segunda-feira, outubro 12, 2009

as flores do jardim da nossa casa

Eu disse mais cedo no twitter, que hoje eu ia falar sobre a história dessa foto.

Mas não deu. Então só fica a foto.


A dor não veio, a dor ainda é funda, e eu já contei tanta coisa, mas olhar para essa foto me faz saber porque eu estou aqui. A grande capacidade, o grande talento que eu tenho, de estragar as coisas.

Feliz dia das crianças.

14 comentários :

Sérgio disse...

Nossa, nem sei do que se trata, mas fiquei com muita pena.

A Almeida disse...

Nem sei o que de verdade foi, mas tudo que passa e marca , dói muito!

guilherme disse...

eu sei do que se trata, e acima de tudo, eu sei como você se sente...

não sei como, mas de alguma forma a gente segue...

beijos.

Patrícia disse...

Acho que vc é uma sobrevivente muito forte... Acho que seus amigos têm uma sorte danada de ter sua amizade... Acho (e desejo!) que vc vai superar e cicratizar seus sulcos mais profundos... Só não acho que vc tenha porra de talento nenhum para "estragar as coisas"... Eu sei que não te conheço, mas nunca subestime a minha intuição, please. Abraço cordial.

Priscila disse...

Tô por aqui há pouquissímo tempo, mas acho que o que acontece as vezes é que a gente funciona como uma esponja que absorve a culpa de muitas coisas.

Estou aprendendo que algumas dessas muitas coisas em muitos casos nem sequer tem um culpado.

Grande talento para estragar as s, é? isso pq vc não me conhece, rs. Um dia, eu te conto.

bjo!

Pat Rocha disse...

Vc está onde está porque tinha que estar... Não é vc que decide isso.. Te garanto... Todos nós temos nossos buracos e eu não meço a dor de ninguém, porque sentimento não se mede. Mas uma coisa eu aprendi enquanto estava lá dentro do meu buraco ainda: a culpa não foi minha. Acontecimentos funcionam como uma teia, todos interligados e que nos levam a um desfecho que, na maioria das vezes não é o que desejávamos... Não sei o que houve com vc, xará, mas,livre-se de qualquer vestígio de culpa e perdoe-se de qualquer coisa... Pq controle da vida, definitivamente não está nas nossas mãos, apesar do nosso livre arbítrio, a palavra final não é nossa. E em algum momento nos é dada a oportunidade de entender os própositos que antes não éramos capazes de enxergar...
Um beijo
Pat

The Blues Is Alright disse...

Eu pensei em várias coisas quando entrei aqui. Primeiro, pelo nome (é, sou meio daquelas que leva livro pelo título) - até porque eu disse isso pra uma pessoa desse mesmo jeitinho semana passada. Depois, pela foto... é misto de tudo. Aposto que você distruiu a roseira (?), te pegaram no flagra, falaram A-HÁ! e você tampou a cara e bateram a foto. E, provavelmente, eu estou errada.

Beijo.

Hector Nathan disse...

aprenda e assim que aprender abandone o que é velho, deixe espaço para o novo ;]

vc escreve muito bem, adorei aquela sobre o cancelamento do enem, nice!

Thais disse...

Acho mais bonitas no chão do que no pé.

Talvez você precise encontrar pessoas que gostem mais de pétalas no chão. Talvez...

E talvez então doa menos...

marco disse...

TEEEEENSO

Diz ela disse...

Aiiiiiii doeu aqui tb :(

O blog Duas Doses de Desdém mudou pra este! Em respeito a você, nobre leitor(a)nossa equipe pensante composta de um neurônio e algumas calorias convida você a visitar o novo blog.

Beijos!
Gui

http://dizagui.blogspot.com

Anônimo disse...

Olhei até ficar cansado
De ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado
As flores que estão no canteiro
Os punhos e os pulsos cortados
E o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado
E embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados
Há flores em tudo que eu vejo

A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas
As flores têm cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes
Flores
Flores
As flores de plástico não morrem

Anônimo disse...

Olhaaaaaaaaa! Vc jah foi magraa! he he he

silvia neves disse...

ó, que post triste. de verdade. que vontade de abraçar essa garoteenha da foto.