quarta-feira, novembro 12, 2003

Professor merda

Eu estou muito revoltada, não sei se conseguirei expressar o meu ódio em palavras mas vou tentar. Hoje de tarde eu fui destratada por um professor idiota e ridículo. Não estou com uma raivinha apenas, estou com ódio mesmo. Aquele merda poderia ter corrigido o trabalho com mais educação, infelizmente o doutorado que ele fez não o ensinou a ter respeito pelas pessoas.

Tive que apresentar um trabalho hoje com base na última aula dele, e num dado momento da apresentação eu disse "o espírito como um estado coletivo..." e o pateta do homem me vira e diz: "Eu jamais diria isso, 'espíto coletivo'? O que é isso querida, gol no maracanã?".

Ele disse isso com tanto sarcasmo como se fosse o dono da Verdade, o verdadeiro Sócrates encarnado. Não sei se vocês entenderam, mas o fato é que ele foi muito grosso e não havia necessidade disso. Pô, eu fico sempre animada quando tenho que fazer um trabalho e sempre faço com dedicação e aí vem um merda e faz isso comigo? Isso não se faz, tenho consciência que não estou mais no Ensino Médio e que na faculdade as coisas são bem diferentes, mas uma certeza forte eu tenho: educação independe disso.

E para expor todo o meu sentimento negativo eu vou deixar a minha boa criação de lado e vou dar uma de covarde, já que eu não posso dizer na cara desse homem o que eu penso sobre ele eu vou dizer aqui mesmo no meu blog:
"Escuta aqui seu merda, você não passa de uma bicha velha enrustida, seu ridículo, viado, filho da puta, vai tomar no olho do seu cú seu babaca, eu quero que você vá pra puta que o pariu, trava passiva, ser despredível, energúmeno, bosta de boi, bosta de cavalo, bosta de porco, você é um porco sabia? Ignóbil, ignoto, dedico todo o meu desprezo à você seu merda. Aliás por falar nisso, olha a sua descrição no dicionário:
1 Excremento. 2 Porcaria, sujeira. 3 Coisa sem valor. Sujeito sem préstimo. Indica repulsão, desprezo, impaciência."

Update de 5 anos após esse post (29/04/08):
Total engraçado reler tudo isso, vejo que fiquei com ódio mesmo. Nos comentários alguém disse "procure se acalmar e pense: como deixei que este cara me afetasse tanto? Como ele me atingiu? O que ele pretendia? As respostas a essas perguntas costumam ser bem reveladoras". Sábias palavras, pois eu até hoje me pergunto como ele pôde me afetar tanto. O bom é que é o tipo de história que fica e meio que virou um ícone da minha passagem na faculdade, até hoje eu me auto sacaneio com essa história "que isso querida, gol no maracanã?" hahahahahaha