sábado, abril 19, 2008

Kaká é um merda

É incrível como apesar de não ser tão velha, eu sinto uma saudade imensa dos ídolos do passado, mesmo os dos outros clubes. A minha saudade é do ambiente, daqueles jogadores que até bem pouco atrás dariam o sangue por seu time - e davam - e pela graça da indisciplina quando eles iam contra uma determinação do clube. Todos eram homens: Romário, Marcelinho, Renato Gaúcho, entre tantos outros de um passado remoto, e o último remanescente, Edmundo.

Os ídolos de agora seguem o estilo do Kaká, que hoje disse: "se o Milan disser não, é não". Ou seja, o destino dele na seleção brasileira está nas mãos de um clube italiano. A coisa mais importante para o Kaká é o relacionamento dele dentro do Milan, ele não quer se queimar por lá. Só esquece de dizer que se queimou com o Brasil quando não foi para a Copa América e preferiu tirar férias.

Será que estou sendo tão injusta quando digo - e aliás, sempre disse - que ele é um merda? Acho que o futebol gera toda uma irracionalidade, toda uma paixão incondicional. E é por essa razão que eu jamais iria querer um merda desses jogando no meu time. Não adianta ser o melhor do mundo e fazer passes mágicos que lembram Zidane, há que ser um Homem como os grandes ídolos foram.

Duvido muito que se ele botar a banca "te fode aí, Milan, eu vou pras Olimpíadas!" se o Milan não ia aceitar com o rabo entre as pernas, mas o Kaká não faria isso, não é? pois ele já nasceu sem os culhões. E duvido ainda que o Messi, por exemplo, só para citar um argentino, teria a mesma atitude que esse merda. De que adianta sermos pentacampeões, se hoje só o que nos resta são um bando de bonecas?