terça-feira, junho 07, 2011

cápsula do tempo


Olha, não sei. Estou inscrita no vestibular. E claro que trocentas pessoas depois dos 25 fazem vestibular, longe de mim carregar esse fardo loser sozinha. Não é isso. É que eu quero letras, e era uma parada que eu já queria aos 17, mas fugi. E fugi não foi para fazer medicina ou direito, fugi para fazer filosofia. Entende? Letras era menor. Letras era só letras, eu queria o ápice da intelectualidade. E me fudi. Como me fudi em praticamente todas as decisões. Olhava e pensava "é esse o caminho", e chegando lá, nossa, que vibe errada. Não é só a faculdade. Não mesmo. O arrependimento foi sempre presente, mas já passei da fase de só reclamar, estou na fase do controle de danos. Consertando todas as merdas que fiz. Sabe quando você joga Mario e está quase conseguindo passar de fase? Minha vida tem sido isso. Tendo que voltar para a fase anterior e ver se um dia, quem sabe, a opção de next level apareça. É frustrante porque eu já conheço o caminho e tenho que passar por ele novamente; poxa, já vi essa tartaruga aqui, que chato. Também sei que não possuo o posto de rainha das piores decisões sozinha. Todo mundo é um pouco assim. Vejo pessoas seguindo um caminho que eu sei que vai dar merda, sabe. E a pessoa não se toca, como eu não me tocava, mas é um trajeto que não permite intervenções externas, até porque quem sou eu. Só fico olhando o cara bater no muro, como eu bati tantas vezes. As vezes são trajetos errados percorridos por anos. Conheço muita gente assim. Que vai permanecer mais de uma década naquilo, quando todo mundo sabe que não vai dar certo. E assim os anos passam. Outro dia li sobre essa coisa da cápsula do tempo moderna, um serviço que te manda um email daqui 60 anos. E total não quero estar viva aos 87, pelo próprio histórico de doenças na família, mas fiquei tentada. E pensei no que eu escreveria para a Patricia dos 87 anos. Um monte. E daí senti que ao ler a mensagem, 6 décadas depois, meu sentimento seria de "coitada, não conseguimos", ou "pobre menina, tão cheia de esperanças, achando que o controle de danos ia dar certo". Mesmo assim tento, das opções, é a única plausível. Ou sento e espero, ou tento. Pelo menos tentei, posso dizer para a Patricia com 87 anos. Hoje, estava ouvindo primeiros erros no ônibus e tem aquela parte "se um dia eu pudesse ver meu passado inteiro/ e fizesse parar de chover nos primeiros erros". Não dá para parar a chuva que já foi, mas sei lá, de repente eu consigo evitar chuvas futuras.

38 comentários :

Marcos Fernandes disse...

Ah, Patrícia, comecei a acompanhar sua história a partir desse ano, mas super desejo sorte nessa sua iniciativa. Deus sabe o quanto é difícil agir em certos momentos, nem que seja pra coçar a bunda. E, bom, vestibular é uma bunda bem grande. Beijos, e sorte.

Lila disse...

Se joga. Fiz vestibular após os trinta e não me arrependi e foi na mesma vibe de controle de danos. Não dá pra voltar atrás, mas dá pra sofrer menos com o que já se aprendeu, né? Comigo funciona assim.

Anônimo disse...

Oi patrícia,

Não tenho naaaaada a ver com isso, tô ligada, mas como as pessoas costumam ser um pouco mais folgadas na internet, vou ser também, desculpaê!

Nada a ver com esse post e nem sei o quanto/se isso te incomoda, mas você já pensou em fazer a cirurgia do estômago (dããã, eu descobrindo a América...)?

Não sou de nenhuma clínica/centro estético, hein! Na verdade leio seu blog faz um tempinho já e só hoje pensei nisso e como você nunca comentou, fiquei curiosa pra saber se você já tinha pensado nisso. Não por uma questão estética, não por uma questão de aceitação, mas por qualidade de vida mesmo, auto estima, sei lá!

