sexta-feira, fevereiro 25, 2011

eu, que tenho sido vil

Tem horas que dá vontade de rir. Hoje, não. Aquela coisa que eu sempre digo, a minha vida é uma grande piada e tal. E na maioria das vezes, por mais difícil que seja, até rola um risinho. Hoje, definitivamente não.

Quando eu era pequena, não vou lembrar exatamente a idade, mas chuto uns 5 anos, tinha essa empregada do meu avô. E volta e meia ela ia lá em casa, me levava para escola. Quando a minha mãe chegava tarde do trabalho e meu pai estava em Miguel Pereira, ela dormia comigo. E daí rolava os abusos etc. É o tipo de coisa que traumatiza, mas de boa, caguei, nunca mais vou ver as fuças dela, então, beleza. Não rola essa coisa do Gerson de ir atrás e cuspir no vidro da penitenciária. Tenho dignidade. Nunca contei nada para a minha mãe.

Hoje, mamãe me liga.

- Lembra da Fulana? Ela foi despejada, chamei ela pra morar lá em casa.


Fiz um esforço enorme para lembrar quem era Fulana. E daí lembrei. Eu muda no telefone, minha mãe "Patricia? Alô, Patricia?". Parecia que o mundo tinha desabado na minha cabeça. Você tranca as coisas no porão e por longos anos acha mesmo que esqueceu.

Seguiu uma intensa discussão. Não quero ninguém na minha casa, porque eu volto pro rio até o fim de março, NÃO QUERO. E ela "você não manda em mim, a casa é minha", nesse nível. Falou que Fulana cuidou de mim na infância. Sei muito bem o cuidado que ela teve. Mas não podia dizer, né. Então, meus argumentos eram apenas "estou voltando pro Rio, quero a casa livre". E mamãe entendia isso como caguei-se-nega-é-despejada. Até porque, caguei mesmo, mas né, só porque nega foi uma escrota comigo.


Mamãe: Filha, o mundo não é assim, você não pode ser desse jeito.
Eu: Seu problema é que você só enxerga o lado bom das pessoas. Eu enxergo o lado bom e o lado ruim.

Mamãe: q/ ela cuidou de você quando eu precisei. Você tem que aprender a ter consideração pelas pessoas.


O q dela vai ser eterno. Nunca vai entender. Porque eu é que não vou contar.

Enfim. Terminou como sempre termina tudo. Mamãe desistindo da ideia porque eu sou um monstro de pessoa. Minha fama de vilã inabalável, "você é igual ao seu pai". Eu chorando aqui escutando The Cranberries - Ode to My Family, preferindo sair da história como vilã, do que descarregar nas costas de quem mais amo todos os traumas da minha infância.

Que o fardo seja só meu.

71 comentários :

Anônimo disse...

na boa, vai lá e dá uns esporros nela.

Anônimo disse...

sei que não ajuda em nada... mas sei lá. esquece o que eu falei

Anônimo disse...

ou talvez tu deva contar pra tua mãe... certas coisas, certos fardos, precisam ser divididos...

Jefferson Reis disse...

Puxa! Às vezes o passado realmente bate em nossa porta.

danielleblima disse...

eu contaria... isso é uma coisa muito grave. ;-/

@paulilinha disse...

Ai, Patricia, entendo esse negócio de não querer contar e respeito, mas vc sabe que é provável que vc volte lá e na sua casa a moça esteja.

Se fosse comigo, sinceramente, não sei o que faria.
Contar seria demasiado doloroso e é como vc disse: que o fardo seja só meu.

Por outro lado, apenas este seria o motivo para vc fazer sua mãe desistir dessa ideia.

Lecy disse...

Oi Patricia, sempre leio seus posts mas nunca comento...mas dessa vez fiquei meio chocada. Não sei nada da história do que aconteceu na sua infância e tal, e além disso me sinto meio que me metendo nos seus assuntos, mas como você não vai contar? Aliás, porque? Porque eu fico pensando que se eu fosse sua mãe eu gostaria de saber isso...enfim, desculpa mas queria muito falar isso pra você.
bjo e boa sorte..

♥ Fabíola (Bi). disse...

O legal, é que sempre quem FALE.
MAS PORQUE VC NÃO CONTA?

