sábado, junho 05, 2004

Minhas análises insanas

Não existe uma técnica pra reconhecer um gay, existe feeling e eu tenho esse feeling e isso não é qualquer um que tem. A vida traz a sagacidade e eu aprendi observando as pessoas, olhando a forma delas agirem, de falarem, como se eu fosse o Big brother e o resto do mundo estivesse sendo vigiado por mim. Eu disse uma vez aqui que eu consigo descobrir muita coisa sobre as pessoas apenas olhando para elas. E quando eu olho as pessoas eu as estou analisando de cima a baixo. Parece coisa de de maluco, enfim, pode até ser... Mas o fato é que com isso eu descubro as coisas ocultas. É verdade que já me enganei (não gostava de duas pessoas e posteriormente eles se tornaram meus amigos), mas na maioria das vezes acerto na minha análise. Aí você pergunta: "Patrícia, mas você analisa tudo, toda hora?", e eu respondo sim, o tempo todo: na rua, na chuva, na fazenda e em qualquer lugar onde eu for e em qualquer hora eu analiso as pessoas. Por isso que é fácil pra mim reconhecer um cara gay, depois de um tempo a gente não precisa mais analisar, o cara passa e você já sabe. Essa análise acontece muito quando eu estou nos ônibus, eu sento e começo a olhar todas as pessoas: o homem sentado na frente tem cara de mau e de cachaceiro, pronto, já descobri que ele bate na mulher; olho a senhora sentada do lado e descubro, não sei como, que ela nunca se casou; olho o casal em pé e pela forma como ela conversa com ele, eles não trepam há muito tempo, um casamento já morto; a adolescente lendo revista está apaixonada mas o carinha não quer nada com ela. As minhas análises são assim, não têm métodos específicos, sei que isso parece psicopatia, aquela pessoa quieta que fica só olhando e esperando para dar o bote, mas eu juro que nunca faço o bote, nem nunca farei. Talvez seria melhor se eu não fosse assim, isso parece doença, mas me conforto quando leio ou escuto alguns alguns escritores dizendo que têm essa necessidade de observar as coisas. A esperança é que a minha loucura possa ser normal.

Mudando completamente de assunto...
Eu fico pasma com a inteligência da minha mãe. Na quinta ela me pede pra colocar a novela da tarde pra gravar porque ela ia sair, até aí tudo bem, tirando o fato dela assistir Corpo Dourado. Aí eu chego em casa e.... a tomada do vídeo está no chão!.
Ela precisou empurrar a estante porque o rapaz ia pintar a parede e simplesmente esqueceu de colocar a tomada no lugar.