Tô falando isso porque meu irmão fez a cirurgia (aquela pior, de cortar fora mesmo) faz uns 3 anos (ele tinha uns 28) e nossa, a vida dele mudou, uma coisa impressionante. Ele pesava 167kg (sente o drama) e no primeiro ano já perdeu 60 e tá firme e forte. ah e obviamente, importantíssimo, o seguro cobriu tudo, ele não pagou nada e olha q nosso seguro é meio xexelento :)

Enfim, é sofrido, foi foda pra cacete, mas ele ficou tão bem, tão saudável e se recuperou tão legal que hoje sou maior defensora, mesmo sabendo dos riscos e tudo mais.

Enfim, fui folgada agora, mas me ocorreu a idéia e fiquei curiosa de te perguntar e contar nossa experiência. Desculpa MESMO se vc não gostou :S

Até!

Marina

L.U.V.I disse...

Bom dia, que tal faculdade aos 32? Consola? Porque né, eu queria seria ser rebelde, ser fodona. Me fudi.
No meu caso, tô em redução de danos.
O pior não é ver as pessoas batendo com a cara no muro. É ver algumas pessoas seguindo o que elas consideram a cartilha do certinho e fingindo que tá tudo bem.
Fazer merda, ok, fingir que tá feliz é ser looooooooser! bj

Luciana Nepomuceno disse...

E eu acordo e já vem um texto arder meus olhos.

Karina disse...

se serve de consolo tenho 33 e me formei faz 2 anos.

Anônimo disse...

Eu queria letras. Mas também queria o ápice da intelectualidade.
Fui fazer Psicologia, tô quase na metade e ainda estou em dúvida.
Vou fazer 20. E vc me deu medo.

Maeve Rêgo disse...

Se joga, Pati, se joga.

'Lara Mello disse...

Só de saber que você quer tentar já é uma coisa. Nos meus 17 também queria fazer jornalismo, mas era pequeno para mim, fui fazer enfermagem e medicina e só tomei no cu.. Depois fiz dança, me encontrei e desistir também, quem fica rico com dança no Brasil, me casei tive uma filha, passei por muitas coisas, perdi e resgatei minha família e me escrevi no vestibular e no enem esse ano, só quem pode mudar a nossa historia é nos mesmo, fora que eu ainda quero fazer dança de novo e cinema, mesmo que seja com 87 anos.. O importante e tentar e se realizar.. Eu sei, que assim como eu, vc não sabe lidar com afeto e esse lance todo de mimimi não é com a gente, mas me identifico muito com vc, e queria ao menos uma vez te dá um abraço e dizer: "Olha, nem tudo estar pedido.." Se cuida! E tenta!
:)

Juliana Egete disse...

Você é minha alma gemea. beijo

Nara disse...

Já dizia Tomas: "Mas o que pode valer a vida, se o primeiro ensaio da vida, já é a própria vida"

Anônimo disse...

patricia, você fala como se fosse velha. quem sou eu pra falar, me acho velha às vezes e só tenho 25, mas você, nós, somos muito jovens ainda.

vá fazer o curso que você sempre quis.

é melhor se arrepender pelo que fez do que pelo que não fez, né?

clichê mas verdade.

(e depois de te dar esse conselho eu vou ver se eu mesma sigo ele hahahahaha)

Deyse Batista disse...

Nossa, eu estou tão na mesma que você que chega a ser cômico, para não dizer trágico. Ando em uma vibe "barquinho na correnteza, Deus dará", mas só a gente sabe como é difícil, não?
E lá fui procurar o dito site que manda e-mail's para o futuro...

ps.: eu faço Letras, é um curso lindo de morrer, mesmo! :)

Beijos!

ps².: tô apaixonada pelo seu layout =))

Denise disse...

Fooooorça!

Simone disse...

Bate aqui quem caga na própria vida escolhendo os piores cenários, personagens, enredo. Se eu fosse autora de novela mexicana tava rica, mas eu sempre escolho o pior..kk

E passou outro dia pela minha cabeça oca em prestar
Letras na USP, adivinha?

