quarta-feira, dezembro 14, 2011

kd o meu conto de fadas?


Estava hoje no ônibus escutando samba para ver se me animava e evitar o constrangimento de chorar MAIS UMA VEZ dentro do 222. Aliás, devo ser conhecida como A DEPRESSIVA DO 222. Se pá o próximo episódio da nova temporada de As Cariocas na globo. Sei que fiquei me perguntando, eu sempre me questiono e tal, de como ainda, apesar de tudo, a surpresa existe. COMO, meu deus, após tudo, eu ainda ficar surpresa com determinadas coisas. Deveria me acostumar já que é comum. E pensei que o grande problema da humanidade é começar a infância lendo/ouvindo contos de fadas, porque a gente sempre fica com o sentimento de que irá melhorar, que se pá um dia, após tanto sofrimento, a vida irá sorrir. Mas nunca chega o dia, sabe. E você apenas segue tomando no cu.

Eu não sei quando começou essa coisa de guardar. As mágoas e tudo mais. Posso lembrar de episódios, mas não foram ali, foi antes.

Nas homenagens aos dias das mães e dos pais, quando nenhum dos dois podia ir. E sempre ficava ali, todas as crianças do coral com algum pai ou alguma mãe na platéia e opa, ninguém foi para me ver. E, para tornar tudo ainda mais uma piada, incrivelmente, apesar da voz horrível hoje em dia, eu era a melhor aluna do coral. A voz mais bonita cantava para desconhecidos. A professora tinha pena, né. Vinha falar comigo depois.

Essa, claro, é a história mais leve.

Essa, claro, não é a história principal, pois afinal de contas, nem contar a história principal eu posso. Até isso me é negado.

Acho que acontece com tudo mundo. Todos têm uma história para contar, mas a maioria supera. E eu acho que não sei superar porque em nenhum momento a vida sorriu. Nem antes, nem depois. A recompensa nunca veio. Tipo o cara pobre, com a vida fudidíssima que sonha em virar jogador de futebol e olha que maravilha, realiza o sonho. Tipo Madonna que foi para NY com 20 doláres do bolso. Não, não quero a fama. Não quero riqueza (mentira, quero sim, mas não é esse o ponto). Eu quero as coisas mais simples. O dia mais feliz de 2010 foi quando fui ver Harry Potter em Sinop e comi no giraffas (lá nego não trabalha com mc donalds ou bobs). Quer dizer, me fazer feliz é a coisa mais fácil do mundo. Mas aparentemente ninguém quer.

13 comentários :

guilherme disse...

Poderia comentar tanta coisa sobre esse texto, mas só digo que te entendo perfeitamente.

Mergulhar em música, filmes e livros pra esquecer que a realidade é tão vazia é uma saída.

As coisas do lado de cá melhoraram por enquanto. Mas eu sei bem que não posso deixar me levar e baixar a guarda, porque os tombos são frequentes e recorrentes.

E olha, eu queria descansar no meu quartinho em Santa Cruz só isso me bastava. Mas, como sempre, não fui bem vindo no final das contas.

Então o que fazer? Pegar o que resta, se resta alguma coisa, e seguir em frente.

Beijos

Vanessa S disse...

Poxa, sei bem como é. E sabe quando as pessoas te falam: mas chegou ao fundo ao poço, agora é só subir; depois da tempestade vem a bonança?

Pra mim nunca funcionou. Depois do fundo do poço só me ferrei mais e mais. Parece que não tem fim.

Nathy K. disse...

hahahahahaha é muito assim, "você apenas segue tomando no cu". também culpo os contos de fada, pq graças a eles eu fico esperando o príncipe encantado maldito que nunca surge, e fico esperando o dia em que vou deixar de ser gata borralheira pra ser princesa, mas esse dia nunca chega.
pense pelo lado positivo, pelo menos harry potter te faz feliz. :D hahaha

Inaie disse...

ah que ja me deu vontade de escrever um livro comentando sobre o seu post.

Patricia, correndo todos os riscos de ser "lugar comum", eu acho que voce nao vai mesmo ser feliz. Nao vai ser feliz por que voce esta esperando que os outros te facam feliz, e a felicidade, a felicidade verdadeira, vem de dentro.

Ela brota de voce, nao "chove"em voce.

E eu, que estou profundamente infeliz esse ano, apesar de todos os sorrisos e de todas as gargalhadas de faz de conta, espero que a felicidade brote em mim outra vez. E brote em voce tambem.

Eu posso dar pitaco, posso por que estou fazendo TRES terapias diferentes no momento ( por que eu sou uma pessoa normal...kkk). E por que nao consigo admitir a possibilidade de naos er feliz, de nao ser verdadeiramente feliz.

Ate uns dias atras, eu ficava esperando que os outros fizessem isso, fizessem aquilo, pra me deixar feliz. Hoje aprendi que nao importa o que eels facam, eu nao vou ser feliz enquanto nao encontrar a essencia, a fonte da minha felicidade.

Enquanto eu nao olhar no espelho e descobrir quem eu sou e a que vim.

As magoas sao muitas, as feridas estao abertas e sangrando. NAo sao como as suas. As feridas nunca sao iguais, mas tambem sao feridas, e para mim sao as mais doloridas, por que nao minhas.