Mas SÓ SABE QUEM PASSA!!!
Então, na boa...
Melhor ler, dizer sente pela pessoa, pela situação, que NINGUÉM DEVERIA PASSAR POR ESSA SITUAÇÃO ainda mais sendo criança.

Isso FODE total a cabeça de uma pessoa.

Danielle Littera disse...

Tenho essa mesma sensação qdo converso com a minha mãe. "Um q eterno" :/

Mariana disse...

Não é questão do fardo ser só seu...ela é sua mãe,porra!
vai deixar ela achar pro resto da vida que todo mundo é bonzinho e vc é a malvada? aaff! ¬¬

Anônimo disse...

Calar é pior. Largue mão de ser IDIOTA e conte pra sua mãe o que esse monstro fez com você.

Parece que você prefere parecer o monstro diante das outras pessoas. Ponha as coisas no lugar. E escorrace a vagabunda da casa da sua mãe.

Raquel disse...

Eu nunca passei por isso (ainda bem), não sei como se sente, mas, não saia como a vilã não, vc não está errada, não merece q sua mãe pense q o MONSTRO é vc.

Tudo o que eu vejo disse...

Que o fardo seja só seu. Só na última frase, entendí...
Concordo q tem coisas q a gente não deve contar nem sob a forca.
Afinal, todos temos um fardo, e não somos obrigados à dividir com ninguém. Como diz a minha mãe, "nossas costas são da largura do fardo q carregamos".

Anônimo disse...

Pois tu devia mesmo é contar!! Tu acha que vai ganhar algum troféu por ficar carregando o mundo nas costas? Para poupar tua mãe? Porque tu mereces sofrer e ela não?

O TIO SUKITA disse...

atá que eu voltava pra casa sim... mandava na lata ou ela ou eu e pronto. mamãe ia ficar sem entender mesmo mas nem ligo, porque se eu boto o pé e uma figura dessas tá na minha casa ela tá morta. e bem morta.

A. Almeida disse...

Porra, Patrícia!
Está na hora de vomitar ao menos algumas dessas coisas. Mãe aguenta!!
... mesmo a sua. Até pra vc estar e ficar melhor. Vc pode até dizer q eu nada sei e estou me metendo. Porra menina!!! Nada DEVE ser pra sempre...

L.U.V.I disse...

Olha, tá fácil pro seu lado não. Parece enredo de filme, a merda é que não é, é a sua vida.
Não tô aqui pra ficar de conselheira, porque nem consigo dirigir a minha vida direito... Mas sofri diversos abusos verbais da minha mãe quando criança (o que não chega perto do que vc passou, vamos combinar) e no último Natal resolvi contar isso pro meu irmão mais velho e para algumas pessoas da minha família. Não fiz isso pra que eles acreditasse, tava pouco me fodendo, falei porque cansei de carregar merda sozinha, bem do tipo: quer saber, passei por isso e isso e isso e fiz o melhor que pude. Foi bom, tô mais leve. O que nego achou eu não sei, não interessa, o importante hoje, sou eu. Espero ter ajudado. Seu blog é fodásticamente bom!!!

Isabela F. disse...

Consigo entender perfeitamente, pq aconteceu cmg tb, nao a coisa da 'minha' fulana ir morar na minha casa, mas todo o resto da historia.
isso realmente fode com tudo.

Rick disse...

Sua mãe precisava ler só isso aqui:

"...preferindo sair da história como vilã, do que descarregar nas costas de quem mais amo todos os traumas da minha infância..."

Te admiro pacas!!!

Bjs!

Anônimo disse...

Nao entendo porque voce nao conta pra sua mae os abusos e deixa sua relacao com ela ir pro ralo. É como se voce quisesse que sua mae te odiasse. Sua mae não faz ideia do que aconteceu com voce , ela não é adivinha. COnta pra ela. Qual é seu medo? É ela realmente te odiar e falar que voce está louca , que é impossivel o abuso ter acontecido? Aí sim, voce manda sua mae à 77&&#@*¨@

Por outro lado, voce poderia consultar um profissional ( psicanalista/psicologo) . Nessas horas eles nos são extremamente uteis. Eles poderiam te ajudar no seu discurso pra não deixar deteriorar mais ainda sua relacao com sua mae.

Thatay Rodriiguês disse...

E que assim seja.

Duda disse...

