domingo, setembro 09, 2012

queria

Eu não me sinto mais a vontade para escrever aqui. É o ponto contra de ter um blog pessoal. Tenho que passar por cima de duas dificuldades.

- Meus amigos. Porque as vezes eu só quero desabafar sem que ninguém que me conheça saiba. Sei lá, por infantilidade ou medo que me interpretem mal.
- Desafetos. Complicado dar a cara a tapa enquanto dementadores me leem e torcem a cada derrota.

De verdade mesmo, desde os tempos de Jibs que o blog passou para um email coletivo. É ali onde eu conto quase tudo.

Não quero estragar as coisas, então eu fico quieta.

Saí do trabalho. Não da empresa, mas do lugar.

Ando sem vontade de falar isso. "Ah, eu saí". Porque a pessoa vai perguntar mas por quê? E aí vou me dando conta de que a pessoa - insira aqui qualquer pessoa - não sabe da minha vida há muito tempo.

Nem aqui as pessoas sabem. Tenho evitado ao máximo contar o que anda acontecendo porque simplesmente: deu. Acabou.

Nada do que planejei deu certo. Nada. Não é que tudo tenha dado errado, não, não é isso. Muita coisa deu certo, mas não o que foi planejado. Aquele desenho mental "vou pegar o caminho x para chegar no lugar y". Nossa, nunca deu certo. Passo a enxergar a falta de habilidade geral.

Outro dia eu saí com um amigo - amigo mesmo, por favor, que nenhum dementador ache que é pra ele essa parte - e me dei conta ali sentada tomando sorvete que anda tudo absurdamente diferente, mas que veja bem, o erro é meu. Não é da pessoa. E ele não faz a mais puta ideia.

Queria demais planejar e conseguir. Queria demais ter coragem para contar. Queria demais não precisar fazer piada para camuflar uma verdade. Queria muito, mas não dá.

Assim como Fernando, tenho escutado as maiores atrocidades calada. Como tenho me calado em todos os momentos, sendo pior ainda quando revido.

44 comentários :

Allana Gama disse...

eu gosto de ti!
me faz bem ler alguém que escreve a mesma linha de pensamento que eu levo pra vida!
Se tu desistir mesmo, fica aqui o meu "seja feliz" então...

Abração

Marcela G. disse...

Patrícia, não digo no mal sentido; mas depois de tanto tempo te lendo e "analisando" tudo, hoje depois desse post, não tenho mais dúvidas de que em "toda a sua vida" (óbvio que digo isso somente com as informações que tenho aqui no blog) seu maior inimigo em todo o tempo, não foi ninguém além de você mesma.
Entretanto, sei que é muito mais fácil se auto-penalisar, do que levantar a cabeça e fazer de todas as dores uma lição.

Portanto, sendo ainda tão jovem e inteligente como és, desejo que tire a corda do seu pescoço (visto que em todo o tempo ela sempre esteve frouxa, senão já teria sucumbido)coloque seus pés no chão (os dois) e comece de novo. do zero. e se falhar novamente, comece de novo. e se der tudo errado outra vez, comece de novo. e se tudo parecer perdido, comece de novo... e de novo... e de novo...

Como disse Aristóteles, a virtude está no meio. O equilíbrio está no meio. Sendo assim, saia de uma ponta, saia da outra também, saia da beira, pare de olhar pra baixo.

Mas, comece do começo.

Olhe pra frente, depois vá levantando a cabeça aos poucos até chegar ao ponto de sem mesmo notar, já esteja olhando pra cima.

Você consegue. Acredite.

"Não precisa de ninguém" (veja bem, entre aspas) além de VOCÊ MESMA.

PS: FORÇA SEMPRE!

Alan Raspante disse...

Olha, já tem um booom tempo que eu leio, mas se você acha que realmente já deu, okay... Deixa pra lá, abandona. Será o melhor pra você, pelo menos.

É estranho, mas eu realmente espero que dê tudo certo pra você.

Espero que tu seja feliz mesmo.

Abs.

Anônimo disse...

Não abandone aqui, apenas escreva coisas mais amenas... vide os posts sobre seriados, filmes e BBB.
Eu faço isso no twitter, já fui muito escrotizada por expor tudo o que penso/acredito. Chega! rss

Beijo e força,

Mi.

mari disse...

TERAPIA! p mim tá dando certo! boa sorte!

Uma mãe que viaja disse...

Espero que vc se encontre nesse momento mais uma vez complicado.
Coloque sim a cabeça no lugar, repense as coisas, acho legal, pq vc está sentindo essa necessidade.
E se sair daqui por um tempo, teremos saudades, mas compreenderemos.
Força!!

constrangendo disse...