Mas hoje, eu escolho ficar lambendo cada uma delas, ate elas cicatrizarem. Por que ninguem merece que eu passe a minha vida sofrendo. Ninguem merece que eu deixe de ser feliz por que os incentivos externos nao vieram ou vieram errados.

mil beijos e se cuida pq so vc pode fazer isso.

inaier.blogspot.com

Gui disse...

O começo desse texto foi exatamente uma conversa que eu tive semana passada, sobre guardar as coisas. Com a diferença que, no meu caso, de tanto que eu guardei, eu não consigo mais chorar e tentar esquecer. Elas tem que ficar aqui até quando quiserem...

Anônimo disse...

Querer, de um jeito ou de outro, alguém sempre quer (fazer a gente feliz)... o problema mesmo está em conseguir, ainda que a gente dê uma força, ou mesmo que não dê.

"A voz mais bonita cantava para desconhecidos." <-- frase bonita, mas se essa beleza cruel é parte da vida, fazer o quê... os passarinhos também cantam pra desconhecidos (/coisa tosca de se dizer), e ninguém os acha mais ou menos importantes; bonitos ou felizes por causa disso. Acho que eles também não...

Ju disse...

Leio o seu blog há um tempão, nunca comentei mas me divirto com ele. Mas já que vc coloca a coisa pública, resolvi comentar, mesmo sabendo que vc esculacha as pessoas que não concordam com vc! Enfim, eu já tive uma época assim... e às vezes, na TPM, isso volta. Não vou dizer que tenho grandes mágoas e blá blá blá Mesmo pq, isso não é um concurso de quem é mais sofrido. O que eu quero dizer é o seguinte: pára de sentir pena de si mesmo, pára de ficar analisando o passado. Isso só faz mal a vc... isso não muda nada na vida das pessoas que te prejudicaram. E nem vai mudar o passado. É foda? É. É revoltante? Também é! Mas a partir do momento que vc se enxergar como uma pessoa forte, que pode dar a reviravolta na sua própria vida, isso começa mudar. Aos poucos, é claro. E não que a vida vá virar um musical da disney, mas vai ser mais suportável. Espero ter ajudado, pq gosto de vc mesmo não te conhecendo.

Mariana disse...

Você descreveu o que sinto, e realmente a pior coisa é acreditar que a vida um dia vai ser como no conto de fadas... (no fundo eu ainda tenho esperança que seja, que ridículo né)
Mas sabe...eu sei que a culpa é minha da minha vida ser assim.
É triste saber disso, mas a verdade é que eu não tenho força pra ser totalmente feliz, e fico pensando que a culpa é do mundo.
Me dói admitir isso, mas eu sei que é bem isso a verdade...e talvez seja também no seu caso Patrícia.
Nós somos as vítimas de nós mesmas.

Beijo.

Bárbara disse...

Viu, mil pessoas se sentem assim também. A vida é uma facada no cu a cada minuto.

ngm nunca ia me ver também.

Anônimo disse...

Gente, não fazia idéia que a Madonna foi pra NY com 20 dólares no bolso. Surpreso

Anônimo disse...

mas, ju, eu acho q a questão não é nem revirar o passado. é ver q o presente tá uma bosta e tentar lembrar de uma coisa boa pra se apegar... e não ter nada, ou quase nada. sabe, pra conjurar o patrono? não tem. no meu caso, eu passei boa parte da vida idealizando o futuro. e as coisas não aconteceram como eu queria, claro. e aí eu desisti de pensar no futuro e só pensar no presente. mas dá uma sensação de falta de rumo. eu queria realmente n pensar nas coisas ruins do presente e só continuar vivendo olhando oq há de bom, mas é difícil.

André disse...

Nossa, como vc sofre, né? Só vc tem problemas...

Só vc não tinha seus pais nas festinhas. Mas, né, pobre da sua mãe devia estar trabalhando. Só ela. A única mãe que trabalhava, imagino. Coitada...

E claro, todo teu passado é pesadíssimo. Tanta tragédia. Nossa. que dó.

E DUVIDO que seja tão fácil assim te fazer feliz. Tudo vc reclama, tudo tem algo errado, tudo é causa pra vc se vitimizar. Será que no feliz dia de HP e Giraffas vc também não se fez de vítima com o discursinho de "Aí, coitada de mim, aqui no cu de judas comendo em fast food tosto... Bem que podia estar no Rio" ???

Aposto que tua mãe prefere ficar com a tua tal família horrível do que te aturar de perto. Tu é osso!

E se procurar ajuda vc não quer (pelas n razões que vc sempre inventa pra continuar com a muleta de vítima ao invés de se portar como uma adulta da tua idade e admitir que SIM, A VIDA É DURA) se mata logo, gata. Esse mundo não te serve, mesmo...

Anônimo disse...

andre, seu cuzao, da uma busca pelo blog e ve se ela n disse q aquele foi o ponto alto da vida dela em sinop (ou sei la onde).

e vc é tao bem resolvido q sente uma necessidade patologica de vir no blog de uma pessoa q vc nao gosta pra tentar fazer ela se sentir pior. meus parabens.