terça-feira, outubro 25, 2011

walter bishop me entenderia

Muita gente tem falado da ajuda. Que eu prometi que quando voltasse, iria procurar ajuda e tal. E eu realmente acho que preciso, não sei ainda como funciona, sei que o plano de saúde cobre psiquiatria, mas muita gente indica analista/psicólogo e, sei lá, é difícil até escolher a ajuda né. Tipo quando você precisa comprar um computador e tem tanta opção que você se perde. Na verdade nem tenho opção porque a única via é o que o plano de saúde cobre. Não tenho dinheiro para fazer plástica, quem dirá para pagar psicólogo, desculpaê, prioridades.

Então, teve esse dia em 2006, quando eu saí de casa para resolver coisas, sacar dinheiro, pagar contas, resolver todos os pepinos porque mamãe estava, mais uma vez, em Minas. Peguei um ônibus na Teodoro da Silva, sentei, como de costume, lá atrás e brequei. Chorei de soluçar, com nego fazendo roda em volta perguntando se eu estava bem. Tô ótima hein. E eu desci na Manoel de Abreu que é tipo a continuação da Teodoro da Silva, eu não fiquei mais do que 6 minutos no ônibus. Desci, atravessei uma rua e fui pegar outro ônibus de volta para casa. Veja bem. Eu tinha o que fazer na rua, eu tinha contas para pagar, eu tinha que pegar não sei o quê no trabalho da minha mãe, mas não consegui. A tarefa mais simples. Crise de pânico. Medo de ver as pessoas, medo de con-vi-ver com as pessoas, meu deus, o quê que eu estou fazendo aqui? Lembro de noite quando a minha mãe me ligou e eu disse "perdi o horário, dormi", é sempre melhor mentir do que contar a verdade. Não levaria mais problemas para quem já tinha um monte. E ainda tive que escutar todo o sermão dela sobre ter responsabilidades.

E então semana passada eu saí e quase aconteceu a crise. Chegou no quase mesmo. Parece que era uma soluço que ia sair da boca, mas engoli o soluço a seco. Volta aí pra dentro, que você não vai dar o ar da graça hoje não. Nesse naipe. Cheguei a fazer respiração cachorrinho das grávidas. A diferença é que eu não queria parir o ataque.

Lembrei do Walter Bishop saindo do laboratório depois de trocentos anos. Mesmo medo, enfim. Medo de tudo voltar. Principalmente porque tem o retorno da mamãe e eu preciso estar bem para recebê-la e tem o fim das férias. Ainda não sei bem como agir.

Depois de ter engolido a crise goela abaixo, cheguei no trabalho. Brinquei com todos, distribuí alfajor, entreguei os perfumes que me pediram no free shop e tal. Quem vê, mesmo de perto, certamente acredita que está tudo bem. Dentro daquela coisa que fingir, depois de stalkear, é o meu maior talento. Fico pensando como será quando eu não conseguir fingir mais.

Tenho ligado pra psiquiatra que me atendeu em 2009, mas nada, chama até cair. E apesar dela ter sido grossa e ser surda, voltaria nela porque já teve um laço estabelecido. Maior preguiça do mundo em procurar outra pessoa que atenda meus requisitos doentes: ser mulher, velha e ter um nome razoável. Essa de 2009 atende todos os meus requisitos, bem que poderia atender também o telefone.

28 comentários :

Nara disse...

Também tenho dessas. Tomo remédios e faço terapia. Minha psicóloga é velha e tem um nome chique. É fumante e parece uma tiazinha de novela da Globo. Tipo personagem da Arlete Sales. É psicóloga de posto de saúde. É só chegar no pronto socorro com uma crise e te dão uma guia rapidinho pra psicólogo e psiquiatra. Além de te doparem com diazepam. De qualquer forma é completamente psicológico isso, se você quer realmente se curar, vai ter que entrar na terapia. Não que só isso resolva; eu por exemplo, prefiro não sair de casa mesmo...

Ashen Lady disse...

Minhas exigências são duas: tem que ser mulher e tem que ser atéia. E olha, tá difícil.

Vanessa Negrão disse...

ai, amiga. queria poder fazer mais por você.

um abraço que fosse e tal.

merda.

Taynná disse...