É Patricia, eu sei exatamente o que é isso. e por saber como vc se sente agora, eu sei que vc deve imaginar q nimguem sabe ao certo o q vc ta passamdo. não tenho conselho auto ajuda,, do tipo não guarde isso, no seu coração. da um tiro nessa nega, assim como eu fiz. brinks. mas que é foda é, e eu q ainda tenho q de certa forma conviver com a minha "baba."
bjo.

Anônimo disse...

obvio que nao sei como lidar idem, mas se voce jogasse uma historia tipo 'ela me batia quando era pequena' nao numa vibe ELA ME BATIA EM CAPSLOCK mas tipo tranquilamente, como se fosse um caso isolado e tal. nao iria matar sua mae no coracao e ela iria te entender.

Rose-MS disse...

Minha filha tinha 4 anos(hoje ela tem 6) qdo foi molestada dentro da escola onde ela ficava em periodo integral(eu tinha/tenho q trabalhar). Me contou apenas 6 meses depois. Como mãe carrego esse fardo com amor, o maior do mundo, dói, mas pude defendê-la, se ela nunca tivesse me contado não poderia ter feito o q TODA mãe TEM q fazer num caso desses. Sinto dor qdo penso q tinha q ter percebido, bla,bla,bla. Mas acordo todo dia com o peito cheio de amor, chega transborda pq sei q ela pode confiar em mim,pq ela sabe q eu mato pra protegê-la, mas pra isso preciso saber se algo aconteceu. Acho q sua mãe gostaria tb de protegê-la, mas ela precisa saber do que. Bjos Patricia e se cuida.

Darlana Godoi disse...

Concordo que existem coisas que é melhor não saberem, mas quem sabe se vc inventasse qualquer outro motivo, tipo ela me bateu,para que sua mãe entendesse que vc não é vil...Afinal se você não a que magoar com seus traumas tb não deve querer magoar não sendo a filha maravilhosa que ela sempre quis...

Luciene disse...

Patricia,
O fardo não é só seu.
Vc paga(e caro) por todas as cicatrizes que possui.Vc foi bem marcadinha a ferro e fogo,sofreu,sofre e ainda sente culpa.
Sua mãe é o seu grande amor,e maduro da sua parte hj conseguir falar disso com tanta ternura,mas carregar um fardo do mal desses não é justo.
Ah,o mundo não é justo...não.não mesmo.Mas deveria ser. poderia ser,as vezes.

A vida tem esquinas,dobre uma e mude um novo caminho.
boa sorte.

Anônimo disse...

Vc tá se sabotando. Vc adora sofrer.

Anônimo disse...

Nossa, chorei. :(

Thaís disse...

A gente acha que a nossa vida tá sempre cheia de problemas, mas eis que, veja só, muita gente nesse mundo compartilha das mesmas dores que você, em maior ou menor intensidade. Não que isso diminua a sua, até porque eu acho difícil que algo que seja dito aqui surta algum efeito desse nível.

Mas enfim, tenho meus tramas, e acredite, eles não são poucos. E diferente de você eu não consegui segurar a barra sozinha, não por muito tempo. Mas o desabafo me fez bem, sabia?

Nunca fui dessa vibe de desabafar - sempre falei muito, da vida dos outros, nunca da minha. Mas cheguei num ponto em que não pude mais segurar meu fardo sozinha. E aí, quando desabafei, surpresa surpresa!, minha mãe estava ali comigo, de prontidão, como sempre esteve, e como a sua provavelmente estará.

Desculpas pelo comentário enorme, quase um post.

Beijos, Thaís

Anônimo disse...

"ôôôô coitadinha da patricia." tah sofrendo ? então morra. tbm passei por isso e ele era o pastor da familia. tm ideia do que é isso? acho q sim.
tow cangando pra vc, pra sua mãe (q é mais idiota q vc), para sua empregada pevertida, para o pastor e para o meu passado.
vc é uma idiota.
qm é gerson?

Anônimo disse...

Isso que eu chamo de generosidade (com sua mãe, é claro).

Gisele disse...

Patrícia

Te leio há tempos, comento pouco, mas sou sua fã.

Não quero fazer juízo de valor, então só quero colocar aqui o outro lado da história, ok?

Eu sou mãe. Eu gostaria de saber. Ponto.

Beijo, torço por você!