Não deixe o blog! Pufavor! Eu já fiz isso e me arrependi, minha terapeuta recomendou voltar e assim eu fiz. Tô com outro agora, novinho... Entendo de verdade que é um saco quando você posta algo e nego vem pedir explicação, mas além da gente sentir muita falta, você também vai.

;)

Elis Bastani disse...

PAtrícia,

Eu queria muito poder te confortar e animar, mas tipo, sou só alguém que lê seu blog.

Então, aposto que tem várias pessoas como eu, que nem te conhecem, mas queriam ser suas amigas e poder te dar força.

Sinto muito. Por tudo. Pela vida. Por como é difícil encarar tudo. Por ter que continuar quando só se queria encolher num canto e nunca mais falar com ninguém e fazer nada. Quando só comida e computador aliviam e nada resolve. Quando a vida parece estar parada numa pegadinha sem fim enquanto o tempo passa e as coisas continuam iguais. Sinto muito.

nah disse...

foi lendo esse blog aqui, que me senti GENTE.
pq eu me sentia coisa,um cocô em meio a um mar de bosta.
aqui me achei,"não sou a única".

espero mesmo q vc tenha vontade de voltar a contar tudo, desabafar.
pq como tem FDP aqui, tbm tem gente
que AMA te ler e que compartilha das suas opiniões.

É dificílimo botar a cara, vc foi corajosa.
Parabéns mesmo.

dê um tempo se necessário.
=D
FELICIDADES

Anônimo disse...

Caso este seja o último post, só queria demonstrar que nem só de dementadores vive o blog e tem quem torça por vc :) beijos de uma leitora assídua

Anônimo disse...

somos um bando de estranhos que torce por vc, querida!
Me vejo muito nas coisas que vc posta, não é apenas reclamação, a vida às vezes pega pesado com a gente e a gente tenta ironizar, rir da situação pq chorar também não leva a nada.
Só vc sabe o que é mehor para a sua vida, mas se for embora, sentiremos saudades (L)

Anônimo disse...

Gosto muito do blog. Adoro saber que alguém no mundo passa por situações parecidas com as minhas.
Me faz sentir menos só.
Espero que vc decida o que for melhor para você...se o blog acabar, quero que saiba que vou sentir sua falta. Eu já sinto tua falta quando demora a postar! É estranho como você nem sabe disso, mas te leio sempre. E gosto muito de você.
Carol

Anônimo disse...

é muito estranho entrar no blog de uma pessoa que não conheço e me emocionar com suas experiências tão difíceis e tão parecidas com as minhas. brega pra caralho, mas: com olhos marejados, digo boa sorte.
:*

Luciana disse...

Não se sinta uma fracassada, gata. Você é uma das poucas pessoas realmente inteligentes que "conheci". E, por incrível que pareça, sua inteligência é a razão de tanto sofrimento. Quem pensa sofre demais.

Quanto aos seus planos, vou te confessar uma coisa: nada do que planejei também deu certo. E sabe por quê? Porque não dá para controlar a vida. Ela é cheia de variáveis que pegam a gente de surpresa. Não se culpe mais por tudo. É muito desgastante viver achando que precisa carregar todo o peso do mundo nas costas. Você não precisa disso. E, por favor, não se menospreze. Você é foda!

Beijos!

Anônimo disse...

Patrícia quando li esse texto hoje só pensei "poxa vou sentir tanta saudade" e sério, só isso que consigo pensar, em lamentar pela saudade que esse blog vai deixar, isso aqui não apenas mais um blog que eu sigo, eu realmente adoro a pessoa que escreve nele,você,adoro o fato de sentir que aqui está a resposta para "Onde é que há gente no mundo?", é aqui que eu sinto que existe gente de carne e osso no mundo, aqui eu tenho esperança, eu espero que as coisas melhorem.Sim, eu espero. Admiro a sua coragem de ter chegado até aqui, desabafando e compartilhando alguns segredos, admiro porque sei que não é fácil. Eu sei. Quero crer que os bons comentários aqui no blog foram um estímulo pra você ter continuado com ele colocando tudo pra fora, o medo, o humor, o amor, as decepções, os desesperos e tudo o mais que te desse vontade. Quero crer que você não deixará de escrever mesmo deixando esse blog,não consigo mais pensar em nada pra falar agora,só sei que vou sentir saudades.

Anônimo disse...

pensei que vc estava sumida pq estava planejando as férias (afinal, a greve taí).

mas enfim, sobre os planos falhos, saiba que pra quase todo mundo é assim. o que diferencia uns dos outros é a habilidade de contornar os problemas e sempre seguir em frente.