Fiz Letras na PUC e achei uma merda, mas ao invés de largar no 1 semestre fiquei os 4 fuck anos e agora quero fazer algo mais intelectual..kkk

Anônimo disse...

Gata eu fiz biomedicina no fundao pq ne?A imbecil nao passou em MEDICINA(sonho mor) e nao aceitou que papai pagasse particular(ta louco pai tenho 17 anos e desde que entrei no CM(amor maior)o senhor nunca pagou escola pra mim nao vai ser agora que vai pagar,fiz,odiei,me formei,continuei odiando,recebi uma proposta de emprego foda na Alemanha e na hora de ir dei a louca e resolvi largar tudo pra fazer medicina so que ne?Sem a vibe de fazer cursinho novamente 24 anos na cara(super nao ia dividir sala de pre-vest cm irmao caçula) e agora o pai nao tem mais grana pra bancar ai no Rio a tal facul particular...dai que to na ARGENTINA fazendo e realizando o tão sonhado sonho e doi viu?Saber que se nao tivesse sido babaca no inicio tava ae residente ja...TOMEINOCU e a seco mas quer saber?Agora é aproveitar e tentar quando tomar novamente que ao menos nao seja a seco,rs

Boa sorte no Vestibular!

Se passar pro FUNDAO ja leva o antialergico na bolsa ;)
Beijaaaooo

Rose-ms disse...

Ai Patrícia tenho 38, formada em fisio há 11, e tô sentada no banco da escolinha, entudando portugues e matemática. Se joga caralho, nunca vai ser tarde pra tentar se dar bem.

Jacyanne Barbosa disse...

Fiz faculdade de medicina e tinha um SENHOR de 62 anos na minha turma.

Tinha sido advogado a vida inteira, detestava o serviço, os filhos só deram desgosto, havia ficado viúvo..enfim, uma vida de merda até então.

Hoje ele é um médico de 72 anos muito bem visto na cidadezinha que veio morar. As pessoas dizem confiar mais nele (acreditando, sei lá, que ele é médico há anos já), do que no jovem recém formado que apareceu por lá (eu)

Se joga garota

Bárbara Gusmão disse...

Eu tenho 17 e o meu medo é fazer isso. Eu sonho com Jornalismo/Publicidade e quero Letras também. Um dia psicologia. Na minha cidade, no momento só é possível letras. Vou tentar Direito (esse será no "se eu passar vejo o que faço, afinal, é direito...") e Letras.
Às vezes fico comovida com meu pai perguntando "porque não faz Direito...?", morrendo de vontade que eu faça algo assim $.$ e eu quero letras, jornalismo... Pra mim quem faz o sucesso é a pessoa, não o curso. Mas ele insiste em que "às vezes temos que deixar de lado o que gostamos e pensar no que é preciso". ENFIM, NÉ! Bate aquele desespero de "Meu Deus, de repente cresci, tô trabalhando, preciso decidir meu futuro - e isso é muito tenso - e, poxa, só tenho 17 anos!" Mas a gente se aguenta, a gente supera... E eu escrevo para a Bárbara de 87 anos, também, que tentei. Que "Estou tentando fazer o melhor"...
E que dê certo. Oremos.

psicopato. disse...

boa sorte!

Rosana Tibúrcio disse...

Eu me formei em Direito aos 46 anos e para frustração geral, não sou "adEvogada" profissão que o senso comum espera de quem faz Direito. Fiz pra facilitar nos concursos e porque tenho simpatia mesmo pelas leis e afins.
Deu nada! Mais de sete anos intensos de concursos e não passei em nenhum. Desisti. Sou burra? Hoje sou só uma ex-bancária vítima de PDV, orientadora de trabalhos acadêmicos (lembrando que fiz pedagogia aos vinte e poucos) e mais nada.

Quero muito que tenha mais sorte do que eu. Terá!!

Léo disse...

