sexta-feira, novembro 21, 2008

minha casa é um abrigo público

E Mirian que resolveu vir pra cá antes? Por causa do feriado e tal. Resultado: vai passar uma semana direto aqui.

E gente, ela não dá um espaço, ela não vai na rua comprar, sei lá, vento? Ela toma banho de manhã quando eu estou dormindo. E onde minha mãe vai, ela vai atrás. Quero conversar na cozinha, não posso porque a Mirian vai atrás. Se eu não conhecesse minha mãe tão bem como Heleninha conhece Odete, muito ia achar que tá rolando um caso. Eu sei que ela ajudou muito a minha mãe no passado, eu não estou negando ajuda, mas eu preciso de espaço.

Não é que eu seja de todo egoísta, mas eu preciso da minha casa só pra mim por algumas horas. Tudo bem, admito que é egoísmo, mas eu preciso desse espaço, eu preciso conversar com a minha mãe todos os dias, e não consigo fazer isso na presença de outra pessoa.

Até quando a cobra da Valdete morou aqui, ela me dava espaço, porra. Valdete foi uma amiga de gênio hiper difícil que veio pra passar um dia e ficou 2 meses. Hoje relembrando, foi hilário, porque ela era muito sem noção. Tinha dinheiro guardado, mas até pra comprar pão, pedia dinheiro pra gente. Sabia que a minha mãe não gostava de jogo de cartas, e lá ia a mulher abrir mesa branca na nossa sala (nada contra, minha mãe que não gosta). Aí saia na vila e danava a falar mal da minha mãe para as vizinhas. Dizia que cuidava da minha mãe (na época, recém operada) e que minha mãe não a pagava por isso. hahahahahha realmente essa casa tem um ímã de loucos. O melhor foi ela contando que eu explorava a minha mãe. Isso ficamos sabendo porque uma vizinha nos contou depois. Valdete contava pra todo mundo que eu tinha uma procuração da minha mãe e que a vida financeira dela era toda controlada por mim. Cara, não sei quanto que a minha mãe ganha! Tem noçao? Sei as senhas do banco porque a Isaura aqui que vai pagar as contas. Aliás, eu tenho a senha de tudo, mas nunca peguei dinheiro, e eu sei de cada história escabrosa de nego pegando dinheiro sem avisar... uma pena não poder contar os detalhes sórdidos, porque sabe como é, nego pode me sacanear a vontade, mas se eu faço o mesmo, pronto, sou a filha da puta do pedaço. Isso já é outro assunto.

Minha infância foi recheada da gente morando de favor, principalmente família, mas não me importava nessa época. Família e tal, essa coisa de que devemos nos ajudar, realmente nunca me incomodaram. Mas madrinha não é família, né? A minha madrinha morou na minha casa mais de um ano, não lembro direito, se comportava como se a casa fosse dela e não deixava eu comer as coisas que estivessem na prateleira dela na geladeira. PAUSA. Ela tinha uma prateleira só dela na geladeira, hahahaha é demais! Lembrando essas coisas fico pensando no quanto minha mãe foi otária, mas é a vida. Falta de noção é pouco, essa daí era falta de caráter mesmo. No dia que meu avô morreu, ela virou e disse assim mesmo: "Olha aquíamn, seu avô morreu, se arruma rápido e vamos encontrar sua mãe no hospital", alguém dá um livro Como dar notícias trágicas com tato pra essa louca? Como eu estava, fiquei. Ali parada, meu mundo caindo e ela me empurrando pra eu me arrumar.

Obviamente Mirian não é assim, é legal, prestativa, mas não deixa as pessoas respirarem. Ou vai ver o defeito é meu, vai ver eu que sou mesmo sociopata.

9 comentários :

guilherme disse...

Eu te entendo.

De vez em quando eu não aguento nem minha mãe e meu irmão. E não era difícil ficar com raiva das pessoas que eu dividia casa do outro lado do mundo.

Um dia eu te conto o quanto eu tinha problemas dividindo casa quando tinha problemas com os outros moradores da casa.

É hilário... Quando me internarem no hospício quero uma cela do lado da sua. Mas pode deixar que eu te dou espaço...

Espero que ela ligue o desconfiômetro logo. Ou diga: "Miriam padaria requeijão padeiro sexta" quem sabe ela não vai até a padaria comprar requeijão que está em falta e conversa com o padeiro sobre um possível encontro na sexta?

hohohoho

Jullyane disse...

Eu já moro sozinha, então, relax, até sinto falta da convivência com minha mãe e irmãos e tals. Adoro as histórias de Mírian, ela é simplesmente o máximo! Kkkkk!
Beijos!

.duas doses de desdém - Gui disse...

Nossa..situação ruim mesmo, flor!

Eu odiaria..qdo tô na mãe e chega visita pra ela eu me escondo =x

SEI LÁ...

bjbj

Mi disse...

Tem dias em que eu não não suportoooo ver pessoas, conversar, interagir.

Oo

paulinhaonline disse...

Olha aquíam, eu tbm preciso de espaço de vez em quando - algumas horas p mim, quietinha, basta!

eu moro com mãe e pai, às vezes é complicado poder ficar quieta, mas tento dar um jeito. qdo não param de falar e eu to estressada..bom..aí é foda! hahah
=P

Letícia disse...

nossa, sua mãe atrai só exu.. a minha mãe era bem sonsa para algumas coisas, mas resolveu ficar espertinha depois de quebrar a cara com as cobrinhas.

e essas pessoas que não sabem dar notícia trágica são fodas viu. filhas da puta hahaha

Kakau Tendrás disse...

A minha mãe sempre foi meio anti social. Nunca foi fã de gente zanzando na casa dela. Acho que foi daí a idéia de ter só uma filha. Enfim..

Espero que não se importe, mas te adicionei na minha lista de links e tals. ^^
Tudo bem?

Fernanda disse...

Sociopata! Essa foi a palavra agregada a Lisa (personagem da Angelina Jolie) no filme garota interrompida.
Na hora lembrei disso!

Savoy disse...

putz, minha casa também já foi abrigo público, ó.
era uma modelo, amiga da minha mãe, que simplesmente me tirou do meu quarto porque não conseguia dormir sem ar condicionado. e eu tive que dormir na sala! >.<
não satisfeita, ela entiquetou, deixa eu dar ênfase, ENTIQUETOU tuuuudo que tinha na geladeira.
era a organização encarnada e a mulher me dava medo, muito medo!

mas boa sorte com a sua nova enquilina. ^^'