sexta-feira, fevereiro 13, 2009

sensibilidade - esse conceito desconhecido

Pega Salete, Donatela e Maria do Bairro. PIN-TO perto de mim essa semana.

Meu gato morreu na quarta. 10 anos, cedo ainda para um gato, mas ele tinha insuficiência renal, fizemos o que estava ao nosso alcance. Desde criança, meu maior sonho era ter um gato, como vivemos em apartamento até 98, não tinha como. Em 99 passamos a morar em casa e veio o Fidel. Uma tia minha o achou na lixeira de uma rua, dentro de uma sacola amarrada, ainda filhote, me ligou e perguntou se eu queria. "Claro que eu quero!". Foram 10 anos e trocentas histórias para contar, de fugir para o telhado atrás das gatinhas, ficar preso, sumir 3 dias, até aprender a sair e voltar para casa. Aprendeu a chamar os vizinhos e correr na frente deles como quem diz "toca a campainha aí pra mim porque meus donos me esqueceram aqui fora", amava sapatos, subia no tanque e bebia água fresca, adorava a chuva, ficava olhando horas da janela. Enfim, um mundo de recordações alegres que ele nos deixa. Minha dor é que ele sofreu muito nesse final, ao mesmo tempo que a perda é triste, também foi um alívio por ele.

Ontem, um ser abominável me disse "ah, pega outro". Pega animal como quem troca de roupa, humm, não gostei dessa pantufa, vou lá pegar uma verde. Se você não gosta de animal, tudo bem, respeito isso, eu por exemplo, não sou muito fã de cães, mas adoro os da minha mãe, que inclusive vivem comigo. Agora virar e dizer "ah, pega outro"? Vontade de dizer "ah, seu merda, nasce de novo". NASCE DE NOVO E NUNCA MAIS CRUZE MEU CAMINHO.

Aí você decide cremar seu gato em uma cremação individual, nego QUE NÃO VAI PAGAR A CONTA pergunta se você achou dinheiro no lixo. Sério mesmo, gostaria de saber onde está o bom senso das pessoas. Por um acaso vão fazer cremação coletiva comigo? Medo, hein. E ai de mim se falar que vou jogar as cinzas no mar, "que palhaçada". Mais uma vez, cadê o bom senso? Gostaria de saber se as minhas cinzas serão jogadas no ralo da cozinha.

Outro merda falou "quem diria, Fidel Castro de verdade viveu mais do que ele". POXA, GENTE, QUEM DIRIA.

Além de lidar com a morte do meu gato, ainda tenho que aturar os joselitos de plantão.

Sendo que essa semana tive a brilhante ideia de ver O curioso caso de Benjamin Button, chorei rios e ainda chamei o Allan. Toda uma falta de tato, não contente em piorar a minha semana, ainda estrago a dos outros, próximo passo é chamar para rever Lavoura Arcaica.

26 comentários :

Ana P. disse...

Poxa, xuxu, sinto muito mesmo pelo seu gato. Nunca tive nenhum gato, nem cachorro nem pássaro. Mas sei que a gente adota os bichos no coração, e eles se tornam tão da família quanto o irmão idiota que mora na mesma casa.

Não se atenha a essa gente idiota. Viva a sua dor o tempo que precisar e... bom, conte com os amigos. Eles vão te entender!

E quando mais alguém vier te encher as patavinas, joga essa: "eu espero que as pulgas de mil camelos adentrem o vosso idolatrado cu. E que seus bracinhos sejam curtinhos demais para coçar..."

.duas doses de desdém disse...

Sinto muito, flor :(
Mas ainda bem que ficam as boas lembranças, isso conforta com o tempo...quando a dor dominuí...

beijo, querida!

Carolina disse...

Sinto muito, de verdade. Não ligue pra esse povo insensível.
Fica bem.
Bjo

Barbarella disse...

Ahh querida.. sei como é duro lidar com a perda de um bichinho..
é da família né...sorry...
Quanto ess gente louca...deleta...gente que pensa assim é infeliz e não tem um pingo de sensibilidade...
Bjs

raquel disse...

eu sempre quis ter um companheiro de estimação (um cão, um gato, um animalzinho fofo e amigo) mas nunca tive a oportunidade, pois moro no mesmo apartamento que mal cabe a minha família toda há exatos 27 anos - ou seja, minha vida toda.

no entanto, sempre adotei os animais dos meus amigos, e já vi alguns os perderem, fosse por doença ou pela própria idade mesmo.

sinto muito pela sua dor mas sinto mais por essa ralé que não entende o nosso carinho e a nossa saudade num momento desse. dizem que as pessoas que compreendem esse amor são pessoas especiais! eu acho que especiais mesmo são esses animais, que nos enchem de alegria e nos mostram como a vida pode ser boa, mesmo que nem falemos a mesma língua!

um beijo!

