sábado, fevereiro 19, 2011

liquidificador

As coisas nunca foram fáceis. Sintetiza tudo. Então, você, dementador aí sentado, pode pensar "aff, minha vida também não foi fácil", e eu só digo que acho cafona disputar troféu de sofrimento, até porque total é um troféu que eu não gostaria de ter, pode ficar com ele. Posso enumerar n situações de Ó, VIRGEN DE GUADALUPE, COMO YO SUFRO COMO PRECIOUS, mas não. Sinceramente, não. Hoje, não.

Apenas digo que dois pontos foram cruciais na formação de quem eu sou. Duas situações que trazem as consequências até hoje.

- abusos na infância
- terror psicológico do meu pai

Vou apenas falar da segunda. Quando ele me dizia que eu não era capaz. E durante muitos anos eu acreditei. Até os 25. Veja bem, eu tenho 27. A partir dos 25 aceitei que eu era capaz de muitas coisas. Mas não de tudo. MAS. Sempre tem o mas. Ainda não consegui superar o mas. É meio patético, sabe. 27 anos na cara e ainda culpando papai.

Uma vez me disseram que eu afastava as pessoas para ter a certeza de que elas voltariam. E elas nunca voltaram. Conduzi sempre assim. Será que vão me abandonar na primeira dificuldade? E daí vem os testes. Testo as pessoas direto. Até pessoas que acabei de conhecer. Vamos ver se esse aí aguenta. E todos desistem.

Leio sempre as histórias de pessoas que começaram a criar já adultas. Músico que compôs a primeira música aos 40. Escritor que publicou aos 50. Cientista que descobriu aos 60. Enfim. Nunca é tarde e tal. Nunca é tarde para o vazio deixar de ser presente. E eu nem quero um espaço de destaque na história, curto mais os bastidores, o que fode tudo é a ausência de algo que eu nem sei.

Fico revendo todas as passagens. Da forma como aos 18 eu achava que a vida aconteceria quando eu me formasse na faculdade. Opa, nunca aconteceu? Da forma como aos 24 eu pensava "quando eu finalmente trabalhar, saberei o que é viver". E opa, desculpa, não foi isso que aconteceu. Opa, não era isso, desculpa. Frase da vida. Da forma como hoje eu penso "voltando pro Rio tudo vai se ajeitar", e eu sei que não vai, sabe. Eu trouxe exatamente aquilo que vou levar de volta. A ausência. De achar quer vou virar a esquina e torcer para encontrar ali a razão de tudo. Ainda não encontrei.

33 comentários :

Aline disse...

me identifiquei tanto..

é cafona disputar troféu de sofrimento! tá certo, todas as pessoas sofrem mesmo, e às vezes numa intensidade absurda, por coisas que nem compreendo. Na verdade não tenho muita empatia pelo sofrimento alheio, a não ser que me identifique né..

Às vezes eu me vejo culpando os outros pelas dificuldades que encontro hoje. Afinal minha sociabilidade sempre foi cortada, e hoje eu mesma corto. Eu que evito que as coisas aconteçam, me escondo atrás de uma desculpa ou outra, como ter uns quilos a mais. Eu sei que existe outra forma de agir, mas seria como encenar a vida de uma outra pessoa. Porque o que sou agora, essa sou eu, totally fucked up..

Testo as pessoas e elas se cansam. I'm not worthy, i guess.
Vai ver eu me faço de vítima também hehe

E eu estou aqui esperando a minha vida acontecer, assim como vc.

Jefferson Reis disse...

Dementadores estão por todos os lugares. Eu tenho 19 anos e sou um fracasso total. As pessoas não gostam de mim, não tenho amigos, não querem saber do que eu faço. Mas eu não dou a mínima para isso. Pelo menos faço as coisas que eu quero. Como você disse, espero que aos 50 eu tenha ao menos conseguido realizar algum dos meus objetivos. E eu vou tentar. Não vou desistir não.

L.U.V.I disse...