Anônimo disse...

olha, acho que é impossível proteger as pessoas que amamos poupando-as da verdade. é mais dolorido pra todo mundo.
depois vc diz que ela deveria cnhece-la, coisa e tal, mas vc não deixa escolha a sua mãe além de tachá-la de vilã.

por outro lado, tb é impossível ser protegida qnd não nos deixamos conhecer, nao dividimos nossos fardos. parece que vc pensa que não precisa de proteção, ou não faz questão.

guilherme disse...

Cara. Conta pra sua mãe.

Você pode achar que vc está privando ela de informações que a deixariam depressiva, mas se você não contar pra ela, essa monstra vai continuar pagando de santa e pode até molestar outras crianças por conta disso.

Sei que é difícil, mas acho necessário cara.

Mas, independente do que vc decidir, tô aqui, sempre.

Beijos.

Catita disse...

Eu quase escrevi pra vc ir dar parte da cadela, mas quer saber? Deixa ela vir na sua casa, deixa sua mãe acostumar com ela e chega na sua casa, de boa, fica sozinha com a vaca, dá um cacete bem dado, e espera sua mãe chegar e joga toda a real. Sabe, entendo q vc não queira magoar a sua mãe, nem dar mais uma dor pra ela carregar, justo ela que pelo que vc conta, já leva demais da vida, até hoje. Mas ela vendo isso vai servir de acorda, não só pra ela te valorizar mais, mas pra ela acordar pra vida. Vai ser um favor enorme que vc vai fazer pra ela, e ai nega, quero ver irmão dar tapa na cara dela de novo... ela vai arrebentar com esses filhos da puta primeiro.

Lari e Dé disse...

julgar é fácil, né "vc tá se sabotando" aff, morre anonimo desgraçado!
e patrícia...posso te dar um abraço?
porque é tão injusto um monstro desses reaparecer pra te prejudicar quando deveria ser o contrário.
Olhando de fora, sem entender nem um pouco o contexto da tua vida e da relação com a tua mãe (ex: se eu tivesse passado por isso e resolvesse contar 20 anos depois pra minha mãe ela simplesmente não acreditaria. então, né)
Mas pensa bem...de repente contar pode ser melhor para todos

Andréia disse...

Imagina se tivesse sido o seu próprio irmão e que vc tivesse que conviver com ele ainda, há 24 anos. Todos vendo ele apenas como uma ótima pessoa e vc a vilã, claro... Ainda alguém para dizer sempre "esqueça o que aconteceu, isso nao vai acontecer mais", como se realmente olhares não fizesse mal algum. A gente enlouquece com o tempo vivendo assim, a gente nunca vai ser "normal".

Anônimo disse...

Acho q vc devia contar pra sua mãe.Mas no seu lugar acho q tbém não contaria.

Desejo q essa vagabunda q abusou de vc sofra tudo de pior q o mundo trouxer pra ela.

Perdão é p/ quem merece. Tem gente como essa aí q merece é o inferno.

Sei q ñ ajuda em nada, mas fica aqui minha revolta.

Força menina!

Anônimo disse...

só queria dizer que tenho uma história muito parecida, abuso na infância por um primo. e em toda festa de família tenho que ficar lá, sorrindo, fingindo que não me lembro de nada, apenas porque não quero ser responsável por uma briga familiar, principalmente porque não tenho como provar minhas lembranças. também comungo da sua idéia de que o fardo é meu, não devo dividi-lo ainda que com minha mãe. Eu acredito que um dia seremos recompensadas "pelo universo" pela generosidade de não levarmos a outras pessoas o nosso sofrimento. Enfim, queria que soubesse que não está sozinha, muita gente deve dividir com você da mesma experiência e da mesma dor. quem sabe ajuda a aliviar um pouco?

Tula Verusca disse...

Nossa senhora.
Se isso fosse comigo essa filha da puta nunca entraria na minha casa. e Se eu chegasse lá e ela estivesse dentro ia rolar BAIXARIA por que eu a colocaria pra fora com direito a delegacia se fosse preciso.

bjus

t. disse...

não sei se você deveria contar para a sua mãe. porque além do seu fardo você vai ter que lidar com a culpa que a sua vai sentir. mas acho sim que você tem que dividir isso com alguém próximo ou com um profissional.

espero, sinceramente, que um dia você consiga se livrar de todos os seus tormentos e seja feliz.

