sábado, junho 20, 2009

geração basket case

Olha, já começo esse post dizendo que tenho muita VERGONHA do que vou dizer. Mas enfim. O que é a minha vida senão uma vergonha sem fim?

Eu cansei, sabe. Mas cansei foi de trabalhar, não foi de Jiboia City, não foi um cansaço porque o trabalho é um saco (nem é, as vezes é até legalzinho), mas é um cansaço de TER que trabalhar. Saudade da minha vida de acordar 5 da tarde e passar a madrugada em claro na internet. Saudade. Lembro que todos os meus amigos diziam "você vai ver como é legal trabalhar, ganhar seu dinheiro, se sentir útil..."

Na boa? Meu cu.

Eu sei que pode parecer que estou sendo ingrata, já que meses atrás eu estava aí na INATIVIDADE reclamando da vida, reclamando que era sustentada por mamãe. Mas ó, SAUDADE.

Não sei se talvez esse sentimento seja normal para quem começa a trabalhar, idade que para a maioria das pessoas normais vai dos 18 aos 20 anos. Então, digamos que é normal você ter 18 anos e reclamar que queria a boa vida de antes, sossego, mó solzão, praia da barra. O que não é normal é a pessoa ter 25 anos e reclamar disso, é aí que entra a vergonha que eu falo, porque sou a primeira reconhecer a infantilidade da minha reclamação.

Eu sinto como se a minha vocação de vagabunda não estivesse sendo respeitada pela vida. Como se eu tivesse nascido com a vocação de ser surfista, mas infelizmente por um sarcasmo do destino tivesse nascido no PARAGUAI. Cadê meu mar? Como posso ser feliz nessa situação? Sinto como se o maior sonho da minha vida fosse dar muito, mas que por obra da fatalidade eu tivesse nascido na Ilha de Lesbos. Tô afim de chupar xoxotinha não, quero piroca. Entenderam?

Não adianta nego dizer "tá infeliz, volta pro Rio", porque não é o Rio de Janeiro que será minha salvação. Minha salvação é eu descobrir hoje que tenho uma herança milionária e nunca mais na vida ter que trabalhar. Eu nasci para acordar às 5 da tarde, eu nasci para não fazer nada e estou eu aqui pegando no batente. Não tenho a visão que o trabalho dignifica.

E gente, lembrando que faltam 29 ANOS E 9 MESES para eu me aposentar.

Tenho salvação?

26 comentários :

Luciano disse...

tem sim, vira artista!

;P

bjo, tamu junto princesa.

ass: Mano Netinho de Paula.

huehuehuehueuheuheuheeuhue

Juliana Monteiro. disse...

Uma solução mágica pro seu caso não existe, moça. Tá cansada? faça como eu, vá até algum psiquiatra e conte o drama da sua vida, os sintomas que esse drama está lhe causando (e pelo que eu vi nem precisa inventar ou exagerar assim como eu) e ele comovido com a sua situação, te dará 30 lindos dias de descanso + receitar fluoxetina + alprazolam ou algum outro ansiolítico. Isso não vai resolver pra sempre seu problema, mas tem grandes chances de amenizar. Eu ainda estou no terceiro dia desse atestado, mas estou achando tudo lindo demais. =)

Beatrix Kiddo! disse...

Patricia, minha mãe ontem:
- Georgia, seu pai ganhou na loteria!

Eu pensando: UAU! Estou rica, vou viver Paris Hilteando no mundo, né?

- É mãe? quantos milhoes?

- 50 Reais.

Eu posso com isso? Então, essa sensação de ter e depois perder eh pior do que nunca ter tido.
Mas vc não passou num concurso público? Eu sei que tem concursos e concursos, mas não deve ser um trampo tão pesado assim.
Pensa que vc poderia ser, sei lá, uma pedreira ou uma pessoa que trabalha na rua, fazendo trabalhos ao ar livre. Sei lá... estou tentando te animar, ou... não te deixar pior. Ah! não sei o que tô falando mais.

Juli disse...

Ai né? Imagina ganhar dinheiro assim? Fazendo nada?