Fiz quase 4 anos de Psicologia não consegui concluir e esse ano tbm vou fazer vestibular pra Letras, que sempre foi minha vontade. Tenho 26. E temos mesmo que tentar, não há escolha. Talvez até tenha, mas com certeza seguir nossos sonhos (frase clichê mas verdadeira) compensa qualquer ápice de intelectualidade ou status.

(te dizendo isso, pra eu mesmo tentar por em prática e acreditar. c'est la vie)

Anônimo disse...

Sempre quis o ápice da intelectualidade, mas aos 17 escolhi prestar vestibular para Direito, um curso tosco, composto basicamente por gente que mal lê jornal, salvo quando há crimes de grande repercussão na mídia. Odiei o curso, nem me dei ao trabalho de tirar OAB. Hoje busco conter os danos e pago um preço alto por isso. No entanto, pago satisfeita. Não digo feliz, porque não cheguei nem perto de onde quero chegar.

Faça Letras. Deve ser legal estudar Machado e cia de forma mais aprofundada. Sei lá, pelo menos é um assunto do qual me interesso.

Ana Pe disse...

Se vc se acha looooser, o que seria eu?! Pois até hoje não sei o que gostaria de fazer, qual carreira escolher... vivo numa eterna angustia...
Mas pelo menos vc sabe o que realmente tem vontade de fazer, então minha querida, SE DJOGA!!!
Força!

Lelynha disse...

Super me identifico com td q vc escreveu. Pessoa de 27 anos, que não completou a facul de Administração largando no sexto período, se inscreveu no ENEM esse ano e VAI fazer Letras (muito amor!). Oi? SOu eu!!
Bjosss =*

Mandei email p ti, (rafaelahs@...) e nao respondestes ¬¬

Opa, afundei na merda disse...

Ia falar sobre as 837492 escolhas de merda que fiz, mas na verdade isso nem importa, né. Mas eu tava nessa vibe de deixar a vida me levar (e isso me lembra aquela música CAFONA da despedida do Fofômeno), e adivinha? A vida me levou para um poço de merda. Pensa numa pessoa infeliz? Sou eu.

Há um mês, um filme meio mimimi me deu um tapa na cara. Se um filme mimimi me deu um tapa na cara, existe algo de muito errado comigo.

Aí decidi que AGORA CHEGA, PORRA. E que vou mudar de vida (aka controle de danos)

Pra começar, comecei (really?) a fazer psicanálise. Sempre tive aquele preconceito básico, e há anos venho negando que preciso disso. E quer saber, tô adorando. Mas enfim.

Ela tá me abrindo os olhos pra mudar as coisas que eu achava que não dependiam de mim, me ensinando a desapegar daquelas que realmente não tenho controle. E me mostrando que a principal coisa de todas é QUERER mudar. E depois tomar a iniciativa.

Eu acho que essa história de que nunca é tarde pra ser feliz é meio zzzz, mas é verdade. Quando comecei a fazer faculdade, uma mulher de 56 anos entrou na minha turma. E meu curso tá longe de ser divertido. Hoje ela é uma das melhores e mais realizadas profissionais que conheço. SE FORMOU COM 61.

Não sei se o site que você tá falando é o futureme.org, mas nesse dá pra escolher a data do e-mail (pode ser até pra semana que vem). Eu uso pra me manter "acordada" e batalhar pelas coisas que quero, e não simplesmente deixar a vida me levar (~vida leeeva eeeeu~ te odeio pra sempre, ronaldo.)

É estranho vir aqui e falar sobre mim, mas só pra mostrar que você não tá sozinha nesse barco e que as coisas dão certo sim.
Fiquei feliz que você deu o primeiro passo.

E é bom saber que existem outras pessoas com essa mania de perseguição cognitiva...

Beygos!

Sr.Apêndice disse...

Eu fiz Letras e Jornalismo. Meus pais me enchiam o saco para eu fazer Direito, pois como o pai é advogado, achavam que o caminho seria mais fácil. Mas não fiz, sou um eterno rebelde sem causa.