Thamila disse...

conta para sua mãe. você não merece passar por tudo isso sozinh. ela aguenta.

Thais Ishimoto. disse...

Acredite, Patrícia, posso te dizer que esse é um fardo que NINGUÉM merece carregar sozinho.
Você deveria contar sim pra sua mãe, mesmo que isso vá chocá-la ou desequilibrá-la, ou que você ache que é tarde demais pra isso.
Pare de achar que você tem que aguentar essas coisas, porque você não tem. Ninguém tem.
Sou só mais uma palpitando aqui, mas te digo de coração que você merece e pode sair dessas situações em que você tanto sofre.

Catita disse...

A internet permite todos os tipos de canalhice por causa do anonimato. Eu pergunto aos meus botões, se a pessoa realmente está cagando para outra, pq perde preciosos 1 minuto e pouquinho pra vir até blog alheio e falar que odeia e mimimi... Sabe o que é pior, provavelmente é um(a) adulto(a)frustado, com postura de adolescente. Desculpa Patrícia, mas não aguentei o anônimo e tive q responder... É q agora tb virou moda nego falar q foi vítima de violência, bulling, abuso, td, só pra chamar a atenção. Ai aparece alguém que realmente se fudeu, como vc, e ainda tem que aguentar demência de retardado.

Anônimo disse...

Aconteceu o mesmo comigo, com uma empregada, quando eu tinha 5 ou 6 anos. E eu guardei... Foi péssimo.

Quando minha filha nasceu, eu virei neurótica. Eu tinha babá, mas a minha mãe ficava em casa com a babá. E eu dava ordens expressas pra NUNCA ela deixar a menina sozinha com a babá, e ela não entendia nada. Uma vez cheguei 1h atrasada no trabalho, porque minha mãe tinha saído e eu não queria sair e deixar ela sozinha com a babá. Por mais que ela parecesse boa pessoa, eu não confiava.

Daí explodi, né... Tive crise, chorava toda noite... Até que meu pai me levou numa psicologa pra uma sessão, e pela primeira vez na vida eu contei pra alguém o que tinha acontecido.

Daí depois contei pra meu pai e deixei pra ele contar pra minha mãe, porque eu nunca consegui conversar com ela direito. Ele chorou muito... ficou arrasado.

Mas o bom foi que, depois de falar sobre isso, todo mundo entendeu meu medo, e ficou mais fácil lidar com a neura. Ficou mais leve...

Falar ajuda.

Beijo!

Anônimo disse...

Eu também fui assediado, por um cara mais velho, pastor, que dizia que queria casar comigo, que ia comprar uma casa comigo, que ia se mudar... O cara tinha mulher, duas filhas mais novas do que eu... Quando meus pais perceberam, ligaram, disseram que iriam acionar a polícia, mandaram ficar longe e tal. E eu me senti protegido, seguro, sabendo que meus pais fizeram o que tinha de ser feito.
E se eu não tivesse falado? Anos depois, diriam que eu estava implicando com o cara a toa.
O melhor é falar.

Anônimo disse...

kiko, conta tudo pra sua mãe!


rss e o anônimo do "quem é gerson"! hahahaha

Opinião de mãe disse...

Também sofri um abuso na infância. Acredito que com uns 7,8 anos. Nunca contei pra ninguém! Entendo totalmente sua posição. E acho lindo que você queira poupar sua mãe.

http://www.maedeopiniao.blogspot.com/

Anônimo disse...

Patrícia, acho que se você não precisasse desabafar sobre isso você não postaria pra outros lerem.
Então isso é sinal que você precisa conversar sobre isso e não é nenhuma fraqueza fazê-lo.Se você já deixou dezenas de pessoas saberem o que aconteceu, porque não dividir com a única pessoa que mais se importa com você? Como alguém já disse: "Alguns fardos precisam ser divididos..." E nada melhor do que quem amamos, não é?

Anônimo disse...