Sabe o que eu acho? (Lógico que não sabe, você não tem bola de cristal!)
Acho que você devia fazer terapia, muito simples minha resposta, mas nem é, eu sei... Tenho lá minhas crises sabe, nunca diagnosticaram nada porque não deixo, não vou no psicólogo, minha mãe tem depressão e eu preciso ter força pra dar pra ela, já pensou se eu piro também? O que ia ser de todo mundo aqui em casa?
Ai eu procuro terapias, coisas que me animam... Ando com uma preguiça surreal de sair de casa, chega terça-feira que é véspera do dia que eu dou aula e eu quero morrer porque não quero ter que sair de casa para trabalhar... O que eu faço? Choro. #fato.
Eu choro. Mas daí eu procuro alguém, aperto bem a mão, assisto Grey's Anatomy e bem, sou adulta né?
Sacomé, tenho que ir trabalhar mesmo assim.
Um testamento da minha parte para dizer que fácil não é não, nem precisa que eu diga isso, você sabe. Mas tem que tentar. Indico uma psicóloga se você quiser.

Anônimo disse...

uma amiga minha, uma vez, desatou a chorar depois de assistirmos o filme Efeito Borboleta no cinema da faculdade.

Eu fiquei do lado dela sem entender. Porque, pra quem está do lado, se a pessoa não está com uma perna arrancada ou vomitando sangue, deveria estar tudo bem.

Você não deve desculpas para as pessoas que passam por aqui. Se você não quer mexer nisso, simplesmente não mexa.

Aí dentro, deve doer bastante. Porque, não é uma bobageirinha que mexe com essa minha amiga, então eu acredito que o que a fez chorar naquele dia não é uma coisa atoa.

Com você deve ser a mesma coisa.

gláucio s. disse...

ai, eu nunca sei o que comentar nessas horas, mas queria aí pra te dar um abraço, sabe? sei que talvez não ajudasse em nada, mas ao menos seria algo sincero. a gente nem se conhece, nem nos falamos direito, mas nesse tempo que leio o blog criei um carinho enorme por você.
passei por uma surtada básica agora há um mês, eu tava pirando. eu já tenho tendência a isso, minha família toda vive a base de remédios, mas nunca me deixei abater, até agora. foi uma situação bem da crítica, de chorar alguns dias em sequencia, mas aí parei um pouco, respirei, ponderei algumas coisas, tranquei o tcc e agora já me sinto melhor. enfim.
se precisar de alguma coisa, pode contar comigo, no que eu puder! :D
e quando eu for outra vez pro rio quero te veeer, sou seu fãaa (fui agora em agosto, mas fui com mais gente e blah, foi tão corrido que nem deu pra fazer muita coisa :/).
beijão.

Jackie e Rômulo disse...

super me identifico. saí do trabalho em 20009 pq nao queria ver ng.
qiueria ficar em casa. posso?
nao. a sociedade precisa que eu diga que eu prefiro estudar outra coisa,investir na carreira.
ontem nem vim pra aula. na ultima semana o onibus tava cheio e nao posso com isso. disse que passei mal. pronto.
bjs,

Rosana Tibúrcio disse...

Torcendo muito pra médica te atender ou você criar coragem de procurar outro profissional ou de pedir para alguém que te quer bem te ajudar a escolher.

Eu sei que é muito difícil esse primeiro passo, parece que há peso no calcanhar, mas você vai conseguir. Torcendo muito daqui.

Anônimo disse...

Patrícia,

Um dia de cada vez. Você sabe que precisa de ajuda e começou a tomar iniciativa quanto a isso. Já é uma grande vitória. Logo logo você acha um especialista que atenda os seus requisitos, seja psiquiatra ou psicólogo e, com tempo, as coisas começam a se ajeitar.

Aproveita que a sua mãe está voltando. Colo de mãe sempre é bom e nos acalma.

Enquanto isso, posso te dar um abraço bem forte, ainda que virtual?

Bia disse...

Olha, sem savanagem, n acho q vc deva ir a mesma psi não. Se a mulheré grossa e se faz de surda, qual o sentidode vc contianur indo lá ?
Creio q deve ser chato repetir td de novo, criar um novo vinculo cm outra pessoa, ms n ha entido em vc pagar para uma pessoa q n te escuta.
Minha prima estava frequentando uma psi, e a criatura DORMIU enqto minha prima falava rsrsrs. Pelo menos as consutlas eram gratuitas rs.