Anônimo disse...

Se nao estiver mais gostando de escrever aqui é melhor da um tempo. Faça o q esta a fim. Vc é vencedora! Planos dão errado mesmo mas o erro é nao tentar e nao mudar! Na transição fica tudo confuso mesmo. Depois melhora!
Sentirei falta de ler seu blog. Vc escreve muito bem e além de tudo parece que esta escrevendo sobre minha vida tb. Te desejo o melhor!
Xx

Helena disse...

Olha, basicamente quase tudo que eu planejo para a minha vida acontece diferente do que eu desejei. O negócio é aprender a viver da melhor forma possível com o que se tem (tenho que internalizar isso pra não viver eternamente insatisfeita mesmo quando chego ao que eu almejei que, logicamente, nunca é como a gente acha que seria).
E, na boa, seu blog tá entre os meus favoritos porque você escreve o que pensa, sem as amarras do politicamente correto e sem aquele glamour e felicidade intensa que um monte de gente quer transmitir... Ou seja, acho que você passa muito a sua verdade do que você vivencia e dos fdp que insistem em povoar o mundo! :)

Anônimo disse...

DRAMA QUEEN

Patrícia, você chegou a um ponto de sua vida no qual se tirarem toda a tua autocomiseração, você vai desaparecer porque você praticamente não existe para além desse reme-reme.

Em vez de se esforçar tanto para ser a materialização de Selma Jezkova da Vila Madalena, que tal fazer algo em prol de si mesma além de se lamentar? Se nada mais der certo, se afunda no Prozac pelo menos porque daí você nos livra (e se livra, na sequência) de aturar tanto ataque de pelanca, francamente...

SilviaCris disse...

Patricia, eu não te conheço e nem vc me conhece...mas eu venho aqui todo dia na esperança de um conforto, de alguém que se sente como eu, que fala as coisas que eu gostaria de dizer...eu tô passando um momento muito difícil e só posso dizer que vou sentir muita saudade. beijos

AquilesMarchel disse...

então va se guardar para quando carnaval chegar

RiGs disse...

O problema é que todo mundo se identifica com alguns posts. Ninguém vive uma vida tao barra pesada. E mesmo q viva algo parecido ou pior, cada um lida com a sua vida-cagada de uma maneira diferente. Às vezes (varias vezes) eu queria que este blog fosse fictício. Boa sorte, moça! Sentirei saudades. E torcerei sempre por vc.

Mesquita disse...

Não acredito que vc abandonará o blog :((

Eu me identifico com vc pq tbm tenho uma vida cagada e os teus textos me fazem sentir menos só no mundo. Leio aqui desde o ano passado e depois não parei mais.

Torço realmente para que vc seja mais feliz!

Anônimo disse...

Eu não tenho a pretensão de achar que o meu comentário vai mudar a tua vida e, pra ser sincero, nem acho que tu vá ler. Mas vou escrever mesmo assim.

Um número enorme de leitores gosta de ti e quer teu bem. Abrimos o teu blog todos os dias para saber como tu tá, rimos com algumas histórias mas também nos sensibilizamos com muitas. Tu, como todo mundo, tem muitas pessoas que gostam de ti e algumas outras que não gostam também.

A culpa é um dos sentimentos mais destrutivos e, pelo o que eu vejo, tu tem muita dentro de ti. Culpas, frustrações... É péssimo, mas temos que aprender a lidar com isso. Aos poucos ir perdoando, ir se perdoando, e seguir em frente ciente que criar expectativas demais é o primeiro passo para se decepcionar.

Todo mundo fala pra ti sobre terapia. Vai mudar o teu passado? Não. Mas pode mudar a perspetiva sobre ele. Terapia é algo difícil, por vezes chato, doloroso, demorado... Mas que vale muito a pena com o empenho efetivo do paciente. Além do mais, assim como algumas pessoas tem problemas de coração, tireoide e etc e precisam tomar remédios, outras tem problemas bioquímicos no cérebro que propiciam doenças como a depressão e, para isso, há medicação para ajudar.
(acho importante lembrar que os psicoterápicos levam de 10-15 dias para fazerem efeito, é preciso persistir).

Eu posso te dizer que não te conheço as EU me preocupo contigo, EU te desejo melhoras e que EU sei que tu não sou o único. Resta tu saber que não está sozinha.

A força que tu precisa fazer é descomunal, eu sei, mas não há outro caminho que não esse. Divide com quem te é de confiança e faz, pois não há outro caminho.