Meu irmão me assediou. Foi uma vez só, eu dei um chega pra lá, parei de falar com ele, cortei os papinhos que vieram depois, isolei etc. Fiquei um tempo travada, engolindo a mágoa e o trauma sozinha. Até que minha mãe quis saber pq eu não falava com o fulano. E eu contei o porquê. O que aconteceu? Minha mãe cagou pra mim. Eu vivia sob o mesmo teto que o cara e ela nunca fez nada N-A-D-A! pra me defender, nunca me disse nada, e eu só queria ouvir um "não foi culpa sua, seu irmão é um bosta" ou algo assim. Pior: me sentia mais culpada ainda, constrangida, pq ela me censurava porque eu nem sequer suportava dizer o nome dele. Me sentia a monstra, pq ele ficava na dele e eu que era a rancorosa, a razinza, sei lá...
Hoje lido melhor com isso, já falo com ele, mas olha: desabafar não resultou em nada, só piorou, e eu tive que me defender sozinha mesmo. E, ao trauma de meu irmão, juntou-se a mágoa por minha mãe. E, não sei, talvez tenha aborrecido minha mãe à toa, já que ela, obviamente, não estava preparada pra isso. Por isso te apóio nessa decisão.

Se a tal mulherzinha acabar indo parar na sua casa, faz da vida dela um inferno. Ou ignora. Ou, tipo, na hora do jantar, todos reunidos, vc joga um "se lembra fulana, qdo vc fazia isso e aquilo comigo? hahaha". Assim, despreocupadamente. E deixa a bomba explodir na mesa.

Ou o que for melhor pra vc. Vc é quem sabe de sua dor. Desculpa o coment gigante. Bjs!

MadameTPM disse...

Me apaixonei por vc. Não com meu coração, não como a tia do pé quebrado do seu sonho achava, mas com meu ego. Tudo tão parecido, achei meu refúgio, pego minhas cervejas e me jogo aqui onde parece que sou eu escrevendo, numa realidade parelala muito parecida em situações mas com o português um pouco melhor. Eu diria que vc é fodona, mas não combina com a minha auto-estima.

Camilla disse...

É dificil mesmo abrir nossa caixa de pandora com alguem que por mais que esteja próximo como a sua mãe de vc. Alias principalmente, esses assuntos e com essa tal proximidade. Queremos poupar quem amamos, mas e cadê nosso amor proprio? Realmente dói, nunca consegui conversar com a minha mãe sobre certas coisas e por mais que nego diga que é melhor falar, dps quem aguenta certas consequencias? vc. Decida se vale a pena abrir sua caixa de pandora, avalie, pense, repense, mas sobretudo faça oque VOCÊ julgar melhor. Ninguem sabe oque é melhor pra nós mesmo do que a gente.

Fica aqui um abraço apertado: []'s

Danielle Littera disse...

Patrícia, acabou o BBB e eu já tô esperando vc descer a lenha no Diogo. Hahahahahahahahahaha

Beijo.

Allana Gama disse...

parece uma síndrome-de-boa-moça-de-manoel-carlos, que quer aguentar tudo que passa na vida sozinha... não faça isso! Nenhuma pessoa consegue passar por essas coisas sozinha!

falo por isso porque já passei por situação semelhante e com familiar, o que é bem pior, e contei depois de velha, pra algumas pessoas e digo, aliviou MUITO o que eu sentia.

se quiser conversar pode avisar.
Abraço.

Rosana Tibúrcio disse...

Um carinho, Patrícia.

eusoqueriadizer disse...

Patricia!

Quer ser minha amiga???? rs... Teríamos mtos assuntos pra conversar...

Bjusss

۞ Sol disse...

Acho que vc deveria contar porque, afinal de contas, sua MÂE, a pessoa que você mais ama no mundo, simplesmente tem uma idéia errada de quem seja a própria filha. Tudo bem que vai doer, mas é melhor vocês sofrerem e serem sinceras em tudo uma com a outra do que viverem um vida encoberta. Sinceridade nunca é demais Patrícia.Grande abraço!

wilson silva disse...

Patricia, imagine o seguinte cenário: sua mãe descendo a sete palmos (pra onde todos iremos um dia), e você sem poder dizer a verdade a ela. Eu passei por uma situação semelhante, não contei à minha mãe, ela se foi e agora, todos os dias, esse pedaço de mim que não expus a ela quando tive a chance me incomodam muito. Eu diria a ela, com a maior tranquilidade possível para uma situação assim, tudo o que aconteceu. se ela não acreditar - o que pode acontecer - pelo menos voce fez sua parte. eu não carregaria nos meus ombros o crime alheio, em hipotese alguma. enfim, boa sorte para você...

