segunda-feira, setembro 17, 2012

as pessoas são ridiculamente iguais

Estou há dez dias no novo trabalho e já tive 3 chefes diferentes. Como me disse uma cliente "assim é bom porque você nem tem tempo pra falar mal deles kkkkkk". Não sei se rio ou se choro.

A única coisa boa que posso extrair é realmente não ter mais que lidar com Forrest, um dementador do nível mais alto, melhor amigo do Voldemort.

Acho engraçado que a gente muda de ares, mas as pessoas parecem iguais, né? Tem um poema do Drummond que fala sobre isso, poema aliás, que esteve na prova da uerj esse domingo. E não posso deixar de dizer que sempre chego cedo nessas provas e me mijo de rir com a galera que perde o horário e se fode, mas opa, quase aconteceu comigo pois esqueci meu rg em casa. Volto correndo de táxi e ainda escuto esporro da minha mãe. 29 anos, Brasil. Há limites para uma pessoa ser tão ridícula?

Mas voltando ao poema. As pessoas são iguais em todos os lugares. Tem o Forrest II agora, homem velho, mas possuidor das mesmas joselitagens do original, apenas me pergunto "por quê, meu deus?". Allan vive indo no meu trabalho (outro ponto positivo, trabalhamos colados um do outro, saímos em dia de semana pra tomar chopp ou almoçamos juntos), daí esse Forrest fica de risinho naipe Nilo "hihihi ele é seu namorado?". Meu senhor, quantos anos você tem? 55? Jura que vai fazer a mesma piada que o Eduzinho fazia na 2° série? Não tenho palavras para definir o asco. Ainda bem que Forrest II não é do meu setor.

Rola uma Odete Roitman também. Mulher escrotíssima que não é a minha chefe, mas se posiciona como. Essa semana me ordenou uma parada, eu Q. Ri e saí da sala como se nada tivesse escutado, ficou super sem graça e me pediu "por favor, é que isso não é da minha alçada blablabla". Hoje, depois que fechei tudo, ela queria um outro favor. Claro que eu poderia abrir minhas coisas novamente, mas quem disse? Querida, por hoje eu encerrei, abraços. Passa o dia pendurada no telefone resolvendo problemas pessoais e ainda vem atrapalhar o meu serviço? Não tenho a menor paciência.

Esse é o meu novo ambiente de trabalho.

13 comentários :

Anônimo disse...

E eu que perdi a inscrição... Se te serve de alento, eu trabalho com o Nilo em pessoa, só falta a barba... ele ri igual, é alcoolatra - serviço público e os tipos excelentes que nele trabalham - não pode ver comida que avança e é agressivo... dia desses fizemos uma festa e ele tomou um porre, com um litro de vinho que ele mesmo levou. Resultado? Avançou pra bater na chefe e ela com medo saiu correndo e se trancou na sala dela....

Pelo menos vc tá perto do seu amigo, tá conhecendo gente - gentalha, ok - nova, tá vivendo, as trancos e barrancos... o que não mata deixa mais forte. Vc é o exemplo disso.

Ana P. disse...

sei lá, lembrei daquela frase "o inferno somos nós". eu acredito nisso, e eu sei que a insuportável na verdade sou eu, por não aceitar.

não importa onde você trabalhar, as pessoas serão escrotas sempre.

difícil ter que aceitar isso e sorrir. tem gente que consegue. eu admiro essas pessoas.

Daniel disse...

Sinceramente? Trabalhar é uma merda! Meus parabéns pra quem gosta, eu destesto. Trabalho por necessidade, caso contrário tava fazendo trabalho voluntário. Definindo trabalho: ter hora pra acordar, pra dormir, pra tomar banho, pra escovar os dentes, pra sair de casa, pra ficar preso no trânsito, pra cumprir "x" horas todos os dias trancado dentro de um local com pessoas que, se não fosse essa situação, vc jamais teria qualquer tipo de contato, voltar pra casa mega cansado e se preparar para no dia seguinte aturar tudo isso outra vez. PORRA, meus parabéns mesmo pra quem gosta.

Anônimo disse...

Concordo com o anônimo acima. Trabalhar é enfiar o orgulho no ** diariamente. Acenando e sorrindo.

Força, gata.

Mi.

Lai disse...

Também faço das palavras do anônimo acima, as minhas.

Só acrescento, o fato de depois do expediente, ter que ir pra Universidade, que fica em outra cidade, e ter que aturar todo tipo de gente asqueirosa.

Anônimo disse...

Tem que responder assim para o Forrest II: "e se ele for o meu namorado, qual o problema? Aliás, o que você tem a ver com isso?"

Anônimo disse...

e como foi no vestibular? fez pra letras?

JORGE ALISON disse...

E bola pra frente.

RiGs disse...

Como foi o vestibular??? Se vc passar, eu vou no primeiro dia de aula só pra te conhecer!!! Hahaha. #stalker
Gata, eu tô é tu se estresse com essa gentalha!!! Tu leva a vida muito a sério!!! Só quem se fode é tu.

Neide disse...

Como o cara faz gracinha com quem mal chegou? Sendo assim, como sou espírito de porco, responderia: "Por que tanto interesse? Sinto lhe dizer, mas o fulano é hétero (mesmo que não seja). Parte pra outra, meu caro". Eu lá vou me aborrecer com um tosco desse? Acharia graça.

Léo disse...

Concordo com o Daniel. Até gosto de trabalhar pelo fato e perspectivas de aprender coisas novas e novos amigos. De resto, nada pode evoluir, só a conta bancária. (serve para empregados ou empregadores)

Natália T. disse...

E um chefe meu que insistia em dizer que um colega meu era apaixonado por mim - assim, na frente de todo mundo, inclusive do colega. E o colega era um 'forrest' da vida, que eu odiaaaava e que, além de tudo, pagava de machão mas eu tenho CERTEZA que era uma enrustidona. E eu tinha que ficar ouvindo a porra do chefe dizer 'ai, natália, ontem seu namorado veio aqui lhe buscar e o FULANO quase chorou de ciúmes... pode isso não!'. E a porra do FULANO nunca se defendia. Aquela mosca morta idiota. Chefes: nunca tive um bacana. São todos uns toscos.

Ronise Vilela disse...

OMG! Essas personagens no ambiente de trabalho só mudam o RG mesmo!
O que me faz pensar: somos robôs e precisamos de um Tyler Durden (Fight Club)