sexta-feira, outubro 07, 2011

nos tempos do cinema mudo

Está rolando o festival do rio, e lá fui para ipanema ver Memórias de minhas putas tristes, filme baseado no livro de mesmo nome do Gabriel García Márquez. Super preparada para chorar e

não tinha som.

Idosos indignados começaram a gritar. Porque só tinha idoso mesmo, era 3 da tarde. Allan e eu quietos pensando "ah, vão consertar e depois voltam a fita". 5 minutos, 10 minutos, nada de som. Os idosos começam a levantar e a fazer barraco lá atrás com o lanterna. Muitos vão embora.

Deu meia hora, virei para Allan e disse "amigo, já era, vai ser sem som mesmo até o fim, se não consertaram até agora...". E pronto, abraçamos o capeta. Nisso chega Bianca atrasada e começa a conversar com a gente, idosa da frente indignadíssima vira e diz:

- Vamos acompanhar em silêncio?

Cara. Sério. Nós 3 revivendo momentos da adolescência às gargalhadas dentro do cinema. E eu tenho uma política de jamais discutir e desrespeitar idoso, me mantive calada, mas Allan não possui a mesma política e diz alto:

- DESCE DO PALCO, BABY.

E pronto, daí para o final, o filme sem som, a gente vendo os peitinhos e as bucetinhas (adoro cinema latino?), e Allan fazendo o máximo de barulho que conseguia fazer, tipo comendo pringles e fazendo batuque com a lata, tossinho, metendo o pé na cadeira que estava a idosa. Enfim. Taí um grande amigo.

No meio do filme um cara começa a roncar, e olha, o que se seguiu foi praticamente um episódio dos trapalhões. Presos num cinema mudo, com uma véia louca pedindo silêncio (oi, o filme tá mudo?), um amigo se empenhando na arte de irritar só pelo prazer, e um louco atrás roncando pencas. Ou seja.

Isso que eu ainda conseguia gargalhar vendo Geraldine Chaplin na tela e pensando "mas gente, tá mudo em homenagem ao pai dela?".

Na saída, todo mundo louco do cu querendo o dinheiro de volta, nisso descobrimos que Bianca, que havia saído antes, discutiu com uma pessoa do festival:

- VOCÊ NÃO TEM QUE TER DINHEIRO DE VOLTA PORQUE NÓS AVISAMOS QUE ESTAVA SEM SOM.

Bianca q total, eu nem estava aqui, sua louca, devolve meu dinheiro. Etc.

Fui para o banheiro enquanto as aposentadas formavam um comitê exigindo a presença do gerente. Dentro da cabine só escuto a voz:

- Nossa, mas tinha umas pessoas inconvenientes atrás de mim.

Saio do banheiro e é quem? A louca do silêncio no hay banda.

Eu ri.

Allan pegou nosso dinheiro na bilheteria e pensamos juntos que para salvar o dia só uma tortinha na Chaika. Andamos o mundo até chegar lá (olha, 4 quarteirões pra mim é sim o mundo a ser percorrido, quase pedi minha medalha no final), sei que chegamos lá e estava fe-cha-do.

Voltei para casa rápido com medo de um meteorito cair na minha cabeça.

14 comentários :

'Lara Mello disse...

Desculpa, mas estou passando mal de ri, me lembrei que sua vida daria um ótimo seriado cômico #ficaadica

Carol Magosso disse...

E eu achava que com Patricia voltando ao Rio nada poderia superar histórias envolvendo indígenas... c h o r e i.

Dani disse...

Só não ri desse post mais do que ri com a declaração das peoas: Gui Pádua se veste bem. -Q

Fofuchinhaaa disse...

Nossa, odeio gente que incomoda os outros de proposito! Detesto quando vou ao cinema e pego um filho do capeta desses... seu amigo gay é né? ah tá. tá explicado.

Anônimo disse...

O Fofuchinhaaa!

Ser gay não quer dizer nada. Tb sou e não faria essa cena de incomodar a velha. Se não tava nem ai pro filme, acho que deveriam sair.
E vc deve ser menos preconceituosa

Gabriela disse...

Sorry, mas tb achei escroto ficarem de papo dentro do cinema. Se não queriam ver o filme mudo, que saíssem e deixassem quem queria tentar assistir em paz.

Anônimo disse...

Concordo com todo mundo que não gostou do tal do Allan dando uma de bee pão com ovo. Gente incoveniente de propósito é uó...

bru moraneli disse...

um dos melhores posts, chorei de rir

marquinhos disse...

mandando p vc endereço d 1 centro espírita...n traz a pessoa amada em 4 dias....mas evita essas situações abusurdamente surreais q vc vive....aliás, pensando bem...cancelado o centro espírita...textos saborosos os seus....morrendo d rir aki....

Anônimo disse...

se metem o pé na minha poltrona eu acho q viro pra trás e taco refrigerante na cara. se eu ODEIO criança que faz isso, imagina um adulto? porra, mudassem de fileira, coitada da velha.

eu só faria isso com ela se ela tivesse sido grossa (do tipo te chamar de gorda ou chamar o alan de viado, pq aí ela MERECERIA um esculacho)

Anônimo disse...

Gente, odeio quem conversa em cinema, deixa celular ligado e tal.. mas o filme tava SEM SOM. SEM. SOM. A questão é essa.

Julia disse...

Fui dar uma olhada no site da Chaika. E eu achava a Perini aqui da Bahia legal.

Engraçadinha disse...

Gente... vcs tavam cagados de urubu-rei?
Fala sério. Cinema com problema no som e os caras ainda deixam a fita rolando? É muito mau-cartismo né não?

Anônimo disse...

Ninguém vai ler mas eu posto assim mesmo. Fui ver um filme ontem e a VACA da mulher atende o celular e fica conversando! CON-VER-SAN-DO!
O QUE PASSA NA CABEÇA DE UMA PESSOA DESSA??