressor (como já disse a linda da tua mãe). Já mostrava sinais na hora de brigar e principalmente, na hora de flertar. Não sabe escutar um NÃO e tá se achando o rei da cocada preta agora.

E mesmo lembrando ou não, tenho pena da Angela por ter pedido DESCULPAS ao agressor agora a pouco.

Que grupo desprezível de pessoas...

Livia disse...

Acho que, infelizmente, quase todas nós temos alguma história.
Tá me fazendo mal assistir esse programa, todas as mulheres defendendo o psico, a Angela pedindo desculpas (!!!)
Até a Clara que eu achava que tinha a cabeça mais aberta sendo suuuper machista, socorro
Quando Cássio e Diego são de longe as pessoas mais coerentes algo tá mt errado

Diabólika disse...

Quando Cássio e Diego são de longe as pessoas mais coerentes algo tá mt errado [2]


Gente, que porra de programa é esse?! O machista mor do Diego mostrando ser um dos caras mais coerentes da casa. O Cássio idem. As mulheres todas ao lado do ESTUPRADOR do Marcelo, e Angela pedindo desculpas.

Desculpem pelo que vou falar, mas essa Poliana é uma paraplégica mental voluntária. Doeu muito vê-la defender o Marcelo com unhas e dentes. E Angela me dá a impressão de que comprou o diploma de bacharel em direito.

E o Marcelo? O PIOR de todos da casa! Playboy, stalker, machista, ridículo, estuprador.

Para mim essa bosta de programa acabou. Que esse escrotossauro ganhe logo para provar que nesse país vale a pena ser abusador de mulheres.

Rosana Tibúrcio disse...

Nada pior do que você falar não para QUALQUER coisa e QUALQUER pessoa continuar. Seja pra uma brincadeira, pra um toque, seja lá o que for. Toque então é muito mais sério.

Quando que era mais nova (hehe, já fui) meu pai - hoje com 88 anos - me disse: "minha filha, as pessoas vão em você só até onde você quiser." Sei que a preocupação dele, na época, era muito mais sexual, mas ele dizia que era para tudo. E fiz das palavras dele o guia de minha vida: sexual, profissional, afetiva.
Repassei para minhas filhas essa lição de meu pai e sempre me certifico se elas compreenderam bem isso. E acrescento sempre que posso: "o nosso corpo é sagrado."
Não, não... nada a ver com questões religiosas e tal. Sagrado de "estimado, em que não se deve tocar ou mexer" sem nosso consentimento.

Tenho ódio muito mais profundo de quem não respeita o corpo de uma mulher sendo "amigo" dessa mulher.

Sinto muito por você ter vivenciado algo desse tipo, Patricia, com o escroto de seu amigo. Que ele se ferre em qualquer tempo da vida dele.


Sobre o BBB: algo que não entendi até agora, ou eu tô louca, sei lá. Mas tenho quase certeza que ouvi a tal Angela pedindo para o Cássio não deixá-la perto do Marcelo na festa em que ia beber todas. Parece que o receio dela era por algo menor, afinal estava entre amigos e muitas câmeras, né? Quem se atreveria a passar a mão nela?

Cássio ficou de olho nesse pedido, tentou protegê-la e agora ela não apoia a quem pediu ajuda?

Não gosto de Cássio, de ninguém lá, na verdade, mas ele fez o que ela pediu. Ou não? E o Marcelo foi escroto porque ao não respeitar alguém, que mesmo de fogo, dizia não e não e não.

Tá tudo errado!!
Inclusive meu comentário do tamanho de um post...rs


PriCarvalho disse...

É pq as pessoas confundem o "ato abusivo" ocorrido com Romantismo, daí crucifixa o outro que fez o certo, deixando ele como vilão.

Infelizmente, boa parte pedi um tipo de "Justiça" pelas acusações que Cássio fez ao Marcelo, acho que essas mesma pessoas são aquelas que acha certo que mesmo que você diga um NÃO em garrafal, acha bonito quando fazem algo contra sua vontade.

Infelizmente as pessoas que te carater e valores são as mais prejudicadas.

Ex-Princesa. Agora, Plebeia. disse...

Um dos piores sentimentos é quando a vitima se sente culpada. Digo isso por experiência própria,como acabei de relatar no meu Blog.
Cuidado, sim. Abuso, nunca.
Neste caso do BBB, acho que se o personagem fosse outro, tipo aquele que as pessoas não idealizam, a resposta de algumas pessoas seriam outras.
Por já ter sofrido abuso eu jamais vou entender a atitude de algumas mulheres.
E que bom que você já estava esperta e que estou seu amigo falar antes de se aproveitar de você. No meu caso, infelizmente, não tive tanta sorte. Bola pra frente.

Anônimo disse...

Patricia vc tem toda razão, SLIM tem muito cara de estuprador mesmo,acho q ele é ainda pior q Marcelo, a gente logo nota só de olhar, agora te entendo.

disse...

A rede globo sempre foi terra de tudo de pode. Só que agora, ela saiu do armário totalmente. Não faz nem questão de esconder nada.
E pior, não tem ninguém ligando pra isso, porque uma mulher digna que não tava nessa palhaçada de BBB foi arrastada no asfalto, e isso só veio a tona porque um civil gravou.
O respeito ao ser humano tá acabando. Vai virar olho por olho, dente por dente.

@constrangendo disse...

Acho que toda menina/mulher que tem a mente um pouco aberta e está começando na vida acabou bebendo demais umas vezes. A maior parte delas passou por uma situação como essa. Do cara se sentir no direito.

Eu mesma, só fui parar de beber como se não houvesse amanhã aos 24 anos (9 anos após minha primeira latinha). Vivi isso várias vezes. Uma que mais me marcou foi quando eu estava tão mal que nem me mexia, minha única reação foi vomitar no cara que saiu muito puto e nunca mais me olhou na cara.

E depois de um tempo a gente para, não pelos babacas, por a gente mesmo. Por não aguentar mais a ressaca, aquele gosto horrível na boca no dia seguinte. Umas tem mais sorte de conseguir escapar, outras simplesmente não.

Anônimo disse...

Sua história me lembrou de duas distintas:

1) Na minha (quase) primeira vez, eu bebi 2 caipvodkas pra ficar mais relaxada. Dei PT, vomitei no meu namorado e desmaiei no banheiro. Ele obviamente parou qualquer tentativa, me deu banho, cuidou de mim e me levou pra casa. Me liguei no dia seguinte, quando ele me contou o que tinha acontecido, que se fosse um cara mal-intencionado, poderia fazer o que quisesse comigo. Parei de beber.

2) Descobri tem 1 mês q meus colegas da faculdade falam entre si de suas namoradas, como elas são na cama. O negócio é que até eu, que não as conheço, soube o que as moçoilas gostam e não gostam. Detalhe que eles estavam SÓBRIOS. Achei no mínimo ridículo e desrespeitoso um bando de moleque de vinte e poucos anos comparando quem era o macho alfa ao descrever suas proezas sexuais, após o almoço. Pior que essas namoradas vão acabar com fama de piranhonas. Injusto.

Wes L. disse...

Fico chocado quando leio histórias assim. Deve ser muito perturbador para uma pessoa que já foi abusada.

Anônimo disse...

Minha vida anda um cú, por isso gostaria quantos dramins é necessário tomar p/ ter sono? Espero respotas. Grata!

Anônimo disse...

Gente o que fazer quando:
- está desempregada
- estudando pra concurso
- fazendo pós-graduação numa área que não tem interesse/motivação
- se quer fugir do planeta
- com quase 30 anos de idade


HELP

Anônimo disse...

Continua estudando até passar, né?