domingo, setembro 04, 2011

formigas

A verdade é que eu não sei o que eu quero. E olha, dispenso quem disser "eu também", porque nunca é legal admitir isso aos 28 anos. É uma idade que você olha para os lados e vê todo mundo encaminhado. Não sei coisas simples, desde não saber qual delivery pedir, até decidir pelo habib's e opa, estou de camisola desde sexta, menor vontade de tirar, e daí cancelo o pedido. E é super engraçado porque a pessoa chega cheia de dedos para te dizer que talvez você esteja com depressão. Não tem quem diga? Entra naquele estágio lindíssimo quando você sabe que precisa de ajuda, mas e a preguiça de levantar o cu e procurar ajuda?

Hoje mandei um email dizendo que não estava atendendo nenhum telefonema. Está no silencioso há dias. E eu disse nesse email que estava naquelas épocas em que o melhor era estar sozinha e pá. Volta naquele ponto. Não há escolha aqui. As vezes quero sentar e conversar, quando decido, opa, não era isso, desculpa. Prefiro assim.

Tem vestibular semana que vem. Claro que nem sei se vou passar. Mas digamos que eu passe. Posso aqui fazer uma aposta com vocês: não duro nem 2 semestres. Outro dia estava no ônibus, olhei a uerj e pensei: "Patricia, você pode roubar a vaga de quem realmente vai terminar, pra chegar lá e você abandonar porque prefere ir pra casa dormir". E total é isso que vai acontecer. Então, por que essa vontade de tentar?

Estava no banheiro e tinha uma carreirinha de formigas. Elas têm objetivo na vida. Eu não.

21 comentários :

Caco disse...

Amada, escolhe o curso que te chama e faz. Essa escolha pode te abrir muitas oportunidades. Mesmo que você fique dois semestres, vai te abrir muitas oportunidades. Mas não pense logo que vai desistir no meio do caminho, tente, e assuma o que vier dessa escolha.

Caco disse...

E outra coisa: você é inteligente, escreve super bem, tem o dom de expressar suas ideias e sentimentos através das palavras. Você é crítica, tem uma visão madura das coisas, do mundo. É engraçada, consegue tocar as pessoas. Você tem tudo pra se dar bem na vida e encontrar o que realmente lhe faz feliz. A UERJ pode ser um ponta pé inicial pra sua realização profissional e/ou pessoal. Pense nisso. Não desista antes de tentar.

Alguém Por Aí disse...

Estamos sempre em movimento. Engraçado que também falo um pouco disso no meu último post. Acho que também to deprimido. Gosto dessa desconstrução que a fossa permite.

Anônimo disse...

Olha, não é vergonha admitir não saber o que quer aos 28. Também não sei e to beirando os 27. Faço contabilidade quando queria biologia e ó, nem parecidos são. Vivo na dúvida e penso que só nascendo de novo pra tentar fazer a minha vida caminhar direito do começo, porque agora não dá mais tempo.
Não existe nada mesmo que você goste? Além de dormir, claro. Porque não existe no mundo uma pessoa que não goste de nada, que não queira nada. Agora se você já se acomodou a essa vida, ninguém vai te tirar daí.

Verusca disse...

Patricia, não vou ficar aqui dizendo pra você ir procurar ajuda, que depressão é muito sério, bla, bla, bla... sou bipolar, me trato mas também não gosto que fiquem na minha orelha e prefiro ficar só, na maioria das vezes pois, a galera falando, "dando força", muito me irrita. Eu acho duas coisas: primeiro que você é muito talentosa pra escrever e poderia pensar em fazer disso um trabalho e, em segundo lugar, pra você começar a pensar em fazer algo, não adianta, vai ter que melhorar o astral. Uma dica: vá ao médico psiquiatra, fale o que acontece contigo e solte uma pequena mentira - diga que você já tomou mas acabou parando quando melhorou e peça a ele que te receite Bupropiona. É fantástico o que esse remédio faz e, ainda por cima, tira o apetite. Experimenta. Boa sorte! Beijo!

Anônimo disse...

Enquanto voce continuar com essa mentalidade de "não vou conseguir" voce simplesmente nao vai conseguir nada mesmo.

É muito simples e FÁCIL justificar sua vida dizendo que nada deu certo porque voce é assim. Voce pode mudar, voce deve mudar, voce é a dona do seu destino.

Falo como amiga. Levanta o cu da cama e se mexe.

vanessa disse...

