sábado, setembro 17, 2011

cocôgate

Te falar como foi a minha sexta feira. No ônibus, voltando do trabalho, escutando Bethânia no fone eu chorei. "Nossa vida é um rio secando, as pedras cortando, e eu vou perguntando: até quando?". Chorei o mundo e nego passando e sentindo pena. Daí chego no mercado, pego um carrinho que faz barulho, troco o carrinho, pego outro que fazia um barulho pior. Nesse momento desisti da vida. Passava pelas pessoas que tapavam os ouvidos, provavelmente pensando "mas gente, por que essa louca não troca de carrinho?". Amigos, já troquei, não vou trocar de novo não. Chorei enquanto comprava uma lasanha de salmão.

Chego em casa, logo depois Allan chega e arruma todas as compras. Conversamos e nos animamos ao saber que Roberto Carlos estaria no Jô. Ele viu, eu dormi. Ao ser acordada, "amiga, você tá toda torta no sofá, vai deitar na cama", eu respondia QUERO VER O REI. E dormia novamente.

Essa foi a minha sexta feira. Porque as pessoas reclamam que eu só falo da fazenda, mas não se ligam que talvez a fazenda seja a coisa mais interessante que eu ando tendo no momento.


Tirando hoje de manhã. Acordada por uma briga de vizinha por causa de... UM COCÔ DE CACHORRO.

Que ontem o cocô estava na frente da casa 8 e hoje apareceu dentro da planta em frente a casa 5.

Moradora da Casa 5: Eu quero saber quem colocou esse cocô aqui! Se eu souber, vai ter briga. Mas que falta de respeito, eu tenho 80 anos e NÃO VOU DEIXAR DE LUTAR.

Gente, juro. Não.vou.deixar.de.lutar.

Moradora da Casa 8: Quem tem cachorro não pode reclamar, se cada um tivesse seu cachorro dentro de casa, mas as pessoas acham que isso aqui é o quintal.

Quintal seria a área externa da vila. Moradora da Casa 8 realmente acha que cachorro deve ficar enfurnado em casa. Ninguém briga quando a neta dela brinca de boneca na vila, deixa tudo espalhado e as velhas tropeçam e quebram o fêmur. Longe de mim comparar criança a animal, mas né.

Então, foi isso. Acordei com a briga do cocô. Todo mundo querendo saber qual foi o cachorro e colocando a culpa um no outro. "O cocô do meu Brad é um toletão, esse daí é pequeno". "O cocô do Mickey é molinho, esse tá duro", etc etc.


Muito interessante a minha vida.
Beijinhos.

16 comentários :

Ca disse...

Por favor, não compare crionças com cães... cães são mto melhores e evoluídos. Sabe, acho q o fato de não haver movimento na sua vida, sem emoção, pode significar uma deixa pra vc descansar mentalmente de td o estresse q vc passou nos últimos tempos. Aproveita pra se centrar, resolver questões suas, q mais ninguém pode fazer por vc. Boa sorte

Ray C. disse...

Dai a Ca diz "Por favor, não compare crionças com cães..." a gente pensa logo 'já vem sermão de gente pseudoculto' e logo se segue de um "cães são mto melhores e evoluídos." REKRAERKELKRER ok né pessoal
Mas e você? Sonhou com teu rei ao menos? D:
E deixa o Brad bem longe daqui da porta, pff

Alguém Por Aí disse...

Nossa, como eu ri!! Quero um dia conhecer uma vila igual a sua. Se eu fosse paulista diria que se parece com a vila do Chaves. Um bju

Iva disse...

às vezes penso em dividir o meu rivotril contigo. dá cá um abraço.

Juliana Egete disse...

convivência é uma merda.
e nem tem como escapar.

jorgealison disse...

Acordar com as palavras cocô deve ser a tristeza.

Taynná disse...

Amiga (porque fala sério, é como me sinto já), eu acordei com a briga do cocô também e pior, juro, pior, era minha mãe multipolar que estava brigando com meu pai (muito pacífico por sinal) sobre o cocô dos cachorros aqui.
Sucede que temos dois cachorros, uma minha e um do meu irmão inútil. Eu já abri mão da cria faz anos, não tô dando conta de cuidar de mim, que dirá de um quadrupede, tudo bem que a bichinha é poodle, fofa e tudo mais, nem quero.
Daí que ela pira todo santo dia, diz que vai dar os cães e cadê? Acorda no outro dia, a varanda cagada, porque os bichos vou te contar, parece que fazem pra cagar, e a briga recomeça.
Não dou conta mais.
E juro juradíssimo, nem a Fazenda eu assisto, porque eu fico fora a semana toda e a menina com quem divido quarto na cidade onde trabalho só fica acordada até dez da noite (dorme com os frangos) e por isso não posso ver tevê.
Senta aqui, toma o meu conhaque e vamos chorar juntas.

Anônimo disse...

Moça, vai lerrrrrrr.....kkk

Anônimo disse...

É a vida real, gente. Minha, sua e de todo mundo. Vida cagada, paciência! O negócio pra mim, é renovar as forças e continuar a dar um passo depois do outro.

Munique

Anônimo disse...

Melhor que falar de Fazenda.

'Lara Mello disse...

Acho graça do povo dando palpite, quando de verdade só quem passa pelas coisas é quem sabe.. Sorte! :)

Mens sana in corpore sano disse...

Hummmmmmmmmmmm..... pensei q só a minha vida fosse monótona, chata e repetitiva. É q olhando de fora a vida dos outros sempre parece ser mais legal do q a da gente.

Zelma Rabello disse...

Cê vê... Eu detesto quando você escreve sobre a fazenda, tô pra reclamar há um tempão e sempre contemporizando. Mas... já que se abriu a chance e eu fico sabendo que tem muita gente que reclama... reclamo também!... Quando você fala das suas coisas, da sua vida, da sua família, por mais tristes que sejam as coisas, a real é que todo mundo tem parentes sacanas, intrigas no trabalho, saco cheio, etc. e a gente se identifica. Eu diria que até se consola: pô! tem mais gente assim!... Não sou só eu! Agora... já a tal de fazenda nem todo mundo assiste... É um saco maior que tudo.
Desculpa, te amo.

Anônimo disse...

LEAVE PATRICIA ALONE

Mary* Coelho disse...

Eu nem penso em como é ter uma vida de merda (porque eu também tenho), mas me impressiona a capacidade das pessoas de ver que a vida da outra tá uma merda e ainda vir reclamar do que ela posta no blog DELA. Blog pessoal, sem qualquer fundamento financeiro, sem qualquer contrato de que seja sobre tal assunto, sem qualquer promessa que vai ser bom ou ruim. Impressiona ainda mais porque são as mesmas pessoas que dizem que amam, que dizem que é o blog preferido. E não tem a sensibilidade de dar liberdade pra alguém gostar do que queira gostar. É cada uma...

Anônimo disse...

ai, gente, PULEM os posts da fazenda. ninguém é obrigado a ler. eu não assisto, n acompanho os posts, mas de vez em quando eu leio e acho as análises de personalidade interessantes.

mas tb prefiro os posts pessoais, claro. mesmo que nós, os desconhecidos, entendamos tudo errado.