Chico Mouse disse...

Um dos meus últimos bichinhos de estimação foi um gato. Uma gata, pra ser mais exato. "Natascha". Era toda pretinha, mas tinha a ponta do rabo branca, e eu achava aquilo muito engraçado. Ela era muito carinhosa (mas era pq sempre queria alguma coisa...) Mas não se importava de ficar agarrada comigo (pq tem gato q não gosta). Quando ela morreu, fiz uma cova no quintal de casa e pus uma lápide, feita de pedras, onde escrevi "Saudades"... :/

Nessa disse...

Sinto muito, Patricia! É horrivel quando eles nos deixam... sempre tive pets e sempre foram dores horriveis quando eles se foram... e claro, muitos insensiveis de plantão prontos p/ nos encher... Mas não ligue p/ eles! Faça o que vc tem vontade de fazer e homenagear o Fidel, que pelo visto foi um companheiro e tanto!

Beijos e fique bem!
Nessa.

Jullyane disse...

Eu não gosto muito de criar animais porque dá muito trabalho, mas não tenho nada contra eles, detesto quem os maltrata. Quando era pequena eu tive alguns gatos e ficava muito triste quando acontecia algo com eles. É difícil quando eles vão embora, a gente não quer outro no lugar. Mas um belo dia nos encantamos com outro gatinho, assim como acontece com as pessoas. Sempre há novas pessoas que nos encantarão, como novos gatinhos que ganharão nosso coração. Nunca esqueceremos dos que se foram, mas abriremos nossa vida para outros.

Beijos e melhoras!

Manuela disse...

Já tive um gato todo fofo que morreu de insuficiência renal. É péssimo, eles sofrem tanto... E a gente sofre junto, sempre.
Na última noite, como ele era acostumado a dormir do meu lado na cama, o Nuvem (esse era o nome dele) subiu, morrendo de dor, até o meu lado e dormiu a noite inteirinha abraçado comigo. :/
Eu acabo adotando outro porque não consigo ficar sem uma companhia felina, mas isso acontece mesmo quando o gatinho tá ali. Já cheguei a ter três gatinhos e sinto que me tornarei uma solteirona cheia deles =D Amoamoamo.
Sinceramente, não sei o que eu faria se minha gatinha morresse. Ela é minha companheira e bem mais carinhosa do que um namorado /humf
Aliás, quando meu coelho morreu, meus vizinhos queriam ele pro almoço GAH.
Sinto muito que tenha perdido o teu Fidel, especialmente por ter que aguentar esses joselitos malditos.

Agrilla disse...

poxa, sinto muito pelo seu gato. eu tb tenho uma gata e não sou chega em cachorro. esse povo é insensivel demais mesmo.

Agrilla disse...

poxa, sinto muito pelo seu gato. eu tb tenho uma gata e não sou chega em cachorro. esse povo é insensivel demais mesmo.

Tati Py disse...

Chorei lendo teu post.
Perdi minha gatinha, companheira querida da minha vida, ano passado.
Ainda sonho com ela e choro de saudade.
Tem gente que não entende...

Fique bem, garota.

ge disse...

Sinto muito pela perda do gatinho e sinto muito pelo que as pessoas te disseram. Esse ano perdi minha cachorrinha, 14 anos, ela sofreu muito e eu sabia que o melhor pra ela era ir embora, mas mesmo assim é difícil. Aqui em casa a gente ainda não consegue pensar em ter outro cachorro, porque ela era especial demais. É a mesma coisa que dizer pra uma mãe que perdeu um bebê "você ainda é nova, pode engravidar de novo".

raquel disse...

Dez anos é tão pouco... :(
Se bem que a minha mais velha tá beirando os 17, e eu continuo achando pouco. Sempre parece cedo demais quando eles vão embora.

E as pessoas PRECISAM ser sem noção nesse momento. É quase uma necessidade vital, fico impressionada. Ultimamente até evito falar sobre bichos com a população em geral, porque fico com a impressão de que a conversa toda é um grande -q.

Sinto muito pelo Fidel.

Um beijo.

vanessa disse...

senta que lá vem história:

eu tenho hoje 2 gatas. uma tem 15 anos e a outra tem 5. a que tem 15 (a kitty) é o amor da minha vida. vc pode me chamar de gorda, de burra, xingar minha mãe, mas não pode implicar com ela. já terminei um namoro pq o rapazinho, ao descobrir que eu sou alérgica a gatos, sugeriu que eu jogasse fora. joguei, mas foi ele.

uns anos depois de a kitty chegar em casa, chegou o holly. um pastor alemão que tinha o tamanho de uma vaca e a personalidade de uma borboleta. era o segundo amor da minha vida (mais pq eu gosto mais de gatos do que qualquer outra coisa). já mantive um trabalho merda só pra poder pagar as contas dele no veterinário uma vez, era meu filho, sabe? e no ano passado, a doença voltou e ele morreu.