Bom, ter pessoas em situações parecidas ou piores que a sua não ajuda em nada, eu sei disso, a nossa dor é sempre maior, ponto final.
De qualquer maneira, tamos ai, bem fudida também com 31 anos e perspectiva 0, auto estima 3 e por ai vai.
Precisando de alguém pra falar e qua saiba o sentido de looser, tamos ai.
Bjs

Rosana Tibúrcio disse...

Patricia, bate aqui pra primeira parte de seu post: odeio quem disputa sofrimento. Sempre usei pra quem queria e quis disputar sofrimento comigo que ela ou ele poderia ficar com esse troféu.

Em relação a outra parte de seu post, eu te entendo bastante, mesmo não tendo vivido "exatamente" o que você viveu. Mas um pouco similar e com menos intensidade por muito tempo usei a mesma linguagem com a qual "cresci": "tô cansada, que chatura, essa casa não é sua e blablabláss."

Não sei exatamente a partir de quando, mas eu consegui vivenciar outra linguagem e é essa que passo pras minhas filhas e tenho sido mais feliz.

Eu desejo muito, de coração, que um dia você passe a sentir diferente do que sente agora, que tenha mais confiança em você, no que pode provocar de bom, que tenha mais confiança nos outros e que não se decepcione tanto. A vida, a sua vida, pode e vai ser melhor. Tomara que bem rápido, viu? Carinho...

Desculpaêê por mais esse comentário post.

Rick disse...

Eu continuo aqui.
E não desisti.
Apesar do seu aparente descaso, desprezo, etc.

Beijos! :D
E um chute na bunda! :P

Anônimo disse...

eu ando lendo muito seu blog, e nada do que eu escrever aqui vai fazer vc se sentir melhor pq eu tb me sinto assim. então a unica alternativa e viver, assim viver viver não né, acho que existir só e virar uma planta dessas que agente sempre critica e talz.

Anônimo disse...

Leio sempre seu blog e não te acho nem um pouco fraca,frágil. Só o fato de vc assumir suas fraquezaz,acho digno. Você precisa acreditar em você e o processo é lento e demorado! Mas um dia você vai ver o quão especial você é e que as pessoas que saíram da sua vida por não aguentarem o tranco, não merecem sua amizade. Pensa assim: Se elas saíram é pq não tinha o que acrescentar,certeza! Você é foda, escreve bem e é inteligente, as pessoas que merecem seu carinho e atenção vão se aproximar,você não precisa "cobrar" nada. Super Beijo.

Anônimo disse...

divido com vc essa sensação de fracasso, de ausência de algo bom que nunca tive a chance de conhecer. mas duas coisas me fazem sentir pior perante isso: primeiro, porque comigo? logo eu que sou fraco por natureza. a segunda é saber que essa inadequação a felicidade traz dor não somente a mim, mas a mãe, irmãos, amigos... enfim. por causa disso tento me isolar pra protegê-los e acabo piorando mais tudo...

Rose-MS disse...

Entendo vc Patrícia.

Nanda disse...

Sei que você, se tivesse opção, escreveria sua história de outra forma, teria outra verdade.
Mas essa verdade sua, ainda que conserve uma ironia muitas vezes triste, você descreve de um jeito tão sensível que permite ser compartilhado... De certa forma, sinto a mesma ausência que você. E acho que muita, muita gente também.
Ainda que eu não seja nenhuma especialista, me parece que você sabe o que faz com suas letras aqui no blog. Não devo ser a primeira a sacar que você podia tentar ganhar grana escrevendo. Sei lá, uma coluna, um livro... Pode dar certo. Sei que muito mané diz que grana não é tudo, mas né. Ajuda.
Talvez, não importe tanto que não tenha aquela vibe auto-ajuda ou comédia romântica de quem espera final feliz, e seja uma ousadia possível pra alguma editora lançar toda essa sua densidade que só tem quem vive, pensa e sabe se desvendar. Se eu tivesse esse dom, brincaria de apostar.
Um beijo!

Janah disse...

Boa sorte!

Anônimo disse...

Caraca, liquidificado mesmo!!
Mas bacana compartilhar só acho que precisa de ajuda profissional, porque assim fica mais fácil e assim dá para resolver tudo da melhor forma possível.