Ia adorar... *-*

Mas alguém lá em cima não gosta de mim e eu não tenho parente rico prestes a morrer... Então bora trabalhar... ¬¬"

.duas doses de desdém disse...

TENS SALVAÇÃO SIM!


Publica teus post's num livro e fique rica! \o/

Anônimo disse...

Quem sabe vc não vira apresentadora de MTV...seu blog ta fazendo sucesso, né? A cabelo vermelho lá não parou na MTV assim?? Hehehehe

Bellatrix disse...

Hm, concordo ctg.
Trabalho dignifica o rabo dos politicos. Se eu pudesse ser deputada, viajar direto, mandar na vida dos outros e ainda ganhar pra isso eu seria. Taí patricia, se candidata a deputada! Tu é famosa nega, consegue.

Seja Paris. Asho digno!

Taynara disse...

Adorei a solução que alguém sugeriu da licença médica... pena q na facul isso não ia ajudar!

E concordo com outra pessoa q falou: um livro do teu blog ia vender feito água!!!!

Bjs,

guilherme disse...

Te entendo.

Mas sinto falta de trabalhar em algo útil. Queria ser dono de alguma coisa, contratar um gerente pra trabalhar pesado e eu faço só aparições pra ver se o negócio está fluindo...

=/ Nasci na família errada. Sempre soube que meu sobrenome era pra ser Windsor.

Quéroul disse...

muito compartilho. pior ainda, eu tô na idade de 'estou na metade da minha contribuição e daqui a poucos anos eu aposento', mas não. nunca contribuí e tomei no meu.

super canso só de pensar em trabalho-salário-imposto, é um horror.

Aline disse...

Patrícia,

você acabou de virar minha diva master :D falou tudo o que eu acho..e hello tenho quase 24 anos na cara e nem um pouco de vontade de trabalhar! Queria ser sustentada pela minha mãe forever

concordo com a amiga lá em cima, virar Paris Hilton da vida é digno!

Ana P. disse...

Pat, quero nem comentar, pq o que vc escreveu vai tão de acordo com tudo o que eu penso que... não tenha vergonha não, querida!

As pessoas dizem que gostam de trabalhar por uma simples convenção social.

Luísa disse...

Jesus, ela me entende *-*

é eu ainda estou nos 20 anos,
sem nunca ter trabalhado... precisando começar a enfrentar isso agora. ;x

ô vida dura,
vamos jogar na megasena? Fazer fézinha, vai que dá né? rs

beijos, bom domingo.

Pedro disse...

Putz, é foda, eu entendo seu sofrimento. Eu genuinamente entendo. Então não ofereço nenhum tipo de ajuda, mas saiba que eu entendo e você não está sozinha no grupo das pessoas que acham que a vida deveria ser um grande ócio sem fim. Abraço.

claudia lyra disse...

Aaaaaaaahhhhhhhh!!!! Você entrou na minha cabeça e escreveu exatamente o que penso! Pior é que trabalho desde os 16 - quer dizer, há 24 anos - e ainda não acostumei com essa vida. Coisa de pobre isso de ter que, pra ter dinheiro, trabalhar. Nhé...

Ka disse...

eu tb ja cheguei a essa conclusao.

eu nao nasci pra ter obrigação de trabalhar, chefe no pé.

eu queria acordar de manha e decidir se quero ou nao ir no pro trab. no dia q eu quiser eu levanto e vou. nos outros, viro pro lado e continuo dormindo.

tb to esperando a tal herança chegar pra isso acontecer.. ai...ai..

disse...

Tudo o que eu queria agora era de um emprego. Porque né, eu não sou de família rica e não vou ganhar na loteria mesmo.
Então como NÃO TEM JEITO, vamos TRABALHAR!

Lele disse...

Ai disse tuuuudo. Tô com 24 aos na cara não trabalho, só enrolo a facul e por mim ficava assim resto da vida. Trabalhar pra que?

Ana disse...