Como diz um amigo meu,quem não passa não tem direito a reclamar,se você passar e desistir depois é uma decisão sua,não tem porque sofrer pelos outros,se não passou é porque não merecia.

Sobre depresão,minha tia teve,é algo bem grave e deve ser tratado,até tenho raiva de quem se sente mal um dia e já vai fazendo drama que tá doente,mas se você realmente se sente mal devias procurar alguma ajuda,pode ser num psicologo que você ache o seu objetivo

Marcelo disse...

Patrícia, apesar de saber que dizer isso não vai causar nenhuma transformação, lá vai: você tinha "prometido" (a si mesma) que quando voltasse ao Rio procuraria ajuda profissional.

Rosana Tibúrcio disse...

Fico pensando: ahhh se todas pessoas tivessem dúvidas aos 28 anos... e mais, se as que têm essas dúvidas nessa idade assumissem esse fato não estariam tão perdidas aos 55 anos de idade.

A diferença que há entre você e os sofridos-perdidos com mais de 55 (sei do que falo, DE VERDADE) é a coragem.
Coragem é uma coisa que você tem, mas nem se dá conta. Porque ó, Patricia, pra assumir essa fase pela qual você atravessa - num blog super lido - é preciso de muita, mas muita coragem.

Dê cá um abraço!!

Kari disse...

Olha, Patricia

Leio seu blog sempre. Não vou dar uma daquelas 'parece que te conheço' porque não, não te conheço mas me relaciono com algumas coisas que vc escreve e por isso continuo lendo.

Acho que seria legal sim vc procurar uma terapia. Retornei a minha em março mas foi só depois de colocar os dois pés lá no fundico do poço. Tentei me matar, me internei e agora tô gastando os tubos pra que psicólogo me ajude um dia de cada vez.

Mas acho que além da terapia, vc não deve se pressionar tanto. De novo, não te conheço, mas poxa, pelo que vc escreve, pelo o que deixa vazar aqui, vc é esperta, inteligente, e, PRINCIPALMENTE, pensa, raciocina, não vive numa droga de bolha.
Acho que teu inconformismo com tudo é porque, ao contrário da grande maioria que se contenta com pouco, vc pensa e sabe que a vida é mais do que a vidinha patética que a maioria leva.

E, se vc for como eu, desculpa, mas o que derruba é TENTAR SE IGUALAR ao povinho de merda. Vc precisa de facu? Só pra ter diploma? Porque até ai conheço umas amebas que falam 'pra mim fazer' que têm uma droga de canudo... E acho que vc tem que levar a vida como quer.

Acho ainda que até por estar com 28 anos é que deva parar de tentar levar a vida ameba que os outros levam. Se perguntar o que te faz feliz. E se ser feliz é ir atender a porcaria do delivery nua se quiser, vá, oras!! Ao invés de se auto-julgar porque 'normais' ou 'outros' não fazem isso.

Gosto muito do teu blog. Você é muito legal (e tem um humor genial).

Procure um(a) teriapia legal só pra mandar o mundo tomar no cu mais um pouco. Mas não tente se igualar aos 'outros' não. Tu parece ser bem melhor que isso.

Beijão (e sorry pelo tamanho da resposta.)

O Guri disse...

Faz mais de ano que eu venho aqui porque gostri de ter a praticidade que você tem diante da vida e um pouco mais de coragem. Mesmo depois que comecei um blog nunca tive a iniciativa de te deixar um único comentário aqui. Acredito que estouseguindo seu blog mas não tenho certeza. Talvez eu tenha um pretenso desejo de te ajudar com esse comentariozinho miserável, msa não posso fazer nada por você além de lhe escrever isso. Só uqeria me apresentar e disse que sempre me preocupei com você. Sinta-se abraçada agora.

Vou deixar meu endereço caso você queira me fazer uma visita. Bejo na bunda!

http://umgurientregurias.blogspot.com/

O Guri disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AquilesMarchel disse...

embora vc me ignore completamente
eu adoro as coisas que cv escreve
é forte s sincero
e gosto de comentar

o ultimo trecho era bem minha cara

22 anos na cara e empacado sem nada na vida
fui fazer faculdade em vez de entrar para bocada

Anônimo disse...

A UERJ é igual as torres gemeas, vc olha p cima e PÁ, tem alguem se jogando...
É melhor ficar em casa, mais seguro, pq lá ou vc se mata se jogando tb ou vc morre pq alguém depressivo foi mais rápido e caiu em cima de vc.
Beijinho.
Vivi

Ca disse...

