sábado, outubro 11, 2008

amo meus vizinhos... NOT!

Seriously, esse blog a partir de hoje é para contar histórias dessa vila, isso aqui é um achado, eu não poderia morar em um lugar melhor.

Ontem o barraco comeu solto aqui.

Adoro família que vive junta, tio, pai, mãe, avó, sobrinho, cachorro, periquito, porque o barraco é sempre mais intenso, já que todo mundo se mete. Daí que a vizinha bêbada (aquela do "você é velha, eu sou jóóóóóóvem) arrumou um namorado e parece que ia ter um churrasco aqui pra apresentar o boy (adoro pobre), sendo que ela queria que a mãe fizesse tudo, farrofa, arroz, essas coisas, ou seja, ela convida, mas quem faz o serviço são os outros, beleza. A tia não gostou nada, foi defender a irmã (mãe da bêbada, aliás, todo mundo é bêbado nessa família) e aí se seguiu o barraco:

- você trás macho aqui é quer que a gente faça tudo.

- Ih, não se mete não, porra, a conversa não chegou aí.

- Olha lá como você fala comigo, eu sou sua tia, você não me conhece!

- Eu não conheço, ninguém conhece, você mesma não se conhece, sua doida!

- Você arrumou um namorado e mesmo assim continua azeda, sei não, seu namorado não tá dando conta.

- Cala a boca! tá bêbada já?

Daí se seguiram todos os palavrões possíveis. Isso 1 da manhã, sendo que eu acordei com o barraco.

____________________________

O mini-mala, neto da vizinha ao lado, parece que está frequentando algum fonaudiólogo, daí aprendeu vários trava-línguas. E fica repetindo o dia todo, o tempo in-tei-ro.

- Ô tia, o gato fez xixi na pia, na frente da academia

Um rivotril por favor.

E ainda deram um velocípede pra ele, e ele não pára de usar. Desce com aquilo desde lá em cima da vila até embaixo, fazendo todo aquele barulho de uma bomba explodindo na minha cabeça.

Socorro. Por favor, alguém me salva, estou desesperada.

Aí ontem eis que avó do mini-mala resolve, num ato de extrema crueldade, prendê-lo do lado de fora da casa. Assim, o mini mala é mesmo um mala, garoto chato pra caralho, mas cara, isso não dá direto da vó trancar ele fora de casa, sabe. Deu uma pena, o molequinho chorando sem parar, quase que eu mandei o menino entrar aqui. E a vó ainda vem rindo dizendo "quando eu mando você entrar, você tem que entrar, senão vou prender você de novo". Sabe sadismo? Lembrei de uma passagem de Carta ao pai, do Kafka, que ele conta que um dos maiores traumas dele foi quando o pai o trancou num lugar, de propósito, para castigar mesmo. Vou escrever um livro "Como criar seus filhos sem traumas" e dar para essa velha louca.
____________________________

Vou mudar o apelido da minha vizinha funkeira para vizinha trash, porque ela não vive só de funk, vive de pagode, vive de tudo que é tranqueira. Outro dia estava tocando e cantando Lobão aos brados:

- A-OONDE ESTÁ VOCÊ-Ê, ME TELEFONÁÁÁ

ela se empolga cantando, é bizarro. Hoje colocou Jota Quest quero um amor maior, amor maior que eu. Incrível a diversidade de gostos. Vou emprestar meu cd da Elis, será que ela vai gostar? Vou emprestar também Ney Matogrosso canta Cartola. Assim não reclamo mais de música alta.

____________________________

Postei no twitter, mas vale a pena contar aqui, que tenho uma vizinha que o marido se chama Carlos Alberto, sendo que Carlos Alberto sempre chega bêbado em casa, e vamos combinar que briga com nome composto é a melhor coisa do mundo.

- Carlos Alberto, de novo Carlos Alberto, eu não aguento mais isso, Carlos Alberto! Seu bêbado, seu viado, por que você faz isso comigo, Carlos Alberto?


____________

P.s: Bel, a blogueira mais gostosa do mundo, convidou outras blogueiras para fechar a lista Coisas que as garotas pensam, escrevi lá também.

10 comentários :

Manuela disse...

Suas histórias da vila são as mais engraçadas ;D

Aliás, adorei tudo. "Te amo, porra" é o título mais criativo que eu já vi por essa internet.

Sabe o que eu consegui fazer, no domingo passado? Esquecer que tinha que votar. Cheguei uma hora atrasada no trabalho pq um cidadão passou por mim falando de vereador fulano, daí minha mente fez aquele 'cract, OH merda, tenho que ir justificar hoje!'.

Enfim, foi pros meus favoritos ;D

.duas doses de desdém disse...

Adooooro essa saga da vila ahahha :P

Hey! mas Lobão é roquenrol nhé!
Tipo..tem uma banda de axé que regravou, acho que a sua vizinha tava cantando a versão axé, será que não: (ui)

beijão!!! :)

Loira e Morena disse...

Hahahaha... Mas q vila en, por um lado é bom, vc terá muuuitas historia pra nos contar aqui...hahaha

Bom fim de semana pra ti!
Beijaooo da Morena!

Fernanda disse...

Primeiro: o que é rivotril? rs
Segundo: Lobão e Jota Quest é tranqueira?
E nome composto me lembra novela mexicana. rs

- disse...

Vim párar aqui como paraquedista do Coisas que Garotas Pensam, mas nunca gostei tanto de aterrisar de surpresa em um blog. *.*

Deborah disse...

eu moro numa vila tambéééémmm!!! ai, que emoção!! mas aqui a gente gosta de chamar de condomínio, mesmo que não tenha porteiro, interfone ou coisas do gênero.


mas as únicas coisas que meus vizinhos aprontam são festas com música muito ruim. antes era pior, a vizinha alugava a chácara pra estranhos fazerem festas barulhentas e houve a vez que meu vizinho resolveu treinar cavalinhos de pau na rua, às 10 da noite num dia de semana. a vantagem daqui é que é uma vila de chácaras, então as casas são afastadas e não dá pra ouvir o que o vizinho faz.


enfim, adorei seu blog. e "te amo, porra" é um título excelentíssimo.

paulinhaonline disse...

só falo uma coisa: adorooo briga de vizinhooo! adoro! =)

hahaha

Loira e Morena disse...

Uhuu..briga...hahah

Beijocas da loira

Chico Mouse disse...

OH MY GOD!! TEM CERTEZA QUE VOCÊ MORA NUM CONDOMÍNIO!!??

Parece mais um epidódio de "Família Buscapé"... ahahahahah!! ;)

Se jooooooooga!!

Bjos

Anne disse...

hahaha! um dia antes de eu me mudar, teve um barraco na minha rua também lá pela madrugada. acho q foi tipo uma despedida pra mim, sabe? quase fiquei emocionada. duas da manhã e neguim berrando "tu trata teu filho q nem biiiiicho e vem querer se meter na educação q eu dou pro meu?" e "desce! desce q eu quebro tua cara!", hahaha, coisas assim. essas coisas divertem mesmo. mas agora eu moro num lugar sossegado, acho q nem vai rolar mais barracos assim. =\ rs.