sexta-feira, junho 12, 2009

trajetória amorosa de um dedo podre

Aproveitando o dia dos namorados, nada como um post para perder a dignidade.

A fossa meio que passou, mas o que não passa é o meu dedo PODRE para escolher as pessoas que vou gostar. E veja bem, não falo de trepar, sabe, falo das pessoas que eu começo a gostar, que um dia já nutri algum afeto. Sexo, bola para frente se você teve vergonha no dia seguinte, mas como seguir em frente quando você gosta de um bundão?

Não é possível, NÃO É CORRETO eu só ter amado os piores naipes. Chicleteiro é pinto, gente.


Meu primeiro amor foi um gay no jardim II . Digo gay porque já cresci, né? Nego quando dá pinta aos 5 anos, pode apostar que permanece. O fato é que todo dia na hora do recreio eu perguntava "Você quer namorar comigo?", e ele "não sei", até o dia em que finalmente ele disse "não quero você, quero namorar Fulana". Ou seja, 5 anos de idade e já me decepcionando com o amor. Isso sem contar minha tática infanto-pirigueísta de sempre escolher ser o ladrão na brincadeira do polícia-e-ladrão. Toda uma coerência já que eu queria ser agarrada. Pena que o gay só escolhia ser o ladrão também.

Um outro amor significativo foi o beiçudo de Irajá. Hoje ele é integrante da torcida jovem do flamengo, daquele tipo que posta fotos com dedo de vaitomarnocu na frente de bandeirões capturados da força jovem do vasco. Classe. Também é praticante de Jiu-Jitsu .(Olha, quem tiver meu orkut, procura lá por "Jiu-Jitsu Puro Chão"). Dignidade, cadê?

Eis que com 12 anos de idade aparece o chicleteiro e nosso encontro é cinematográfico, eu na escada descendo, ele subindo e , os dois ao chão, ele me ajudando a catar as folhas do fichário e eu estática meu-deus-achei-o-homem-da-minha-vida, pena que provavelmente ele estava pensando que-retardada-não-olha-por-onde-anda, mas enfim.


Fizeram as contas? 25-12=13

13 anos gostando de alguém.

Na época da faculdade até rolou o filósofzzzz, mas como todo bom filósofo ele era um tremendo babaca, do tipo que conhece cada canto do ccbb, vive em sebos, anda esquisito, usa óculos com aro enorme, traduzindo: BOCEJOS. Papos mais chatos do universo e tudo mais. Nego passa 8 horas na faculdade, sai para um bar e fica falando de Fenomenologia do Espírito? Vai chupar uma buceta, porra! Tenho paciência não. Toda a minha esperança de alguém fazer frente ao chicleteiro foi por água abaixo.


Que dia cu.

10 comentários :

disse...

Eu acho que estou indo pelo mesmo caminho que vc: gostar anos de uma pessoa que caga pra gente.

Metheoro disse...

meu sonho:

Descobrir quem é o chicleteiro.

Bjs

Liva disse...

Nunca gostei nem 13 meses da mesma pessoa... Meu dedo podre é rodado.

Ana disse...

ai....dá uma chance pro índio!
Viver pelado, pintado de verde, não ser monogâmico e não precisar estar sempre montada pra descolar um peguete tem seu valor hein?
Juro...tô zoando não!!!!!
beijo

Mel F. disse...

É, somos duas, viu?

E esse dia dos namorados também foi chato para mim também, eu aqui, sozinha :\
E de coração derretido também :~~~~~~
chega tô retardada...tipo imaginando a pessoa sorrindo e sorrindo junto, sabe? deve ser igual com o chicleteiro também...é.

:*

Ana Luiza disse...

gostar de chicleteiro é suicídio, já pensou ter que ouvir toda a trilha sonora do chiclete? Putz! É muito castigo.

paula disse...

foda né?! gostar de alguém q n tá nem ai.. :/ tô numa situação semelhante.. fgooo fogoo

Savoy disse...

Metheoro disse tudo, cara. haha

impressão ou mudaram alguns filmes lá de cima e pá?

Taynara disse...

Esse negócio de amor platônico é meio que story of my life. Mas nem me animo de falar disso no blog, pq do jeito que é no dia seguinte meu nome tá correndo por aí...

Mas MORRI com o filósofzzzz... que coragem a sua, encarar um chato assim!!!

Bjs,

guilherme disse...

hahaha.

acho que eu sou o filósofzzzz da minha pós graduação. Beiçudo de Irajá é foda ri muito.