Não sei o que está acontecendo com essa nossa turma de 27-30 anos. Leio outros blogs, tb de meninas na mesma faixa etária, e vejo que esse sentimento de estar perdida sem saber o que é que nos empaca no lugar, um sentimento de inexpressividade total, e com consciência absoluta do que precisa ser mudado. Às vezes sinto uma força enorme dentro de mim que, se eu parar pra interpretar por um segundo sequer, é pura vontade de me autodestruir. Pura e simplesmente, mas vai explicar isso pra qq pessoa, vai explicar que a vontade é de passar a vida toda deitada, sem fazer absolutamente nada, só vendo a vida dos outros reproduzida, seja em novela, seriado, filme, porque a vida da gente não vale a pena ser vivida... Sei lá, fui pro psiquiatra, tô tomando uma combinação de remédios chamada de foguete, e não mudou nada, só não consigo mais chorar de desespero e desgosto. Acho que o que nos atinge é mto maior do que a nova onda de depressão de mulheres que não são comidas e amadas na faixa dos 27 anos. Espero que passe, para todas nós.

Bárbara Rabaldo disse...

Patrícia, sou sua fã.
Não te conheço, não sei de onde tu é, e nem me interesso, pq não nasci pra stalkear ninguém nessa vida.
Mas me identifico muito com praticamente tudo que tu escreve nesse blog, que aliás, achei por acaso.
É bizarro, mas parece que alguém conseguiu botar em palavras o que eu sinto, e não to afim de elaborar pra não me incomodar. Mas sinto.
Nesse mundo de perdidos, tu não tá sozinha.
E quem não tá perdido ou se perdendo em algum ponto da vida, é só entendiante e acomodado.

Um abraço pra ti.

Anônimo disse...

Gata, e qual o problema de começar e não terminar? Não tem essa de roubar o lugar de alguém não, se a pessoa não tiver capacidade de passar ela também não vai terminar, penso assim. Se você começar e não terminar pelo menos tentou, viu que não era a sua. Melhor do que ficar na dúvida do "e se eu estivesse lá, talvez rolasse"...

Engraçadinha disse...

Fodam-se os demais, Patrícia!

Eu tenho 38, 3 filhos e vou tentar vestibular só por causa deles.
Saber, saber meeeeismo o q eu quero, não sei.

Anônimo disse...

E vc achando que quando saísse de Jiboia City tudo se resolveria. Ledo engano. Vc levou os problemas para o Rio com vc.

ana_alice disse...

anonimo das 8:12, a questão não é achar "oq vc gosta de fazer além de dormir". eu gosto de ver tv, comer, perder tempo na internet, ouvir musica, ler tirinhas, ler sobre feminismo, jogar joguinhos idiotas, fazer testes de personalidade, conversar qd to com saco pras pessoas. gostaria de ter um homem, mas só de vez em quando tb, pq quase sempre to sem saco pra ninguem. falta de vontade de sair de casa, de evento social, de me arrumar... to cansada do joie de vivre alheio, acho q fico com inveja por essas pessoas serem tao leves.

enfim, acho q a gente se anestesia com essas coisas q nos dão prazer momentaneo, mas isso n faz a gente sair do lugar. a sensação de frustração com a vida permanece. de q está deixando de aproveitar algo enquanto o tempo passa. quer dizer, eu to falando de mim, mas acho q é algo em comum com a patricia. posso estar totalmente enganada, claro.

enfim, vc já tem seu emprego estável, agora é hora de tentar achar oq te faz feliz. deve haver, sim, algo q vc se interesse em fazer e que seja construtivo, q te faça se sentir ativa e realizada. talvez seja escrever, como tantos aqui falam. espero q vc encontre, espero q a uerj te ajude (o bom de fazer faculdade numa situação dessas é q vc n tem se sente pressionada pra se formar logo e sair correndo. vai aproveitando oq ela oferece, sem pressa).

eu quero mto isso pra mim, quero me achar, mas só depois de garantir o pão de cada dia (to com 24, desempregada, "fazendo" a monografia ha mais de um ano, e ela ainda esta em branco. nesse caso a uerj n tem me ajudado, sinto odio de me sentir presa, de saber q é necessario terminar isso pra conseguir ser livre um dia)

'Lara Mello disse...

Cometi a ousadia de mandar e-mail para você sobre esse texto..