Me formei com 22 anos em duas faculdades, fiz mestrado (grande perca de tempo) em Relações Sociais e hoje, com 26 anos dou aula de Literatura e Redação para quase 1000 alunos divididos em 10 turmas em cursinhos de pré-vestibular, trabalho em uma agência de Comunicação revisando e editando os textos dos outros e tenho a ridícula pretensão de ser escritor. Ganho uma mixaria, que só me garante o porre do fim de semana e o aluguel. Ok, gosto do que eu faço.

Mas quando meu pai me olha, vendo em me matar, trabalhando até 15 horas por dia, e diz: se tu tivesse feito Direito, tu não precisaria estar neste aperto.

Merda, mas o velho totalmente errado não está. Assim como também não está certo.

Então, futura colega de Letras. Pé na porta e já era. Arrependimentos vem de qualquer jeito. Mas se tu ganha dinheiro, tu não pensa tanto neles. É foda.

Boa sorte, e se precisar de dicas para o vestibular estamos aí, hehehe...

Abraço

Simone disse...

Torturava-se com recriminações, mas terminou por se convencer
de que era no fundo normal que não soubesse o que queria:
nunca se pode saber aquilo que se deve querer, pois só se tem
uma vida e não se pode nem compará-la com as vidas anteriores
nem corrigi-la nas vidas posteriores.
A Insustentável leveza do Ser - Milan Kundera

Cecília M. disse...

"trajetos errados percorridos por anos"

Então querida, sua vida mudou de nível quando vc foi pra jibs e quando voltou de jibs, certo?
Letras então, vai ser a glória.

Beijos

katy disse...

oi patrícia, me formei em letras em 2008. gosto da minha profissão, mas queria mesmo fotografia. aqui no Pará não tem o curso, então esse ano eu vou tentar vestibular pra cinema. quem sabe dá certo!!!! boa sorte pra gente!!! bom fim de semana.

Alessandra disse...

Ó, que Letras é uó. Gente chata, ambiente ruim e estudos que divergem muito com o que a gente pensou que seria. Sem querer ser a cu mole que fica gorando a sua sorte, mas já te antecipando que é uó! Eu fiz e continuo fazendo(me especializando e talz...) pq não sei se conseguiria fazer outra coisa, mas achar que em Letras vc encontrará algo muito melhor q em filosofia é furada.

alice disse...

normal, né? to com 24 anos (faço agora no começo de julho, mas minha mãe joga isso na minha cara há um ano já RISOS) e ainda não me formei. Só devo sair de lá em dezembro, após 7 fucking anos na faculdade :(

me sinto uma derrotada total. ainda mais q eu nem gosto do curso, escolhi Direito pq era a opção mais segura. tomei no cu pq sou péssima aluna e não passo em concurso nenhum.

nem vou tentar tirar OAB por 'ene' motivos: 1) tenho horror de advogados (99,9% não vale nada), 2) não vou passar sem fazer cursinho e cursinho é caro, 3) não vou pagar caro e ficar um ano estudando pra exercer uma profissão que n gosto, 4) nenhum escritório vai me contratar pq sou gorda (isso é um bom motivo pra querer ser servidora pública, aliás... ninguém vai me rejeitar em entrevista de emprego me olhando como se eu fosse uma porca gorda), 5) nenhum escritório vai me contratar pq n estagiei em escritório, 6) nenhum escritório vai me contratar pq fui uma aluna medíocre o curso todo (mesmo sendo da "melhor faculdade de direiZzZzZzZz"), dentre outros motivos...

aí me sobra passar em concurso mesmo. era o plano inicial, mas os poucos q eu já fiz, me fodi de verde e amarelo. comecei a achar q ia virar desempregada.

daí vi oq eu realmente gostava na vida: idiomas. decidi q ia fazer letras e dar aula em cursinho de inglês (faria isso amarradona), mas aí tem o fato de nunca ter saído do país, n ter dinheiro pra intercâmbio, etc (fora os 5 anos de graduação, deus me livre)

enfim, percebi q eu 'encontro' empecilhos (eles até existem, mas eu faço questão de pesá-los) pra n ir adiante... me sinto meio mal com isso, mas fazer oq?