É as vezes não sai mesmo do jeito que queremos, mas nem por isso devomos desistir viu!

Bjks

Anônimo disse...

se vc não gosta de ficar sozinha então é pq não é uma misantropa convicta. eu adoro. acho as pessoas idiotas demais para me entender.
se vc senti isso, se isso te incomoda, vc precisa se tratar pq isso significa que vc está querendo ser uma pessoa que não é. o que vc tem é apenas tristeza.
os misantropo e os "aspie" não sentem de verdade. na verdade eles sentem tanto que preferem não sentir, mas não se incomodam com isso jamais.

ૐ 'Priiscylα disse...

Mesmo com 16 anos na cara, passei coisas parecidas com você, são um segredo a sete chaves pra mim, e vejo, que não vale a pena brigar por um troféu, preferia ter tido uma vida qualquer como uma adolescente normal.

Beijão menina ;*

stella disse...

É verdade tudo isso que você falou - é a SUA verdade, e não cabe a ninguém vir aqui e dizer "aceita jesus/deixa de drama / eu sofro mais que você".

mas veja: no rio você não vai precisar viajar horas de ônibus para (não) ser atendida por um médico boliviano. pode acontecer outro tipo de merda, é claro. mas esse tipo de desgosto você não passa mais.

tá na vantagem, essa mudança.

sexofagia disse...

certa vez fui para outro país para fugir da vida medíocre que eu tinha aqui...o problema é eu fui junto.

rita disse...

patricia, total me identifico com vc. lendo seu blog, tenho a impressao de q fui eu q escrevi... e obrigada por isso, pois vc fala mto do q eu queria gritar, pra td mundo ouvir, sóquenao. olha, soh digo uma coisa: queria te conhecer um dia de verdade e tentar passar nos seus testes. :)

Anônimo disse...

Gata, acredito que voce sofreu bastane e a infancia determina muito o adulto que vamos ser. mas dai o resto, sobre as pessoas serem fdp, ninguem ficar do seu lado! É A COISA MAIS NORMAL QUE TEM. unica pessoa pra se confiar totalmente? MÃE. voce tem a sua e tem mais que agradeçer, acho que voce se fode em relaçao a amizade porque voce é do bem e espera coisas boas dos outros. se voce tentar ser otaria com eles, antes que eles façam isso com voce, vai se um poquinho melhor hahahahaha.. pelo menos é o que eu faço. no mais, eu queria te fala que as coisas só acontecem quando a gente da um primeiro passo.. parece clichê mas é a pura verdade, sei disso pq tbm me senti muito tempo com essa ausencia! hoje em dia continuo solteiro, sem amigos e sem namorado.. mas pelo menos to fazendo minha faculdade, trabalhando e planejando um futuro legal pra mim, e acredita voce ainda ta nova.. quando voce chega aos 40 vai para e pensa que aos 27 anos voce ainda era um bebê. só queria fala um pouco o que eu tava pensando, nao quero ser um dementador e ja tem um tempo que to ensaiando escrever aqui.. e sou pessimo pra escrever hahaah beijos

guilherme disse...

_______O________

Se eu não fosse um monstro insensível, estaria chorando, porque entendo bem essa de dizerem sempre que você não é capaz, e de acreditar que estão certos a sua vida inteira.

Eu também testo as pessoas. E as abandono as vezes porque me canso delas, ou as vezes porque acredito que elas estão prestes a me abandonar, então o faço primeiro.

Engraçado, logo eu que sei como é difícil lidar com o abandono...

Não sei me relacionar com o mundo, acho que essa é a verdade.

Beijos

quase 26 disse...

faço 26 anos essa semana.
terminei 1 faculdade em 2009. e tô fazendo a segunda faculdade.
DETALHE: não trabalho.

vc pode dizer: ahhh nnão trabalho pq não quer ou pq a familia banca, é rica.


te digo: nada disso. mt pelo contrario.
não arrumo trab na minha área pq todos pedem experiencia q não tenho.

e tô nessa. farei 26 anos e nunca trabalhei, cada vez mais eu detesto fazer aniversário, só me deixa p/ baixo, triste e revoltada.