JL disse...

problema de você voltar é o risco de vez em quando encontrar a criatura.
ae, umas boas porradas na cara dela e um suma pra sempre ou te faço sumir ela merecia...
só é arriscado ela ainda se fazer de vítima e sua mãe ficar [mais] brava contigo...

Melissa Mell disse...

Respeito sua decisão, mas se o critério é sua mãe não sofrer, pense que ela pode sofrer muito mais por achar que vc é uma pessoa ruim do que pode vir a sofrer sabendo que vc foi abusada.
bjs

Anônimo disse...

Vc não quer carregar esse fardo sozinha, prova disse e desabafar aqui, o fato é que tem medo da sua m~e duvidar dela preferiri acreditar na fulana do que em você, isso seria o fim pra você, seria macular o amor tão sereno que vc tem por ela e acabar com a relação.

Isso tb é egoismo da sua parte, primeiro pq óbvio se ela fez isso com vc fez e provavelmente ainda faça com outras crianças, então te ponho um pontinho unico, te imagine daqui 5 anos acontece uma reviravelta na sua vida e tu tem uma filha inocente e linda, precisa sair e deixa a baby com sua mãe, acontece algo sua mãe precisa sair e deixa baby com a talzinha?

Consegue entender?

Quem machuca machuca sempre, mas nem sempre a mesma pessoa.

Não precisa falar com sua mãe, agora talvez até já tenha passado o tempo de se fazer alguma coisa, mas minha opinião é que sua mãe precisa saber, precisa entender que tudo nessa vida tem motivo, tudo tem porque e que a filha dela não é só egoista, é ferida tb.

bjus

Gláucia

moleskine disse...

sinceramente, patrícia...eu acho q chegou na hora de vc dizer : JÁ DEU. pq já deu mesmo. a vida de muita gente é cheia de merda, não é só a sua. mas a merda na minha vida eu já chutei.

Coala Fumegante disse...

Quando chegar no Rio, aproveita e bate um "papinho" com a dita cuja. O mundo gira...e a oportunidade de se vingar cai no colo! Torne-se "vilã"! Com bons motivos!

Vanessa disse...

Sou leitora assídua exatamente porque me identifico e costumo comentar. Mas hoje, qual é. Síndrome de mártir, Patrícia? Sabe o fim de todo mártir, né? Despeja logo essa porra "não quero essa fulana em casa porque ela me fez isso e isso." Se fosse eu ainda terminava com uma cara de coitada: "tá vendo como vc me julga mal mãe? não sabe nada sobre mim buaaaaaaaaa"

Renata disse...

Então peraí, você não conta pra sua mãe essa tragédia, mas conta para um bando de desconhecidos?

Você acha que sua cruz é enorme, mas é você quem superdimensiona ela com esse tipo de atitude.

Como diz minha psicóloga: tem que fazer terapia, pra ontem!

'Lara Mello disse...

Olha, não vou apontar o dedo, fiquei doente e e meu padrasto dizia que ia passar o remédio em mim, ele passava, mas ele me colocava em várias posições sexuais. Mas não passou disso, eu não sabia é não vi a maldade, hoje sei que é abuso. Nunca contei a minha mãe, e não vou contar, na verdade não vai mudar nada, no meu caso, claro. No seu só você sabe.. Se cuida. Bju!

Anônimo disse...

Nossa, essa história me chocou.

Pra começar, sabe o que eu acho mais foda? Você quer poupar sua mãe, uma ADULTA, de uma verdade que você tem que carregar sozinha desde os 5 ANOS DE IDADE.Porra!Isso é justo??

Como alguém comentou anteriormente,deve ser bem melhor pra sua mãe (embora doloroso) saber do que se passou na sua vida e te faz agir assim do que ficar "protegida" dessas notícias ruins sem saber o porquê de você agir assim ou assado, pensando coisa tipo "Ah, não sei pq a Patrícia não quer ajudar a quem precisa e que tanto me ajudou" e tals.

Tenho certeza absoluta que vc precisa desabafar isso. Se não for pra sua mãe, que seja pra um psicólogo.Sério, isso faz muita diferença, faz a gente ficar muito mais leve.