ainda to tentando meu plano original (o de ser funcionária pública com meu diploma em Direito blablabla) já que eu não falhei totalmente... falta mto pouco e é a essa esperança q eu me agarro. já pensei em desistir várias vezes, mas pra fazer oq? sigo em frente

como alguém aí acima disse: deixo a vida me levar... mas de um jeito miserável e fodido. se pelo menos eu fosse bon vivant, estava no lucro.

sou infeliz e tenho cada dia menos tolerância com os outros. não acho q só eu sinta dor, mas as pessoas mais próximas de mim não parecem sofrer tanto.

acho q é por isso q eu tenho essa compulsão em vir aqui te ler, pq eu entendo vc. acho até q vc passou por mais mal bocados que eu, mas a amargura aparente é a mesma

(mesmo q vc seja um doce pessoalmente, fácil de lidar, divertida e laid back... eu, ao menos, TENTO ser assim: mas sou essa coisa miserável e reclamona q aqui vos fala)

btw, tb acho todo mundo boçal, com raras exceções e tava pensando em fazer algo "mais intelectualizado": pós no IFCS! ahahaha

a grade de ciências sociais me pareceu interessantíssima, mas eu n aguentaria mais 4/5 anos... 2 anos eu conseguiria na boa... só me pergunto o propósito disso, né? diploma por diploma, não vale nada

Anônimo disse...

ué, trocentas pessoas comentando aqui que fizeram ou querem fazer LETRAS??

ISSO PEGA, É?

tô me formando em Letras no fim do ano e posso dizer que adorei o curso. mesmo.

só me incomoda a idéia de ser professora. hahahaha

boa sorte!

Fabiola disse...

É foda, mesmo. Eu também me arrependo de mt coisa que já fiz e de coisas que nem cheguei a fazer, e toda vez que não consigo um emprego que eu queria muito, maldigo internamente a profissão que eu escolhi. Enfim, tô muita tentada a fazer uma cartinha e só abrir sei lá, daqui a uns vinte anos.. e rezar para que um dia eu possa dar risadas de tudo isso, né?

Enfim, boa sorte. ^^

Cu mole que erra regência babaca e tenta corrigir ou Alê disse...

Me ocorreu agora: A raquel C. é/vai ser biologuinha, mas parece q não quer dar aulas, e vc? Vc pensa em ser professora?

PS: *divergem muito do que a gente pensou que seria , né, gente? Errar ESSA regência é de foder!
Obs:E ainda tem essa de ficar com cagaço de "errar demais "português"".

Anônimo disse...

Pelos comentários aqui, Letras é um curso que está em alta.

corina disse...

A gente vale o quanto tenta.
Pau na caixa aê!

Anônimo disse...

Oi Patrícia
Acompanho seu blog há um tempo e entrando nele hoje me deparei com esse post e resolvi comentar.
Fiz Biologia (sonho da vida) achando que ia ser pesquisadora e trabalhar com células-tronco nessa m***da de país. Ok, portas na cara, estágios nunca conseguidos (consegui um uma área afim como voluntária, pode rir)resolvi fazer um mestrado.
Não podia sair do meu estado por "ene" razões, então fiz um que achava bem interessante, oh vou me dar bem, etc.,zzzzzzzzzzzzzzzzzzzz e LARGUEI simplesmente. Pense família, noivo, amigos, todo mundo chocado porque eu sempre fui boa aluna e falava em fazer mestrado desde o segundo semestre da facul. Resumindo:próximo semestre começo a faculdade de Gastronomia e vou ser feliz...

Ah e eu tenho 30 anos. Sou professora, mas tô mudando de carreira para não ficar louca porque como diz a professora de Natal, não vou salvar o Brasil com um giz e um quadro-negro.

Portanto nunca é tarde para recomeçar. E fazer o que vc realmente gosta. E não ligue porque a Universidade só tem bostéticos, apesar de precisarmos deles para estudar...
Luz