Anônimo disse...

em meu coração tem um pássaro
que quer sair
mas eu sou mais forte que ele,
eu falo, fica aí dentro, eu não vou
deixar ninguém
te ver.

em meu coração tem um pássaro
que quer sair
mas eu taco uísque nele e respiro
fumaça de cigarro
e as putas e os barmen
e as caixas do mercado
nunca sabem que
ele está
aqui dentro.

em meu coração tem um pássaro
que quer sair
mas eu sou mais forte que ele,
eu falo,
fica na tua, você quer me pôr
em apuros?

em meu coração tem um pássaro
que quer sair
mas eu sou mais esperto, só deixo ele sair
de noite às vezes
quando todos estão dormindo.
eu falo, sei que você está aí,
então não fique
triste.

daí o ponho de volta,
mas ele ainda canta um pouco
aqui dentro, eu não o deixei morrer
totalmente
e a gente dorme junto desse
jeito
com nosso pacto secreto
e é bem capaz de
fazer um homem
chorar, mas eu não
choro, você
chora?

Charles Bukowski, poema “O Bluebird”, do livro “Essa loucura roubada que não desejo a ninguem a não ser a mim mesmo amém” (7 Letras, pg. 155)

Anônimo disse...

ai, patricia, posso dizer? morro de medo de remédios e psiquiatra só serve pra isso. to nessas de falta de vontade de sair de casa também, se deixar eu fico um mês inteiro trancada. só saia pra ir estagiar pq era obrigada, agora q to desempregada, to nessas de novo

Anônimo disse...

tb n posso com onibus cheio, como a jackie. nem dia quente, dia chuvoso... TUDO é motivo pra querer voltar pra cama. sei q isso não é normal, mas n posso me dar ao luxo de surtar. sim, pq surtar é um luxo de quem sabe q tem alguém ali pra segurar as pontas q a pessoa não aguentou. e eu sou sozinha e ainda tenho uma mãe doente pra cuidar. um beijão pra vc, só posso te desejar força e disposição

Anônimo disse...

patricia, vc vai me achar psicopata agora, mas minha intenção é ajudar.

no meu stalk frenetico sobre vc, descobri seu processo no tj (porra, muito antigo, hein). n sei se vc sabe, mas a vaca da sua advogada abandonou a causa há uma semana e estão aguardando vc se manifestar, constituir novo advogado, qualquer coisa do tipo, sob risco de extinção do processo. se liga ae. beijos

Anônimo disse...

19/10/2011
Descrição: CERTIFICO E DOU FÉ QUE NÃO SE MANIFESTOU A PARTE AUTORA, E QUE PROCEDI À ALTERAÇÃO DE ADVOGADO SOLICITADA EM FLS. RETRO.

quer dizer, não sei se isso quer dizer abandono, ou se mudou pra outra pessoa. tenta se informar sobre isso, caso ainda n saiba. o adv tem q informar tudo ao cliente

Patricia C. disse...

HAHAHAHAHAHAHAHA GENTE SÉRIO.

mas olha, obrigada por avisar do processo. tem tanto tempo que a gente até esquece. quanto a miss suiça, passou longe de acertar.

@paulilinha disse...

hahaha, mas gente, esse blog me surpreende A CADA DIA!


Sobre o post, sinto por vc, nunca passei por isso, mas convivo com quem passa e é foda.

contando minha experiência, fui no psicólogo há um tempo e achei horrível. de alguma forma não consigo entender como ela pode me ajudar se tudo o que eu fiz foi chorar contando minha vida e tudo o que ela fazia era dizer: "NOSSA, QUE DIFÍCIL SUA VIDA, DEVE SER MUITO DIFICIL SER VC, VC TEM QUE VOLTAR" (sem ironias)

puta, por favor? se minha vida fosse fácil tava na praia, não precisa citar o óbvio.

daí chorei a alma o resto do dia todo e nunca mais voltei lá ou em nenhuma psicóloga.

'Lara Mello disse...

Tá ai uma coisa super certa que você vai fazer, procurar ajuda, mas não iria para antiga, procuraria uma terapeuta, dizem que são melhores, sei lá.. Só sei que com certeza será uma nova pessoa quando o tratamento surti efeito, digo isso de cadeira.. Se cuida e sorte! =**

Juliana Egete disse...

Não sofre sozinha não...Você é uma pessoa tão legal, não merece isso. Desculpa o clichê, mas eu estou me tratando de uma depressão misturada com sindorme do pânico e uma pitada de agorafobia, tem jeito, tudo tem jeito!
Você nao tem que carregar o mundo nas suas costas...

Flá Costa disse...

olha eu te falo, eu sou uma eterna defensora da análise, porque realmente acho que ela faz milagres mas de um tempo pra cá, confesso estou um pouco cansada dela. de me ouvir, de querer me entender sabe. às vezes apertar aquele botãozinho mágico do f3#%$$-se parece ser mais fácil.

enfim.
Walter BIshop!
Adoro!

