segunda-feira, janeiro 21, 2013

melhor personagem de todos os tempos

Fringe terminou na sexta-feira. Três dias tentando escrever. Não é apenas um final doloroso pelo seriado que não verei novamente nos sábados ao acordar, é uma dor por nunca mais ter Walter Bishop. Personagem que mais amei na vida. Já falei dele em outros posts. Lembro que citei duas cenas memoráveis, a conversa com Deus e quando ele sai do laboratório após dois anos. Apenas para citar uma cena que faz chorar e a outra que faz rir.

Adorei Fringe, mas tenho minhas ressalvas com uma ou outra temporada fraca, só que Walter supera tudo. É a alma do seriado. Construído brilhantemente com todos os seus conflitos. O cientista que no passado fez experiências desumanas com crianças, o homem com sangue frio que só media o desenvolvimento científico. A soberba em pessoa. Costumava dizer "não existe outro Deus nesse laboratório além de mim".  Não aceita a morte do filho e cruza outra dimensão para roubar um outro filho (a série trata de universos paralelos), desencadeando uma série de eventos trágicos nesse outro universo. É visto como um Hitler. Eis que em uma experiência mal sucedida ele perde uma funcionária num incêndio. Por não medir consequências, por se achar um Deus, ele tem que arcar com tudo depois. Pede, desesperado, que partes do seu cérebro sejam removidas na tentativa de conter o monstro que é. Passa 20 anos num hospício, quando é resgatado por uma agente do FBI que o recruta para ajudar em casos inexplicáveis. E assim, Walter vai conquistando o amor de todos. Quando mostra-se arrependido pelas ações no passado. Envergonhado. Conquista nosso amor pedindo doces e se drogando com LSD. Nos ganha por completo quando deixa o egoísmo de lado e aceita finalmente perder o próprio filho para os dois universos não entrarem em colapso. Porque ele sabe que foi ele quem começou tudo. A cena dele, um dia atordoado pelos problemas mentais voltando, quando tenta fazer uma auto cirurgia no cérebro "por favor, não me faça voltar para lá". Para o hospício. A minha vontade de atravessar a tela do computador e abraçá-lo: Walter, ninguém nunca mais vai fazer você passar por aquele inferno de novo, porque eu não vou deixar. Anos se passam e os acontecimentos levam o universo a ser dominado por seres do futuro, Walter tem um plano para salvar a humanidade, mas para isso deve reimplantar as pares do cérebro para se lembrar. E vem o medo de voltar a ser o que era, pede, em lágrimas, para impedi-lo caso aconteça. De fato, ele não voltou a ser o monstro e jamais voltaria. E a série termina como deve ser. Os fãs do seriado, no fundo, já sabiam. Walter já sabia que deveria se sacrificar, causou tanto dano ao mundo que o sacrifício é única chance de pedir perdão.

Está aí o símbolo máximo de Fringe. A tulipa branca que significa esperança e absolvição. Talvez a primeira tatuagem que farei.

Obrigada por tudo, Walter. Obrigada por esses 5 anos incríveis.

9 comentários :

Gustavo disse...

Chorei só de lembrar. Realmente, Fringe é problemático, a quarta temporada e parte dessa última foram bem fracas, mas meu deus, os personagens.
Olivia e principalmente Walter Bishop são dois dos meus personagens favoritos de qualquer coisa. Amo pra sempre. Me identifico, choro, rio, amo demais. E compartilho do teu desejo de tatuar a tulipa branca, tô precisando. :(

Anônimo disse...

Eternamente serei um orfão de "Fringe". Mas, o assunto aqui é outro: você. Antenadíssima como você é, claro que já deve ter visto "Girls", então: menina você é a nossa Lena Dunham, e isto é um baita elogio. Tem posts seus aqui que valem muito mais que muitos episódios de "Girls". Trate de escrever, peloamordeDeus, crônicas, contos, romance, memórias, o que seja, você é uma Escritora. Perceba-se. Bjão.

Ju disse...

Deu até vontade de ver Fringe.

E realmente, você é a nossa Lena. Mais pessoas precisam coonhecer você e o que faz tão bem: escrever.

Anônimo disse...

Fiquei interessada em assistir a Fringe.

Tiburciana disse...

Patricia não entendo como vc pode querer que essa pessoa saia .
http://globotv.globo.com/rede-globo/big-brother-brasil/v/clima-esquenta-na-biblioteca-esta-agindo-igual-a-um-idiota-dhomini-para-elieser/2345578/

Não que ele mereça o premio nem acho. sei que vc acha que ele só se faz em cima de retardado , bem o caso do video.
Mas preciso me divertir Gata e isso ele consegue

Leo Coutinho disse...

Realmente Walter Bishop é um dos personagens mais interessantes que já tive conhecimento. Apaixonante. Me lembro de poucos tão marcantes quanto ele. Talvez Lisbeth Salander (trilogia Millenium) e Dr. Gregory House.
Fringe deixará muitas suadades, ótimo seriado! Apesar das saudades, acho que terminou no momento certo. Por cima. Fazendo sentido (dentro da temática sem sentido... rsrs) e com os personagens tendo finais perfeitos.

Belo texto moça! =)

A Princess On a Tangerine Tree disse...

Puxa vida! Sempre pensei em assistir Fringe e nunca.... Agora me deu muita vontade...

Ju disse...

Tenho dó do Eliéser. Todo mundo pega no pé, inclusive o BIAL! Isso é bullying. O Bial tá lá apresentando o programa e humilhando um participante? Acho errado.

Isabela disse...

Ahhh Patrícia, que coisa mais linda essa! Faço minhas as suas palavras, não há personagem mais cativante que Walter, o gênio que mais parece um menino que não cresceu. Adorei este post, parabéns! :)

P.S: quem ainda não assistiu a série: comecem!Não irão se arrepender, rs.