Com carinho,

Arthur.

lorena disse...

POxa, leio seu blog há um tempo e sempre tive vontade de te conhecer, de ser sua amiga. Tudo por conta do que vc posta no blog e twiter. Quando vou à Vila Isabel fico olhando atenta pra ver se não te acho, rs. e Se achasse iria falar contigo! haha
Se sair mesmo, sentirei sua falta. Seu blog fica nos meus favoritos e td dia dou uma passada aqui! Estranho, né!?
Sou sua amiga e vc não é minha. Vida maluca!

Vítor L disse...

Patricia, sou mais um comentarista aqui. Acompanho você há alguns meses, mas já li tipo um bilhão de posts seus (beijos, sou desocupado). Faça o que achar melhor. Fique sabendo que tem quem realmente goste de você aqui.E está disposto a ouvir e pá. Talvez você guarde demais as coisas pra você, e isso não te faz bem. Te desejo sorte e força, e precisando, pode contar. Beijo

Andreza Alves disse...

Eu só acho que vc ganharia muito dinheiro com um blog que fqlasse sobre reality shows e as pessoas pudessem dar suas opinioes.
Vou sentir saudades se vc parar de escrever.

Beijo
Andreza, Miami Beach,FL

Anônimo disse...

Uma vez eu li :O que planejamos nunca acontece,porque o que temos em mente é ficção e acabamos nos decepcioando com a realidade.

Eu gosto muito do blog,da sua visão,modo de escrever.Será triste se esse for realmente o ultimo post,mas se é o melhor pra você.

Podias continuar a escrever sobre coisas não relacionadas a sua vida:BBB,filmes,series ,suvivor,etc.Pelo menos é uma forma de relaxar,creio eu.

Anônimo disse...

Espero que esse post seja apenas um "até breve".

Suelen Nunes disse...

Ah, poxa, não para de escrever não, Patrícia... ;_;
Assim como muitos leitores, eu venho aqui e super me sensibilizo com seus relatos. Me identifico bastante com as coisas que você escreve, acho que você dá voz aos sentimentos de muuuita gente.

Melhoras, dona moça! :)

pitwr disse...

Ja tinha percebido algum tempo que oa post ficaram menos dramaticos, acho que tipo assim anyway sabe? Whatwver

Anônimo disse...

patricia, só quero q vc saiba q te acompanho há mó tempão, li todos os seus textos (q abrangem 10, 11 anos da sua vida, certo? com alguns intervalos) já chorei de soluçar, já gargalhei, me identifiquei tanto que fiquei assustada, enfim. não vou dar conselhos...

só queria que vc soubesse que eu gosto muito de você e q vc é importante pra mim.

Luciene disse...

Patricia,eu nem me lembro quando comecei a ler o seu blog,vc tinha acabado de chegar em Jibs,eu acho. Recomendei esse blog pra amigas. Lembro que chorei algumas vezes,ri milhares de vezes e me identifiquei com alguem que assim como eu,dá voltas em si mesma e sobre pela culpa que carrega. Li este post a tarde,nao comentei e passei o dia todo pensando nisso. Voltei,li novamente e entendi que estava triste,pq nao havia me despedido. Obrigada por tantos textos bons,tantas risadas,tantas reflexões. Vc manda muito bem como escritora,e sei que é duro demais usar a vida como matéria prima.
Força pra seguir em frente,seja feliz. Não pq vc merece apenas,mas pq vc quer.

Angela disse...

Sou uma leitora regular do blog (tá nos favoritos aqui.do cel), mas entendo o seu sentimento em relação à falta d privacidade. Por isso hj tenho um perfil d Twitter sem minha foto, sigo quem quero, escrevo o q quero. N fiquei feliz pq parece q sucumbi e n tive forças p manter minha identidade, mas foi a maneira q achei p afastar os dementadores. Faça o q tiver q fz p se sentir melhor. E saiba q, existem os dementadores, mas existem os da torcida a favor, os q se emocionam c seus textos fortes e riem d chorar dos seus causos e opiniões.

Eduardo disse...

Eu comecei ler o blog faz pouquíssimo tempo e me apaixonei pela forma como encara a difícil realidade do que é a vida: cagando de suas desgraças. Você disse, o que seria para um garoto do cursinho que estava deprimido e se matando de estudar, algo como: "Vontade de abraçar e dizer que vai passar, mas oi, sabemos que não vai passar." Sabemos que não. Eu adoraria te abraçar e dizer que vai tudo vai ficar bem (embora queira acreditar piamente que sim). Mas sabemos que não, pelo menos não da forma que imaginamos. São mudanças pequenas que não damos devido valor -- sim, elas têm.