Nunca sofri abusos desse tipo, mas apanhava muito do meu pai até uns 12, 13 anos... Depois de adulta, volta e meia eu colocava isso à tona, tipo "Lembra aquela vez que você me deu um soco na cabeça por isso e aquilo"? No meu caso é diferente pq, né, além de pôr pra fora eu confrontava, mas foi bom pôr tudo a limpo antes do meu pai falecer.


ps: E se eu fosse vc, além de contar pra minha mãe - no caso, esse assunto fica a seu critério- eu ainda promovia um belo momento Gerson só pra ver a reação dessa VELHA FILHA DE UMA PUTA e pra refrescar a memória das monstruosidades que ela fez e de como o mundo gira e hoje em dia ela só merece o desprezo de quem poderia vir a ajudá-la

Julie! disse...

de novo me identifico hahah, eu não fui no enterro do meu avô porque tinha raiva dele pelos abusos que passei na infância, pra não contar pra ngm porque eu não queria ir, disse que não gostava de funerais, não fui em mais nenhum funeral na vida pra poder seguir com a mentira :/

Joy disse...

Oi Patrícia,
FAz tempo que leio seu blog e nunca deixei nenhum comentário, mas, dessa vez, me mobilizou muito.
Sei que nada que uma pessoa aleatória poste sobre algo que vc escreveu vai mudar sua vida, mas você não precisa ficar guardando tanta carniça dentro de si. Afinal, quem se prejudica é você. Além disso, poupar os outros (que, de um jeito meio torto ou não, te amam), tem falta de confiança nesse amor, na possibilidade de conseguir um apoio?
Há muita sujeira no mundo. A gente passa por muita sujeira enquanto anda. É bom se limpar, ainda mais de coisas tão antigas assim.

Anônimo disse...

Patricia,

Conte sim para sua mãe. Os pais amam os filhos e fariam qq coisa por eles, mas a recíproca não é verdadeira. No entanto, o fato de você guardar para si todo esse sofrimento é a prova do quanto ama sua mãe, pois quem ama quer o sofrimento para si.

Nesse caso, você foi vítima do que aconteceu e, passados tantos anos, precisa compartilhar com ela para se livrar desse fardo. Principalmente porque ela tem dentro de si os princípios divinos de Verdade, Justiça, Ajuda verdadeira, Amor ao próximo - dá pra perceber só pelo diálogo que tiveram, sobre abrigar a moça despejada.

Não é justo que ela pense que você é um monstro. Não deixe a relação de vocês deteriorar por causa de uma pedófila, não permita isso.

Depois de contar a ela, se sentirá mais leve. Aí você poderá "largar a pedra" e seguir sua vida de forma brilhante, sem influência do passado. Tenha CORAGEM.

Um beijo enorme.

Anônimo disse...

Não dá pra tapar o sol com a peneira, você continua se queimando. A dor permanecerá latente se enterrar isso dentro de você.

TUDO o que se faz de errado nessa vida volta para nós. Perceba q de alguma forma essa mulher está colhendo o que semeou na vida dela. Nesse momento ela sequer tem um lugar para morar, quem dirá comer, etc? Enfim, o universo se encarregará de "retribuir" TODOS os gestos dela (sejam de maldade ou bondade) e ensiná-la.

Corte o mal pela raiz e conte tudo à sua mãe. Não permite que essa mulher traga mais transtorno à sua vida. Já chega! Poupe a você e a sua família desse desgaste.

Só pelo diálogo com sua mãe, que vc transcreveu, nota-se que em sua mãe uma boa índole, caráter, ajuda ao próximo, evolução. Ou vc acha que qq um abrigaria uma ex-empregada desabrigada? NÂO!

Justamente por isso, sua mãe sentirá TUDO o que você passou, potencializado em 1000 vezes, porque é sua mãe e te ama incondicionalmente! E vocês juntas poderão dar uma bela VIRADA DE COSTAS para essa pedófila. Nada substituirá esse sentimento de cumplicidade e amor que renascerá entre você e sua mãe! Tenha CORAGEM para contar!

Agora é hora dessa mulher carregar a cruz dela sozinha. E de você se libertar de tudo o que ela causou, e seguir a sua vida sem olhar para trás, com a tranquilidade de quem agiu certo e sabendo que isso (apesar de negativo) contribuiu para sua evolução como pessoa.

A vida que você terá depois de se libertar disso tudo só depende de você, da sua mente. Liberte-se, escolha ser feliz e SEJA INFINITAMENTE FELIZ!