segunda-feira, julho 27, 2009

filhos

Já disse aqui sobre meus traumas de nunca querer ter filhos por vias naturais, não vou repetir os motivos porque ZzzZzzzZzz, mas sempre pensei em adotar. Faço minhas contas, estou com 25, 30 anos não é assim tão longe, é logo ali, então lá pelos 40 anos, acredito eu, já estarei estabilizada na vida e é uma ótima idade para adotar uma ou duas crianças com idade de mais ou menos 7 anos. Nem pensar em adotar mais novo, porque alou, ficar ensinando criança a comer? Tirar fralda? Ensinar a amarrar cadarço? Total não é minha praia.

Essa semana GARGALHEI no telefone, porque o Allan quer ser pai e levou a história muito a sério.

Amiga, vamos ter um filho juntos?

Vamos sim. Eu sempre disse que queria adotar.

Poxa, eu sempre quis ter um filho meu.

Amigo, nem pensar que vai sair uma criança de dentro de mim.

Eu gozo numa seringa.

Não.


Aí entramos em uma discussão sem fim sobre o sexo e o nome das crianças.

(Só um parênteses. Kiss my ass, assistente sociais, mas nunca que vou ficar com uma criança chamada Uoshintgon/Ueliton, VOU MUDAR O NOME DA CRIANÇA SIM!
Fora que durante a conversa eu sempre confundia e dizia "alugar" uma criança ao invés de "adotar". Capa da época, a gente se vê por aqui)

Eu quero um menino, vai se chamar Arthur.

Arthur nem pensar! Nome horrível, nome de menino burro.

Nada a ver. Vai se chamar Arthur e ponto final, minha homenagem ao Zico.

Também não quero menino. Pai viado, vou ficar brincando de futebol? Não vou! Quero menina!

Menina não! Não levo o menor jeito pra ser delicada. Quero levar meu filho pro Maraca todo domingo.

Deus me livre! Quero brincar de barbie com a minha filha. E ela vai se chamar Valentina.

HAHAHAHAHAHA que nome de PIRANHA!


Pode ser, mas um nome lindo.

Se for uma menina vai se chamar Luiza.


Só sei que eu caia de sono e o Allan levando super a sério o papo, fazendo planos:

Minha filha vai ter tudo, não vai sofrer feito a gente que foi pobre.

Sofri muito. Queria o caminhão da barbie e não tive, meu sonho era um aniversário no McDonald's.

(Como diz Racionais Mc's, é foda, foda é assistir a propaganda e ver, não dá pra ter aquilo pra você. Só espero que meu filho não seja um playboy forgado de brinco, o trouxa)

Acho que o Allan será um bom pai, alguém tem que contrabalançar eu como mãe.

Amigo, seja o pai e a mãe do nosso Arthur, porque se depender da minha lua em áries, nosso filho, aos 20 e poucos anos, escreverá um texto dramático no dia das mães.

7 comentários :

Ka disse...

huahauhauha
os nomes dos meus filhos

arthur e luiza..

Guilherme disse...

Acho que nunca terei estrutura para ter filhos.

Mas, quem sabe eu ganhe na loteria um dia.

Patrícia disse...

It's so easy, guys! Você e Allan juntos adotam Arthur e Valentina. Pronto! Agora, olha só, concordo com o Allan: Valentina é um nome lindo! E Arthur era o nome que meu pai (flamenguista roxo/púrpura!) queria me dar, ok, young people, sou da Idade da Pedra, não existia ultrasom...

Patrícia disse...

Esse post foi tão bom que vou comentar de novo! Fico imaginando você (e Allan) c/ esses dois filhos, os posts ótimos que iam rolar! A Valentina ia ser loosho total, não ia sair de casa sem gloss e rímel nem p/ ir à padaria: pápis não ia deixar!

Anônimo disse...

Eu fico pensando... e morro!!!! quando escuto o que minha filha fala sempre para mim: ..."eu nunca vou ter filhos, com esse mundo horroso"...
Fico chocada, sou uma mãe intensa e queria ser uma avó intensa(nos meus 44anos)...
E ai eu questiono: ...e a continuidade...?????

sylvia disse...

Tô grávida e por coincidência meu marido queria Arthur (mas vai ser Heitor) e eu queria Maria Luiza (mas mudamos pra Mariana)... temos o gosto pra nome parecidos.. hehehehehe

Allan disse...

AHAHAHAHAHA Essa vida me surpreende a cada dia.ahahahahhaha
Se viver quero ser Pai de uma Maninaaaaaaaaa
Bjs!