segunda-feira, agosto 27, 2012

quantos idiotas vivem só

Uma vez, ainda criança, tive um sonho.

Que eu tinha feito uma merda absurda e daí deus me disse "você tem como voltar atrás e consertar, mas pagará o preço x e não se lembrará de nada".

E aí eu acordei, e por mais absurdo que fosse, acreditei naquilo. Que essa merda da qual eu não me lembrava, tinha mesmo acontecido e eu tive a chance de voltar. E todo mundo tinha a chance de voltar. Só uma vez na vida. E todo mundo sabia das consequências.

Funcionava mais ou menos assim. Você tinha uma única chance na vida de consertar um erro e isso lhe custaria um preço alto. É uma escolha difícil.

Eu pensava, ainda criança, que o preço pago ali fosse a relação com o meu pai.

Pensei em tudo que justificasse as coisas ser como eram. Pensei em infinitas possibilidades.

- Matei inocentes.
- Fiz sofrer quem não merecia
- Expus pessoa correta ao ridículo em praça pública

etc.

E não consegui chegar nesse senso comum. Não consegui chegar nessa merda que eu tenha feito para justificar aquela realidade. Porque eu jamais trocaria todos os erros pensados com aquela realidade. Fico com a sensação de que aconteceu mesmo essa escolha, mas nossa, o que poderia ser?

Quer dizer, algo eu fiz. Mas que erro grotesco foi esse para pagar o preço que paguei?

Em algum momento fiz uma escolha e não consigo me lembrar.

Pensava nisso aos 10 anos e hoje ainda penso assim.

16 comentários :

A Princess On a Tangerine Tree disse...

Algumas vezes eu também chego a acreditar que só pode ser cármico mesmo, sei lá...

Anônimo disse...

Escreve teu livro nisso. Patricia prêmio Nobel aos 60, sempre acreditei, gata.

Natália T. disse...

Abortou teu pai. Eu boto fé que eu abortei o meu na vida passada. Só pode ter sido isso...

Anônimo disse...

Tenso '-'

marquinhos disse...

intuição, essa dádiva! valorize-a!
tá na cara q vc naum eh qq uma, Patrícia!
Mesmo c suas idiossincrasias vc tem qualidades e nunca está sozinha!!! :)

Anônimo disse...

Me senti em "Efeito Borboleta"...

Mi.

Vítor L disse...

Patrícia: Soa (e é) brega e clichê: Mas conta comigo, me abraça. Não posso dizer que vai dar tudo certo, mas acho que dá pra acreditar que, pouco a pouco, vai tudo melhorar. Pelo menos você tá no Rio, tem o Alan, tem sua mãe, você não tá em Jibóia city. Comemoremos.

Uma mãe que viaja disse...

Eu acho que esse tipo de pensamento tem a ver com a forma que fomos criados. Tudo é uma questão de visão. As coisas acontecem de forma que possamos aprender, criar uma bagagem, crescer. Somos sim responsáveis por nossas escolhas, mas não escolhemos tudo. Eu não escolhi ter um filho especial, não creio que tenha feito algo errado para merecer enfrentar as dificuldades que enfrento, mas decidi melhorar e crescer com isso. Existem questionamentos q não devem nos consumir, não se consuma com este. Uma hora, a verdade aparecerá, qdo vc estiver pronta para compreendê-la, beijos de quem sempre questiona tudo e mtas vezes não entende nada rss

Engraçadinha disse...

Não importa o que foi, importa o que será.
Passado passou. Um dia certamente vc vai saber.

O Guri disse...

Ah Patrícia eu não sei o que te dizer. Faz tempo que eu te acompanho e já li quase tudo o que você postou nessa bagaça. Eu sinceramente acho que você devia procurar um psicólogo. Faz bem pra gente que nem nós. Eu gosto da minha, melhorei em vários sentidos.

Sobre o sonho, bem... faz um tempo que isso cessou, mas quando as coisas não vão bem eu tenho pesadelos horríveis, de sair gritando pela casa. A psicóloga até tem me ajudado a passar essa fase.

Acredito que aí onde você mora deve haver bons profissionais. E lembre-se que só estou falando isso porque me preocupo com você, mesmo sem te conhecer.

Abraços,

O Guri

Anônimo disse...

Kardecismo taí e explica, ou diz que explica, isso que você sente.

Anônimo disse...

Tenho total respeito por ti ou por qualquer outra pessoa que pensa assim,mas não aceito isso pra mim,não faz sentido,eu já pago pelos erros(inúmeros)que eu cometi nesta vida,que dirá de outra,que é uma coisa que eu também não acredito.Olhei pra trás,e não resolveu,olhei pra frente,e resolveu menos ainda.Então eu olho pro agora,que é única coisa que eu tenho de verdade na minha mão e é uma das poucas que eu ainda boto fé.

Patricia C. disse...

Pelo amor de deus (rysos) sou ateia. o post é sobre um SONHO e não sobre a minha perspectiva das coisas.

Anônimo disse...

Oi Patricia, eu acompanho vc já tem uns 4 anos mais ou menos, toda sua saga em jiboia city etc... e entendo profundamente toda essa vida cagada a qual vc foi contemplada com gente pau no cu no caminho... Quero apenas te dizer q tinha muito mais no estoque pq tbm fui contemplado com uma...
e mega, super, ultra me identifico com vc... gostar de Reality, pai FDP, e etc...Caso vc encontre um planeta vazio manda ae o preço do terreno q tbm quero mudar p lá.

Um bj no seu coração...
de um admirador
Ricardo.

Anônimo disse...

acho que eu só cometi um erro até hj: ter nascido. o resto, é consequência desse.

Anônimo disse...

Cadê tu?Atualize,please.