Patricia, primeiro...lamento amor, mas não é passível de vergonha!
Isso rola com todo mundo...sim, é unânime! Crescer é um cu...
Amadurecer leva alguns anos, então, ainda vai permanecer perguntando à vida porque é que ela não te permite ser "vagabunda feliz!" por um tempinho.
Encarar que a vida não é encantadora, não é bacana como eram nos sonhos adolescentes e na TV é foda! É horrível e, sem dúvida faz crescer a vontade de voltar pra cama, e não fazer porra nenhuma até a hora de ter que dormir de novo.
Mas, a escolha é sua... nade contra a maré e morra afogada. Ou se deixe ajudar por ela, sofra o amadurecimento que, algum dia (não sei quando, mas sei que rola) a gente acorda e tolera, e lida com isso como um dia aprendemos a lidar com um monte de questionamentos da infância e adolescência.
Vc tá crescendo, Paty...não fuja disso pq só faz o processo doloroso durar mais!
beijo

Rita disse...

minha filha, nessa vergonha estamos todos juntos... quem nao queria ser herdeiro?!?!?!?!

Rachel Juraski disse...

Então, não sei se é isso que vc gostaria de ouvir, mas é minha idéia sobre sua situação.

Acho que li todo o seu arquivo. Desde que descobri o Te Amo, Porra eu volto toda semana e, dia desses, durante uma tremenda procrastinação da minha parte no trabalho, li tudo o que tinha escrito no passado. De modo que, se o que vc escreve aqui retrata bem uma parte da sua vida, posso dizer que conheço-a.

Essa sensação de inadequação, seja em relação ao lugar que vc mora, onde estuda, trabalha ou até pessoas com que convive é bastante comum. Também não sei se é isso que vc queria ouvir; pode ser bastante frustrante e ao mesmo tempo um alívio saber que tem montes de pessoas como nós.

Quanto ao seu trabalho e sua nova vida em Jibóia City, acredito que se vc não está feliz e tem alguma opção, deve sair daí. Entretanto, acredito mais nisso:

VC AINDA NÃO SE ESFORÇOU O
SUFICIENTE.

Três meses na nova cidade, com o novo e primeiro emprego, não é muito. É pouco, MUITO pouco. Para fazer a verdade, vc ainda não viu nada.

Vc poderia responder que, nessas condições, prefere nem ver o restante. De acordo. Mas apenas depois de vc ter realmente se esforçado. Três meses num emprego não é esforço nenhum.

Pense na sua volta para o RJ como um prêmio. Só depois de algum tempo de mta dedicação em Jibóia City vc fatura o prêmio.

Thaís.*; disse...

Bom...eu tenho 17 anos estudo de manhã (3º Ensino Médio), faço curso técnico de informática a tarde e trabalho a noite na mesma instituição que faço o curso, saio de casa as 6:40 e só volto as 23:30, tô nessa vida há um ano já, e acredite inicialmente vc quer mandar pro espaço essa história de satisfação pessoal e etc, acha que seu mundo vai cair, e que definitivamente vc merece viver como qualquer deputado de merda (fazer nada e ganhar muito), mas cara eu aprendi que qnt mais eu trabalho mais coisas eu arranjo mais desafios eu enfrento e isso me dá uma satisfação imensa.
Entenda a volta pro RJ como uma visão, trace os objetivos e a missão, quem sabe as coisas melhoram?
*Se eu fosse vc não aceitava conselhos de uma louca. Fato.

Letícia disse...

caralhis, eu te entendo. se eu arrumar um emprego vou ficar chorando de cansaço pq nasci para ser herdeira do onassis, não funcionária pública. é dose ter consciência disso.

Anônimo disse...

ahhh super me identifiquei com seu problema!
Eu tenho 23, to trabalahndo tem um mês...tb no ramo jurídico...e acho chatoooooooooooooooooo...
As vezes ate penso em fazer outra facul...mas nao sei se iria resolver nao...o que eu gosto mesmo eh de acordar meio-dia todo dia...oh, to melhor que vc....rsrsr
Volta e meia leio o seu blog...so hj comentei... me divirto com suas historias!bjuu
thalita

Anônimo disse...

Olha só, não se preocupe não, com o tempo essa sensação piora.

Anônimo disse...

Conheço um amigo que é concursado, trabalha pouco, ganha razoavelmente bem, vive bem, na casa dos pais, e reclama! Vai entender...