Metamorfoses disse...

Gente, mas há uma identificação tão grande... Até na volta pro Rio.
Texto maravilhosos!

Anônimo disse...

Apenas uma pergunta:
Se eles fazem isso com MULHER, imaginem com pessoas anôninimas diramente nas blitz´s da vida...

http://www.youtube.com/watch?v=tZxFxABQ4Lw

'Lara Mello disse...

Mas vai encontrar.. Eu nem gosto desse papo clichê que "você vai superar" ou "nunca é tarde, você só tem 27".. Porque de verdade, 27, provavelmente para algumas pessoas já aconteceu.. Eu com 23 espero que aconteça, mas sem cair do seu, mas tudo é tão difícil e complicado.. É, hoje não vou dizer nada, não tenho vergadura moral para isso.. Só desejo sorte! Muitas!!

@paulilinha disse...

Não sei muito o que dizer, exceto que a primeira coisa que pensei ao ler este post foi: Cora Coralina, uma das escritoras mais lindas que conheço, publicou seu primeiro livro aos 76.

Achei que valia comentar, em caso de vc não saber.
Era isso. Beijos

Elisson disse...

Como vc costuma a dizer eu te digo agora: Patrícia, me abraça!
;)

Julie! disse...

sempre escrevo coisas "engraçadas" no meu blog e sempre solto mta risada com o teu, hoje ambas soltamos palavras não tão hilariantes, tomara que os leitores superem. alias, me identifiquei, com os abusos na infancia, com os problemas com papai, com as expectativas de que a vida vai melhroar apos a faculdade, quando ganhar dinheiro, quando fizer 25. Pelo menos me puxasse pra realidade, beijos

Favuca disse...

Não sou pisicóloga nem nada. Mas confesso que eta não é a primeira conversa ou história que leio com o mesmo teor. As pessoas apresentam o mesmo comportamento e eu, mesmo permanecendo aqui junta, não consigo, não seu mais como ajudar. Quem sabe se você tentar nos mostrar as opções de caminhos nos encontramos e resolvemos tudo? Eu acredito sempre na capacidade das pessoas fazerem o bem e ficarem bem.

Anônimo disse...

Lembrei do meu poema preferido,"Ausência" de Drummond. Toma aí!

"Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim."

Anônimo disse...

O mundo é dos que fazem, não dos que esperam acontecer.

Afonso disse...

hahahaa sempre te um dementadorzinho no final hein, Patrícia.

Anônimo fechando o post com chave de ouro.

Anônimo disse...

Dementadorzinho? Vocês querem ficar chorando e reclamando de tudo o que não fizeram o resto da vida?

Você quer, Patrícia? Já está tão confortável assim só reclamar da vida? Você diz ter 27 anos. Já é idade suficiente para parar de culpar a infância pelos seus erros, por mais fudida que ela pode ter sido.


No fundo, os dementadores são vocês. Dementadores de vocês mesmo.

"O mundo é dos que fazem, não dos que esperam acontecer."

Que sua volta para o Rio seja uma volta de feitos.

Mas isso, depende só de você.

Torço por você.

Anônimo disse...

vai tomar no cu patricia. vc precisa é de pica. vc não é doente e sim está triste.
patricia faz parte daquela gnt chata que acha que é bipolar, esquizofrenica, tem trastorno de boderline e blah, blah, blah... isso td é muito sério. as pessoas que têm esses transtornos nem conseguiriam criar um blog qunto mais mantelo todos os dias. e não é subestimando a capacidade pq são pessoas muito inteligentes é pq todos esses transtornos são doenças de verdade.

quer ficar sozinha? azar é o seu, quer se matar? quem sentirá falta? quem tem a necessidade de saber disso. vc não é escritora e sim uma escrota infeliz. definitivamente, um atestado de idiotice para essa moça e todo o resto que sente por ela. acorrrrrda povo! essa moça não fala nada que se tire de proveito.

Patricia C. disse...

concordo na parte da pica pq taí uma verdade