foi uma fortuna a cremação individual e nós pagamos. minha família chorou por uma semana. e eu, a mais salete do universo, chorava até no trabalho. o que eu ouvi de "pega outro" ou "isso é pq morrou um BICHO?" não foi pouco. mandei todo mundo pro inferno e ainda saí mais cedo do trabalho pra cremação. e até hoje, mais de um ano depois, a urna dele está em cima da mesa de centro lá de casa, pq é falar em jogar num parque (que ele amava), é choradeira certa. *lágrima nos olhos*

eu já deixei avisado: SE um dia minha kitty morrer (pq eu espero que ela seja highlander e não morra nunca), pode esquecer de mim. pode se preparar pra porrada se fizer piada. pode se preparar pra briga se disser "mas ainda tem outra gata na sua casa". só quem tem esses bichinhos sabem como são importantes nas nossas vidas e o tamanho do amor que é possível sentir.

uma pena eu não ter podido segurar sua mão na hora ruim, mas fica aqui o meu abraço. e uma tentativa de consolo: a saudade vai ficar pra sempre, mas uma hora a dor passa, viu? demora... mas passa.

November disse...

Poxa..sinto muito mesmo pelo seu gato...
Sei como dói perder um companheiro, por mais que não humano (às vezes parece que são não é?!)

E não liga pra esses comentários toscos..isso vem de gente que não tem coração..ou que não pode perder uma piadinha besta... manda tomarnomeiodoolhodocu...
Bjs!

guilherme disse...

O que a Vanessa disse diz tudo.

PS. para distrair um pouco: eu como cego e louco, achei que era uma foto de um ULTRASOM. Depois que vi que era o Fidel, me assustei tanto por não enxergar de primeira que constatei mais uma vez minha anormalidade...

Anne disse...

='(

vontade de mandar esse bando de gente insensível tomar no cu, né? cara, eu não me seguraria. mandaria mesmo. asifudê.

não tenho nem palavras, né. abraços e abraços e abraços em vc.

ella disse...

muita raiva dessa gente que não sabe o que é ter um animal, e ainda por cima tem a pretensão de achar que ele não vale tudo isso, sabe? que ele não vale toda essa tristeza, toda essa saudade... eu mesma nem ouso dizer que entendo pelo que você tá passando, porque ainda não passei por isso, mas tenho uma gata (já tá há 9 anos com a gente) e só de pensar que um dia ela não vai mais estar aqui, eu já começo a ficar triste. se algum outro joselito vier falando merda pra você, manda ele, a mãe dele, a família inteira e sei lá quem mais, todo mundo tomar no cu e morrer. gente que não respeita a dor dos outros não merece ter respeito (principalmente quando a dor é por causa de animal).
boa sorte superando a dor. não tenho muito tato e nem sei como consolar as pessoas, mas como a Vanessa disse lá em cima, a saudade fica, mas a dor passa um dia... tomara que a sua passe logo.
:*

bjomeliga disse...

A dor da perda de um bichinho de estimação é tão grande quanto a de perder uma pessoa querida.
E eu sempre desconfio de quem não gosta de animais.
Fica bem.

Red Forman disse...

eu sempre leio seus textos e sempre imaginava um tom diferente do tom que li hoje. Parece que foi um texto mais sereno.

sinto muito pelo seu gato. eu tenho milhares de cachorros em casa e sei como dói.

e eu tb sei como é ser visto como diferente por gostar demais de animais, por isso eu reservo pra mim meus lutos ou pra pessoas próximas e só.

cuide-se.

Sandro Aurélio disse...

Querida, que triste isso né? ainda vem um arrombado e falar uma merda dessa? eu mandava tomar no cu na hora.

porra, amo minha cahorra tbm e quando meu cachorro Maylon morreu chorei pora caralho.

Mas batizar o gato de Fidel foi sacanagem né?

Sei bem como é isso.

Fernanda disse...

Oh meu bem, que vc fique bem. De coração.
Beijos

Ro Salgueiro disse...

Perder um amigo é muito doloroso. Minha gatinha Mignone morreu ano passado. Lembro-me dela sempre, ainda que tenha a companhia de outros 11 gatos. Um gato não substitui outro. Mas anime-se em oferecer seu lar para mais um gatinho. Não será o mesmo amigo, mas um novo.

Rubens disse...

Sinto muito pelo seu gato, é realmente muito triste. Problema de rim é complicado e é uma coisa muito comum entre os bichos, tenho uma cadelinha fox paulistinha que está seguindo pelo mesmo caminho. A gente tenta não sofrer mas não tem como!

Allan disse...

Deixa de ser louca que eu adorei o filme! Chorei tb horrores!!!
Muito bom!
Te amo
Bjs!