Anônimo disse...

Só digo uma coisa: NÃO procura uma psicanalista, procure um (umA, no seu caso) analista do comportamento ou uma terapeuta cognitivo-comportamental

Anônimo disse...

Patrícia,

Eu conheço você, mas acho que você não me conhece. Eu conheço alguns dos seus amigos, já estive em mais de um lugar na sua companhia. Leio você porque temos vidas tão parecidas... não vou entrar em detalhes, porque né, o blog é seu, mas olha: eu já morei em Vila Isabel. Eu conheço uma psicóloga maneira aí, que não é nova, mas também não é velha caquética. Ela me atendia pelo meu plano de saúde na época. Posso te dizer que mudou a minha vida, mesmo. Eu era exatamente como você. Eu não tinha vontade de fazer nada, eu não queria estudar, eu não queria ver meus amigos, eu passava os dias em casa, dormindo, ouvindo música no quarto, trancada no escuro. Claro que as feridas estão aqui ainda. Claro que ainda dói. Mas você ser ouvido não tem preço. E ser ouvido por quem pode te dar condições de superar, então, faz toda a diferença.
Os dados dela estão aqui:
http://www.helpsaude.com/Salete-Siqueira-da-Silva.Rio-de-Janeiro.RJ/
Espero que ela possa ajudá-la como meu ajudou. Espero que você encontre uma razão para a sua vida, como eu encontrei pra minha.
Um beijo, viu?

Anônimo disse...

Terapia e psiquiatra não se excluem, pelo contrário, se completam. Talvez se agora o momento é difícil para ir atrás de um psicólogo (afinal mexer nas suas angústias é mesmo aversivo), você pode tentar ir antes a um psiquiatra. É uma bandagem pra estancar o sangue, mas às vezes é isso mesmo que tá faltando para que você procure outras ajudas.

Quanto a prioridades, não sei hein. Parece que as coisas não estão sendo colocadas nas devidas proporções.

Cara, só tô escrevendo aqui pq li seu blog inteiro e me identifiquei em diversos momentos com sua angústia. E mais, sua angústia me gerou angústia. Fui atrás de resolver algumas questões. Ainda tô resolvendo.

Anônimo disse...

Nao procura psicanalista, por favor! Veja alguma Analista do Comportamento...torço pra você ter sorte porque esses psicologos que nao explicam o que estao fazendo sao péssimos e queimam o filme do resto dos profissionais. Torço pra vc ser feliz..beijo

Maria disse...

Acho que você não percebeu
Que o meu sorriso era sincero
Sou tão cínico às vezes
O tempo todo
Estou tentando me defender
Digam o que disserem
O mal do século é a solidão
Cada um de nós imerso em sua própria
arrogância
Esperando por um pouco de afeição
Hoje não estava nada bem
Mas a tempestade me distrai
Gosto dos pingos de chuva
Dos relâmpagos e dos trovões
Hoje à tarde foi um dia bom
Saí pra caminhar com meu pai
Conversamos sobre coisas da vida
E tivemos um momento de paz
É de noite que tudo faz sentido
No silêncio eu não ouço meus gritos
E o que disserem
Meu pai sempre esteve esperando por mim
E o que disserem
Minha mãe sempre esteve esperando por mim
E o que disserem
Meus verdadeiros amigos sempre esperaram por mim
E o que disserem
Agora meu filho espera por mim
Estamos vivendo
E o que disserem os nossos dias serão para sempre.


Estamos tds enlouquecendo e enlouquecidos minha linda, tds fingindo felicidade nos murais on line da vida...Todos insatisfeitos e eu até fui capinar a entrada da minha vila...E fui lavar e passar roupa e depois fui tacar fogo nas folhas da árvores e fui pisar na terra...E o barato foi maior q qq ida ao shopping ou a night na boate...

Bjs enormes p ti cheio de coragem de mais coragem pq sei q tens muito!

Anônimo disse...

E esses stalkers da Patrícia, hein?? Profissionais, acharam até processo dela. Já dá para trabalharem como detetives.

Anônimo disse...

Fui na psicóloga uma vez e não falei nada, a mulher não calava a boca. Desisti. Investe numa psiquiatra que pelo menos passa um remédio..

Mariana disse...

Acho que se um sabe que tem alguma doença, e mais se é psicológica, um tem que ir a procurar por algum profissional da HelpSaude para receber ajuda...
Eu já fiz isso para duas pessoas da minha família.