Faço das minhas as belas palavras da Elis. Muita gente que lê seu blog é igual a você. Pessoas que queriam da vida uma coisa e ela trouxe outra -- ou nada -- do que esperavam. Pessoas que veem dificuldades imensas em pensar positivo, do quanto venceu até chagar aqui, das situações horríveis que passou, mas se mantém de pé, porque há, obviamente, embora que quase imperceptível, esperança. De que fiquei melhor de uma hora pra outra sem que nos esforcemos um dedo para tal. Porque mesmo mexendo, elas não acontecem como queremos. E aparentemente para as outras pessoas parece tudo mais fácil. O blog mostra que não, que temos decepções, traumas, muita magoa.

Eu gosto de você porque de alguma forma somos parecidos -- como a torcida do flamengo que comenta aqui --, e eu, por incrível que possa parecer a quem me conhece pessoalmente, quero o meu bem. E te desejo o mesmo nessa vida opaca de tanta gente que ri pra não chorar. Nessa vida enfadonha que parece às vezes nos sufocar de tanta pressão para que conquistemos alguma grande realização pessoal e profissional que nunca vem. Gente cansada de esperar. De correr atrás e não encontrar. De bater na mesma tecla e nada.

Também, como a Elis, sinto muito. Por tudo também, pela vida, pela difícil sensação de estar andando em círculos ou de estar parado por tanto tempo no mesmo lugar. Faz o que te der na telha. Não se sinta pressionada a continuar se isto a está fazendo mal de alguma forma. Enfim, essa vida é foda, e embora acredite que não, você também é.

Luisa Maria disse...

Sou mais uma leitora que se identifica muito com vc. Sentirei demais sua falta, deste blog que é leitura diária e obrigatória. Como já disseram: nada, ou quase nada do que planejamos acontece do jeito que planejamos. E isso até é bom, nos deixa ligados, interessados no porvir. A dor vem quando só acontece o não-planejado que não nos faz bem, não nos faz crescer, que derrubam a gente, não é mesmo?

Vc escreve bem demais, sabe como poucos expressar essas coisas que nos vão na alma. Sentirei saudades, mas prossigamos. Se é isso mesmo o que vc quer, que seja para o teu melhor.

Bjs!

Anônimo disse...

o seu desabafar diário me permetiu escrever, mas entendo quando diz que o anonimato é melhor....
http://aluzqvemdoceu.wordpress.com/

Anônimo disse...

Vou te contar uma coisa Patrícia: acompanho o seu blog a algum tempo e nunca fiz um comentário. Acompanho seu blog não pelo quevocê escreve aqui, mas por que você uma pessoa de personalidade.
Existem muitos blog na internet mas esse aqui, e particularmente esse, é XXX. Eu consigo ver você por trás de cada linha. Cadê xingamento ao Forrest. Cada presepada no seu condomínio. É tudo muito verdadeiro. Rio das coisas que você fala e acompanho suas opiniões como acompanho uma novela. Sua vida é bizarra, mas em um sentido positivo.
Ainda que você tenha passado a contar todo o resto em um e-mail separado, faço um apelo para que não nos prive de continuar a assistir o seriado mais fantástico que a humanidade já viu.

Anônimo disse...

Patrícia o Brasil te ama. FICA

Anônimo disse...

Fica, Patricia. Curto muito sua visão tão acida e ao mesmo tempo tão verdadeira da vida. Todo dia acesso o blog, como vai ser daqui para frente? A vida já tira tanto da gente, e agora vai tirar você também ?

Rosana Tibúrcio disse...

Estranho... eu não entendi que você vai deixar o blog e sim que está sem vontade de escrever.
Isso acontece, essa ressaca é normal; quem tem blog, ao que me parece, passa por ela.

Percebo muito mais um cansaço e tristeza para além do blog, para além das coisas que você nos conta. E sinto tanto que seja assim.

Desejo que você consiga solucionar coisas bem maiores e sofridas do que a saída de Jibs e a não presença de Forest no seu dia-a-dia (né possível que ele foi junto... rs). Essas duas coisas devem ter sido boas, mas certamente não é o que mais te aflige.

Todo meu carinho.

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus ,se for pra escrever somente sobre bobagens como Fazenda,BBB e etc,como sugeriram aí, é melhor parar mesmo,pois todo mundo sabe que a histórias mais interessantes,ainda que tristes,são as que vem da sua vida.Força aí,mulher.

Engraçadinha disse...

É...

Anônimo disse...

Força Patrícia... *-*